Salário para o cargo de Operador de moinho de farinha crua
CBO 8411-05 > Trabalhadores da indústria de beneficiamento de grãos, cereais

Operador de moinho de farinha crua - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Tratam, moem e beneficiam grãos, cereais, amêndoas, especiarias e afins, controlam o processo de produção, ajustam os equipamentos ao processo de produção, empacotam e armazenam produtos acabados, aplicam procedimentos de segurança.

Quanto ganha um Operador de moinho de farinha crua

Um Operador de moinho de farinha crua trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.203,11 e R$ 2.467,41, com a média salarial de R$ 1.473,76 e o salário mediana em R$ 1.400,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de moinho de farinha crua

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.473,76 17.685,15 368,44 6,79
1º Quartil 1.203,11 14.437,33 300,78 5,55
Salário Mediana 1.400,00 16.800,00 350,00 6,45
3º Quartil 1.881,75 22.581,04 470,44 8,68
Teto Salarial 2.467,41 29.608,94 616,85 11,38


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo
      • Operadores de equipamentos na preparação de alimentos e bebidas
        • Trabalhadores da indústria de beneficiamento de grãos, cereais

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Catanduva - SP 1.250 - 2.000 1.419,12 1.250,00 1.450,00 1.650,98 1.999,72
Uberaba - MG 1.471 - 1.920 1.539,21 1.470,59 1.550,00 1.585,29 1.920,16
Anápolis - GO 1.232 - 1.601 1.257,79 1.231,50 1.240,00 1.321,73 1.600,92
Orlândia - SP 2.007 - 2.515 2.024,11 2.007,00 2.007,00 2.076,64 2.515,29
Correntina - BA 1.187 - 1.575 1.249,90 1.187,08 1.300,00 1.300,00 1.574,60
Rolândia - PR 1.369 - 1.697 1.377,03 1.368,60 1.369,22 1.401,07 1.697,02
São Paulo - SP 1.169 - 2.350 1.438,77 1.168,91 1.300,00 1.940,25 2.350,09
Umuarama - PR 1.397 - 1.817 1.439,18 1.397,04 1.397,04 1.500,00 1.816,85
Paranavaí - PR 1.457 - 1.869 1.493,76 1.456,63 1.507,00 1.542,96 1.868,88
Cachoeira do Sul - RS 1.317 - 1.665 1.339,36 1.317,01 1.332,88 1.374,66 1.665,03
Araras - SP 1.446 - 1.836 1.498,79 1.445,95 1.515,48 1.515,48 1.835,59
Curitiba - PR 1.220 - 1.520 1.246,25 1.220,00 1.255,00 1.255,00 1.520,09
Campo Novo do Parecis - MT 1.414 - 1.899 1.530,85 1.413,55 1.567,50 1.567,50 1.898,60
Guarujá do Sul - SC 1.073 - 1.877 1.283,39 1.072,50 1.248,00 1.550,00 1.877,41
Nuporanga - SP 2.066 - 2.908 2.140,44 2.066,00 2.066,00 2.401,00 2.908,16
Araruna - PR 1.344 - 1.925 1.465,79 1.344,35 1.463,00 1.589,25 1.924,95
Navirai - MS 1.206 - 1.478 1.216,71 1.206,00 1.220,00 1.220,00 1.477,70
São Marcos - RS 1.327 - 1.696 1.368,06 1.327,00 1.400,00 1.400,00 1.695,72
Deodápolis - MS 1.220 - 1.520 1.227,50 1.220,00 1.220,00 1.255,00 1.520,09
Dois Vizinhos - PR 1.340 - 3.603 1.781,87 1.340,00 1.493,16 2.974,68 3.603,03


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.239 - 2.448 1.563,13 1.239,32 1.515,48 2.021,48 2.448,47
Paraná 1.260 - 2.140 1.464,13 1.260,36 1.397,04 1.766,54 2.139,68
Minas Gerais 1.279 - 1.925 1.487,48 1.278,73 1.550,00 1.589,65 1.925,43
Goiás 1.210 - 1.770 1.286,77 1.209,96 1.240,00 1.461,51 1.770,23
Rio Grande do Sul 1.320 - 3.077 1.669,13 1.319,58 1.373,01 2.540,16 3.076,72
Mato Grosso 1.199 - 1.886 1.369,75 1.198,76 1.400,00 1.556,88 1.885,73
Mato Grosso do Sul 1.202 - 1.497 1.219,58 1.202,00 1.220,00 1.236,33 1.497,48
Bahia 1.133 - 1.575 1.229,73 1.133,19 1.200,00 1.300,00 1.574,60
Santa Catarina 1.131 - 2.178 1.406,15 1.131,22 1.357,00 1.797,95 2.177,73
Rondônia 1.128 - 2.294 1.567,50 1.128,00 1.672,00 1.894,00 2.294,07
Alagoas 1.045 - 7.677 2.274,69 1.045,00 1.072,50 6.338,12 7.676,92


Principais locais de trabalho

Trabalhadores da indústria de beneficiamento de grãos, cereais o trabalho é exercido em equipe, sob supervisão permanente, em empresas de fabricação de produtos alimentares e bebidas. São contratados na condição de assalariados com carteira assinada. Desempenham suas atividades em ambientes fechados, nos períodos diurno e noturno e em rodízio de turnos. Podem estar expostos a ruído intenso e altas temperaturas, podem trabalhar em posições desconfortáveis.


O que é preciso para trabalhar na área dos Trabalhadores da indústria de beneficiamento de grãos, cereais

O exercício desse cargo requer escolaridade de ensino médio concluído ou curso na área correlata. O exercício pleno da função se dá após período de um a dois anos de experiência profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de moinho de farinha crua

Trabalhadores da indústria de beneficiamento de grãos, cereais devem:

  • moer grãos, cereais e especiarias;
  • beneficiar grãos, cereais, amêndoas e especiarias;
  • demonstrar competências pessoais;
  • empacotar produtos acabados;
  • tratar grãos, cereais e afins;
  • controlar o processo de produção;
  • ajustar equipamentos ao processo de produção;
  • trabalhar com segurança;
  • armazenar produtos acabados;

  • Atividades

    • demonstrar criatividade;
    • refinar massas;
    • verificar condições de manutenção dos equipamentos;
    • cozinhar grãos, amêndoas, soja e dendê;
    • resfriar os grãos;
    • direcionar produtos para máquinas e equipamentos;
    • retirar polpa de grãos e amêndoas;
    • etiquetar dados dos produtos;
    • retirar resíduos;
    • expressar-se com fluência verbal;
    • utilizar equipamentos de proteção individual (epi);
    • demonstrar sociabilidade;
    • pesar grãos, cereais e especiarias;
    • demonstrar dinamismo;
    • interpretar resultados de análise laboratorial;
    • levar massas ao forno;
    • verificar fechamento, selagem e perfurações das embalagens;
    • peneirar produtos em elaboração;
    • direcionar produtos para silos;
    • testar equipamentos de proteção coletiva (epc);
    • coletar amostras e análises;
    • preencher relatórios e formulários de acompanhamento da produção;
    • ajustar teor de umidade dos produtos (adicionando ou retirando água);
    • regular máquinas, cilindros e equipamentos;
    • agir com responsabilidade;
    • abastecer alimentador com matéria prima;
    • acionar moinhos e equipamentos de moagem;
    • conferir pesagem dos produtos moídos;
    • aferir as variáveis de controle (nível, temperatura e pressão);
    • retirar massas e farinha do forno;
    • lacrar caixas e fardos dos produtos;
    • inspecionar visualmente os produtos durante a moagem;
    • aquecer forno e fornalha;
    • misturar especiarias moídas, conforme formulações;
    • identificar produtos e local de armazenagem;
    • combater princípios de incêndio;
    • instalar bobinas e filmes de embalagem, nas máquinas;
    • transportar produtos até a máquina de embalagem;
    • realizar parada e partida nos equipamentos para reparos;
    • analisar as características físicas do produto;
    • consultar normas e procedimentos de segurança, higiene e saúde no trabalho;
    • acondicionar produtos em caixas e fardos;
    • conferir tipos e quantidades dos materiais;
    • abastecer máquinas e moinhos, com combustíveis;
    • registrar acidentes e incidentes;
    • inspecionar validade de epi e epc;
    • adicionar ingredientes e consumo para adequação da formulação;
    • demonstrar autocontrole;
    • emitir ordem de serviço (formulário) para manutenção;
    • homogeneizar massas;
    • lavar mandioca;
    • direcionar pacotes, caixas, fardos, para a expedição;
    • conferir tara da balança;
    • esterilizar rações a vapor;
    • conferir formulações e padrões preestabelecidos;
    • expurgar infestações;
    • registrar peso de caixas e fardos;
    • analisar riscos no ambiente de trabalho;
    • acionar equipamentos de transporte de materiais (esteiras, roscas, elevadores);
    • testar ponto de torrefação de grãos, massas e amêndoas;
    • manter relacionamento interpessoal;
    • examinar a qualidade, visualmente;
    • descascar cereais, grãos e especiarias;
    • desobstruir equipamentos (tubulações, telas, peneiras);
    • inspecionar datas de fabricação, validade e lotes na embalagem;
    • distribuir massas nos cilindros;
    • verificar condições do local de armazenamento;
    • prensar massas;
    • monitorar especificações e medidas dos produtos;
    • identificar produtos fora das especificações;
    • estocar produtos sobre pallets (paletas ou palhetas);
    • identificar pressão do ar, temperatura e data da validade de embalagens;
    • identificar, com selos e carimbos, os produtos acabados;
    • limpar forno e fornalha;
    • limpar grãos, cereais e especiarias;
    • registrar dados dos produtos não-conformes;
    • exercer liderança;
    • classificar tipos de impurezas;
    • demonstrar iniciativa;
    • peletizar produtos;
    • identificar necessidade de manutenção em equipamentos;


    Setores que mais contratam Operador de moinho de farinha crua no mercado de trabalho

    • Carga e descarga
    • Fabricação de óleos vegetais em bruto, exceto óleo de milho
    • Comércio atacadista de soja
    • Produção de sementes certificadas, exceto de forrageiras para pasto
    • Moagem de trigo e fabricação de derivados
    • Fabricação de farinha de mandioca e derivados
    • Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas
    • Abate de aves
    • Construção de edifícios
    • Fabricação de alimentos para animais




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: