Salário para o cargo de Chefe de confeitaria
CBO 8401-20 > Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo

Chefe de confeitaria - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Planejam, coordenam e controlam processos de produção de alimentos, bebidas e fumo. Supervisionam e treinam equipes de trabalho diretamente envolvidas com a produção (trabalhadores de chão de fábrica). Elaboram documentação técnica (relatórios e planilhas com dados da produção, manuais de procedimentos operacionais, escalas de serviços e outras) e promovem melhorias no processo de produção. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos e de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Quanto ganha um Chefe de confeitaria

Um Chefe de confeitaria trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.217,44 e R$ 4.688,07, com a média salarial de R$ 2.097,11 e o salário mediana em R$ 1.751,81 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chefe de confeitaria

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.097,11 25.165,37 524,28 9,72
1º Quartil 1.217,44 14.609,30 304,36 5,65
Salário Mediana 1.751,81 21.021,72 437,95 8,12
3º Quartil 3.575,32 42.903,89 893,83 16,58
Teto Salarial 4.688,07 56.256,87 1.172,02 21,74


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo
      • Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo
        • Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.566 - 5.871 2.771,03 1.565,71 2.214,50 4.847,23 5.871,11
Rio de Janeiro - RJ 1.463 - 5.397 2.529,63 1.462,93 2.206,29 4.456,08 5.397,34
Brasília - DF 1.114 - 3.283 1.633,46 1.113,73 1.329,21 2.710,60 3.283,16
Porto Alegre - RS 1.114 - 2.382 1.458,95 1.113,86 1.344,00 1.966,80 2.382,25
Belo Horizonte - MG 1.150 - 2.627 1.621,64 1.150,00 1.630,22 2.168,81 2.626,93
Curitiba - PR 1.334 - 3.563 1.969,09 1.334,00 1.806,90 2.941,33 3.562,63
Porto Seguro - BA 1.165 - 2.187 1.477,72 1.165,45 1.500,00 1.805,96 2.187,44
Florianópolis - SC 1.391 - 3.521 2.024,18 1.391,00 1.907,05 2.906,67 3.520,64
Salvador - BA 1.203 - 2.796 1.585,96 1.202,79 1.500,00 2.308,67 2.796,33
Fortaleza - CE 1.055 - 3.872 1.836,01 1.055,00 1.700,05 3.196,67 3.871,90
Recife - PE 1.172 - 3.164 1.922,19 1.172,00 1.848,00 2.612,50 3.164,34
Inhumas - GO 1.045 - 1.809 1.134,64 1.045,00 1.045,00 1.493,19 1.808,59
Balneário Camboriú - SC 1.583 - 2.883 1.859,30 1.583,00 1.800,00 2.380,50 2.883,33
Cuiabá - MT 1.048 - 1.369 1.090,56 1.047,50 1.100,00 1.130,00 1.368,69
Natal - RN 1.048 - 2.955 1.513,01 1.047,82 1.192,60 2.439,30 2.954,55
Joinville - SC 2.050 - 3.007 2.202,75 2.050,00 2.100,00 2.483,00 3.007,48
Iacanga - SP 1.488 - 1.897 1.546,34 1.487,63 1.565,91 1.565,91 1.896,68
Balsamo - SP 1.300 - 1.817 1.386,86 1.300,00 1.304,00 1.500,00 1.816,85
Santa Maria de Itabira - MG 1.178 - 1.458 1.199,67 1.178,00 1.204,00 1.204,00 1.458,32
São José do Rio Preto - SP 1.465 - 2.014 1.623,44 1.465,20 1.663,00 1.663,00 2.014,28


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.452 - 5.405 2.541,10 1.452,08 2.000,00 4.462,46 5.405,06
Rio Grande do Sul 1.237 - 3.584 1.837,79 1.236,89 1.584,50 2.958,86 3.583,86
Santa Catarina 1.517 - 3.564 2.094,78 1.517,49 1.980,00 2.942,40 3.563,92
Rio de Janeiro 1.392 - 5.934 2.552,80 1.391,56 1.957,50 4.899,18 5.934,04
Minas Gerais 1.163 - 2.754 1.640,77 1.163,09 1.595,83 2.273,59 2.753,84
Paraná 1.355 - 3.949 2.080,57 1.354,84 1.856,40 3.260,29 3.948,96
Bahia 1.166 - 3.079 1.654,48 1.165,75 1.500,00 2.542,32 3.079,33
Distrito Federal 1.114 - 3.283 1.633,46 1.113,73 1.329,21 2.710,60 3.283,16
Goiás 1.045 - 3.601 1.772,41 1.045,00 1.642,40 2.973,04 3.601,04
Pernambuco 1.199 - 4.556 2.294,86 1.199,37 2.000,00 3.761,70 4.556,28
Mato Grosso 1.051 - 2.247 1.345,62 1.051,00 1.130,00 1.855,34 2.247,24
Ceará 1.068 - 3.570 1.729,04 1.067,50 1.500,00 2.947,50 3.570,10
Rio Grande do Norte 1.048 - 2.955 1.511,71 1.047,82 1.346,30 2.439,30 2.954,55
Pará 1.045 - 1.522 1.154,64 1.045,00 1.150,00 1.256,52 1.521,93
Rondônia 1.178 - 2.422 1.671,94 1.178,00 1.776,83 2.000,00 2.422,46
Alagoas 1.230 - 7.267 2.539,19 1.230,32 2.132,90 6.000,00 7.267,38
Espírito Santo 1.477 - 2.786 1.840,30 1.477,00 1.857,30 2.300,00 2.785,83
Sergipe 1.045 - 1.509 1.140,08 1.045,00 1.093,00 1.246,14 1.509,36


Principais locais de trabalho

Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo atuam na fabricação de produtos alimentares, de bebidas e de fumo como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão ocasional, em ambiente fechado e no sistema de rodízio de turnos (diurno/noturno). No desenvolvimento de algumas atividades podem permanecer expostos à ação de ruído intenso, baixas ou altas temperaturas e umidade.


O que é preciso para trabalhar na área dos Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo

Para o exercício desse cargo requer-se ensino médio concluído e curso técnico na área de atuação oferecido por instituições de formação profissional ou escolas técnicas. Dependendo da ocupação exercida, o pleno desempenho das atividades pode ser alcançado entre um e cinco anos de experiência profissional.


Funções e atividades do Chefe de confeitaria

Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • promover melhorias no processo de produção;
  • supervisionar pessoas;
  • treinar pessoas;
  • elaborar documentos;
  • planejar o processo de produção;
  • coordenar o processo de produção;
  • controlar o processo de produção;

  • Atividades

    • orientar equipe para o cumprimento de normas governamentais e internas;
    • demonstrar organização;
    • estabelecer padrões técnicos do processo de produção;
    • identificar necessidades de treinamento;
    • requisitar a manutenção de equipamentos e máquinas;
    • estimular o desenvolvimento de competências pessoais;
    • definir ações emergenciais;
    • indicar pessoas para capacitação profissional;
    • buscar atualização técnica;
    • quantificar matérias-primas e insumos;
    • identificar anomalias do processo (não-conformidades);
    • definir incentivos à produtividade da equipe;
    • definir itens (temperatura, ph) de controle de processo;
    • cumprir o plano de manutenção e de higienização;
    • sintetizar informações e ideias;
    • informar as metas da empresa à equipe de trabalho;
    • monitorar o cumprimento de programas de segurança (bpf, appcc);
    • quantificar necessidade de pessoal;
    • controlar estoques (matéria prima, insumos e produtos acabados);
    • dimensionar linhas de produção;
    • delegar funções e responsabilidades;
    • demonstrar agilidade;
    • alocar recursos conforme o planejamento da produção;
    • comunicar-se;
    • elaborar parecer técnico;
    • avaliar a satisfação dos clientes internos;
    • selecionar pessoas de acordo com perfis estabelecidos;
    • exercer liderança;
    • estabelecer cronograma de atividades;
    • avaliar desempenho da equipe;
    • identificar capacidades de máquinas e equipamentos;
    • alocar colaboradores de acordo com aptidões;
    • definir indicadores de desempenho;
    • elaborar planilhas;
    • atuar com visão sistêmica;
    • analisar resultados de ações corretivas;
    • cumprir normas de segurança ambiental e uso do equipamento de proteção individual (epi);
    • desdobrar metas estabelecidas em planos de ações;
    • estabelecer medidas para a redução de desperdícios, retrabalho de rendimento;
    • inspecionar, visualmente e ou por instrumento, as condições de máquinas e equipamentos;
    • verificar registro de controle de processo e produto, por meio de instrumentos, análises e relatórios;
    • controlar a movimentação de pessoas (férias, folgas, promoções);
    • monitorar o cumprimento dos padrões técnicos referentes aos processos e produtos;
    • elaborar procedimentos operacionais;
    • agir com ética profissional;
    • priorizar ações corretivas;
    • demonstrar capacidade de discriminação de características organolépticas;
    • monitorar a qualidade dos processos e dos produtos;
    • identificar perfis adequados ao processo produtivo;
    • propor novas soluções para ações corretivas;
    • atuar com responsabilidade;
    • elaborar manuais operacionais para treinamento;
    • elaborar relatórios;


    Setores que mais contratam Chefe de confeitaria no mercado de trabalho

    • Padaria e confeitaria com predominância de revenda
    • Hotéis
    • Restaurantes e similares
    • Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - supermercados
    • Fabricação de produtos de padaria e confeitaria com predominância de produção própria
    • Lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares
    • Fabricação de outros produtos alimentícios não especificados anteriormente
    • Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - minimercados, mercearias e armazéns
    • Fabricação de produtos de panificação industrial
    • Serviços de alimentação para eventos e recepções - bufê




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: