Salário para o cargo de Torrador de café
CBO 8416-10 > Trabalhadores na industrialização de café, cacau, mate e de produtos afins

Torrador de café - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Recebem matérias-primas (grãos, de café, cacau e folhas de chá), coletando amostras para análise, conferindo peso, umidade e quantidade, separando, etiquetando e registrando lotes. Preparam a blend, selecionando e misturando tipos específicos de um só produto. Secam, torram e moem grãos e folhas. Processam café solúvel. Operam máquinas e equipamentos e realizam passagem de turno, substituindo equipes de trabalho. Trabalham seguindo normas de segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Quanto ganha um Torrador de café

Um Torrador de café trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.060,65 e R$ 2.655,89, com a média salarial de R$ 1.416,57 e o salário mediana em R$ 1.300,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Torrador de café

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.416,57 16.998,90 354,14 6,62
1º Quartil 1.060,65 12.727,83 265,16 4,96
Salário Mediana 1.300,00 15.600,00 325,00 6,07
3º Quartil 2.025,49 24.305,94 506,37 9,46
Teto Salarial 2.655,89 31.870,68 663,97 12,41


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo
      • Operadores de equipamentos na preparação de alimentos e bebidas
        • Trabalhadores na industrialização de café, cacau, mate e de produtos afins

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.057 - 2.100 1.238,54 1.057,00 1.069,00 1.733,46 2.099,62
São Mateus - ES 1.066 - 1.617 1.130,27 1.065,57 1.069,00 1.335,00 1.616,99
Varginha - MG 1.147 - 1.697 1.319,29 1.146,69 1.400,00 1.400,86 1.696,76
Rondonópolis - MT 1.106 - 1.365 1.122,83 1.106,15 1.127,00 1.127,00 1.365,06
Paranaíba - MS 1.407 - 2.077 1.524,40 1.407,00 1.500,00 1.715,00 2.077,26
São José da Lapa - MG 1.140 - 1.512 1.217,38 1.139,50 1.241,00 1.248,00 1.511,62
Espirito Santo do Pinhal - SP 1.270 - 2.180 1.613,06 1.270,00 1.685,12 1.800,00 2.180,21
Sertanópolis - PR 1.280 - 2.076 1.448,98 1.280,00 1.425,00 1.713,86 2.075,88
Irupi - ES 1.045 - 1.266 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.265,74
Belo Horizonte - MG 1.077 - 1.575 1.113,88 1.076,66 1.076,66 1.300,00 1.574,60
Fernandópolis - SP 1.398 - 1.894 1.449,27 1.397,76 1.443,60 1.563,62 1.893,90


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.063 - 2.431 1.427,61 1.062,50 1.323,30 2.007,07 2.431,02
Minas Gerais 1.065 - 2.336 1.384,42 1.065,30 1.248,00 1.928,76 2.336,18
Espírito Santo 1.054 - 1.792 1.164,54 1.053,73 1.069,00 1.479,55 1.792,08
Paraná 1.227 - 3.011 1.614,79 1.227,04 1.425,00 2.485,77 3.010,84
Mato Grosso 1.117 - 2.273 1.328,88 1.116,50 1.127,00 1.876,75 2.273,18
Bahia 1.045 - 1.899 1.253,42 1.045,00 1.100,00 1.567,45 1.898,54
Mato Grosso do Sul 1.407 - 2.077 1.522,18 1.407,00 1.500,00 1.715,00 2.077,26
Goiás 1.045 - 3.232 1.946,08 1.045,00 2.057,75 2.668,00 3.231,56


Principais locais de trabalho

Trabalhadores na industrialização de café, cacau, mate e de produtos afins atuam na fabricação de produtos alimentícios e bebidas como empregados com carteira assinada. Trabalham em equipe, sob supervisão permanente, em ambiente fechado e no sistema de rodízio de turnos. No desenvolvimento de algumas atividades permanecem em posições desconfortáveis por longos períodos e expostos a ruído intenso e altas temperaturas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Trabalhadores na industrialização de café, cacau, mate e de produtos afins

Para o exercício desse cargo requer-se ensino médio concluído e curso técnico na área de atuação. O pleno desempenho das atividades ocorre entre um e dois anos de experiência profissional.


Funções e atividades do Torrador de café

Trabalhadores na industrialização de café, cacau, mate e de produtos afins devem:

  • receber a matéria-prima (grãos de café, cacau e folhas de chá);
  • demonstrar competências pessoais;
  • torrar grãos e folhas;
  • trabalhar com segurança;
  • processar o café solúvel;
  • moer grãos e folhas;
  • preparar a blend (mistura de tipos específicos de um só produto);
  • realizar passagem de turno (substituição da equipe de trabalho);
  • secar grãos e folhas;
  • realizar operação de máquinas e equipamentos;

  • Atividades

    • monitorar o fluxo do extrato no secador;
    • socar chimarrão;
    • exercer liderança;
    • demonstrar iniciativa;
    • embalar o produto;
    • abastecer o torrador;
    • registrar anomalias no livro de ocorrências;
    • programar equipamento seguindo a formulação especificada;
    • prestar primeiros-socorros;
    • centrifugar o extrato do café solúvel (composto líquido);
    • alimentar continuamente a fornalha (lenha, glp);
    • etiquetar lote por produto (data, número, peso, cliente e tipo de produto);
    • substituir data de fabricação e validade no equipamento (datador);
    • demonstrar dinamismo;
    • conferir quantidade de grão de café, cacau e folhas de chá;
    • detectar impurezas;
    • separar lote por produto (grão de café, cacau e folhas de chá);
    • sinalizar áreas de risco;
    • demonstrar boa acuidade visual;
    • combater princípios de incêndio;
    • separar tipos de produto por quantidade, qualidade e granulometria;
    • efetuar pré-análise do extrato do café solúvel;
    • misturar folhas e talos de ervas (chimarrão);
    • alterar a quantidade dos produtos na mistura;
    • programar a balança de mistura;
    • detectar impurezas utilizando peneiras, imãs e outros instrumentos;
    • pré-aquecer grãos;
    • classificar tipos de folhas;
    • sapecar as folhas para chá;
    • controlar as fases do processo de produção: cor, umidade, concentração, granulometria, ph, sedimento;
    • checar nível de óleo, temperatura, vasão e ruído dos equipamentos;
    • interpretar dados no livro de ocorrências;
    • monitorar quantidade de extrato por coluna;
    • separar nibs (pequenos pedaços de grãos de cacau);
    • coletar amostras para análise;
    • carregar colunas extratoras;
    • pré-moer grãos;
    • abastecer silos pré-granuladores;
    • adicionar água na coluna pressurizada para obtenção do extrato;
    • conferir peso, umidade e quantidade;
    • classificar tipos de folhas utilizando peneiras;
    • informar verbalmente as condições dos equipamentos e processos;
    • colocar grãos de café em repouso;
    • inspecionar equipamentos de segurança;
    • concentrar o extrato do café;
    • seguir normas e procedimentos;
    • conferir o peso do produto por mistura (blend);
    • receber informações do turno anterior;
    • resfriar grãos de café, cacau e folhas de chá;
    • selecionar tipos específicos de um só produto (café, cacau, chá);
    • repetir as etapas do processo para reaproveitamento do produto;
    • realizar pequenos reparos em máquinas e equipamentos;
    • controlar a temperatura do secador;
    • buscar autocontrole;
    • comunicar-se;
    • triturar grãos de cacau;
    • solicitar serviços de manutenção;
    • planejar parada do equipamento para manutenção;
    • abastecer silo do moinho;
    • utilizar equipamentos de proteção individual;
    • manusear válvulas para controle da passagem dos produtos;
    • controlar o ph dos grãos de café e cacau;
    • ligar máquinas e equipamentos;
    • embalar o pó do café solúvel;
    • manifestar criatividade;
    • efetuar limpeza das máquinas e equipamentos;
    • estabelecer relacionamento interpessoal;
    • controlar variáveis da extração do café solúvel (vazão, temperatura, pressão e outras);
    • acender a fornagem (lenha, diesel, glp);
    • abastecer o secador;
    • descascar grãos de cacau;
    • armazenar o produto acabado;
    • fornecer informações sobre segurança, saúde e riscos ambientais;
    • registrar a quantidade dos produtos recebidos;
    • analisar as prioridades do setor de produção;
    • inspecionar visualmente a qualidade do pó de café solúvel;
    • degustar a mistura (blend);
    • sinalizar área de armazenamento;
    • conferir pesagem;
    • responsabilizar-se;
    • acionar rolos granuladores;
    • encaminhar amostra da blend para o controle de qualidade;


    Setores que mais contratam Torrador de café no mercado de trabalho

    • Torrefação e moagem de café
    • Comércio atacadista de café em grão
    • Cultivo de mamão
    • Cultivo de café
    • Beneficiamento de café
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Armazéns gerais - emissão de warrant
    • Fabricação de massas alimentícias
    • Cultivo de cacau
    • Cultivo de coco-da-baía




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Educador social de rua
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Educador social de rua