Salário para o cargo de Analista técnico de sinistros
CBO 3517-10 > Técnicos de seguros

Analista técnico de sinistros - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Contatam corretores, segurados e equipe de trabalho, para comercializar seguros e para facilitar o relacionamento empresa- cliente, subscrevem e inspecionam riscos, operacionalizam cálculos de prêmios e outros procedimentos para cessão e recuperação de resseguros e co-seguros, executam regulação e liquidação de sinistros. Desenvolvem novas modalidades de seguros. Elaboram documentação técnica.

Quanto ganha um Analista técnico de sinistros

Um Analista técnico de sinistros trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.301,10 e R$ 6.189,21, com a média salarial de R$ 2.585,77 e o salário mediana em R$ 2.077,98 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Analista técnico de sinistros

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.585,77 31.029,22 646,44 12,35
1º Quartil 1.301,10 15.613,15 325,27 6,22
Salário Mediana 2.077,98 24.935,76 519,50 9,93
3º Quartil 4.720,16 56.641,91 1.180,04 22,55
Teto Salarial 6.189,21 74.270,57 1.547,30 29,57


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nivel médio nas ciências administrativas
      • Técnicos das ciências administrativas
        • Técnicos de seguros

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.671 - 7.396 3.323,84 1.671,40 2.692,80 6.105,83 7.395,56
Rio de Janeiro - RJ 1.670 - 6.373 2.923,62 1.670,38 2.358,30 5.261,90 6.373,37
Belo Horizonte - MG 1.166 - 4.164 2.000,88 1.166,33 1.600,00 3.437,48 4.163,58
Contagem - MG 1.181 - 3.038 1.777,18 1.181,29 1.700,00 2.508,55 3.038,43
Curitiba - PR 1.413 - 4.645 2.368,10 1.413,30 2.058,55 3.834,79 4.644,81
Goiânia - GO 1.057 - 2.766 1.520,67 1.057,22 1.400,00 2.283,57 2.765,93
Brasília - DF 1.630 - 6.237 3.113,43 1.630,44 2.762,18 5.149,34 6.237,03
Porto Alegre - RS 1.531 - 5.654 2.685,49 1.531,13 2.415,76 4.668,36 5.654,45
Vila Velha - ES 1.889 - 3.235 2.314,30 1.889,33 2.368,00 2.671,00 3.235,20
Barueri - SP 1.654 - 5.288 2.803,38 1.654,11 2.580,54 4.365,50 5.287,62
Itajaí - SC 1.373 - 2.395 1.549,30 1.372,87 1.387,97 1.976,92 2.394,51
Natal - RN 1.199 - 1.498 1.206,95 1.199,00 1.199,00 1.236,75 1.497,99
Ribeirão Preto - SP 1.255 - 4.016 2.234,91 1.254,57 2.053,80 3.315,25 4.015,53
Guarulhos - SP 1.714 - 5.257 2.456,86 1.714,37 2.002,78 4.340,07 5.256,82
Blumenau - SC 1.628 - 3.446 2.178,61 1.628,00 2.040,00 2.844,71 3.445,60
Manaus - AM 1.045 - 1.893 1.191,44 1.045,00 1.045,00 1.562,74 1.892,83
Uberlândia - MG 1.156 - 4.556 2.190,25 1.155,64 2.000,00 3.761,22 4.555,70
Ponta Grossa - PR 1.216 - 2.422 1.462,49 1.215,58 1.250,00 2.000,00 2.422,46
Vitoria - ES 1.237 - 2.061 1.484,65 1.237,07 1.500,00 1.701,55 2.060,96
São Bernardo do Campo - SP 1.266 - 3.972 2.178,54 1.265,57 1.900,00 3.279,57 3.972,31


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.535 - 6.761 3.029,43 1.535,11 2.500,00 5.581,65 6.760,66
Minas Gerais 1.171 - 3.883 1.948,63 1.170,89 1.700,00 3.205,96 3.883,15
Rio de Janeiro 1.601 - 6.171 2.812,42 1.600,81 2.181,50 5.094,74 6.170,91
Paraná 1.165 - 4.179 2.025,60 1.165,26 1.682,00 3.450,38 4.179,20
Santa Catarina 1.369 - 3.504 1.946,84 1.369,38 1.738,00 2.892,55 3.503,54
Espírito Santo 1.305 - 3.078 1.971,72 1.305,09 2.210,00 2.541,14 3.077,91
Rio Grande do Sul 1.376 - 5.183 2.455,41 1.375,88 2.000,00 4.278,92 5.182,76
Goiás 1.056 - 2.707 1.502,41 1.056,00 1.400,00 2.235,22 2.707,36
Distrito Federal 1.630 - 6.237 3.113,43 1.630,44 2.762,18 5.149,34 6.237,03
Rio Grande do Norte 1.199 - 1.498 1.206,95 1.199,00 1.199,00 1.236,75 1.497,99
Amazonas 1.045 - 1.893 1.191,44 1.045,00 1.045,00 1.562,74 1.892,83
Mato Grosso 1.101 - 3.290 1.626,70 1.100,62 1.174,02 2.716,25 3.290,00
Bahia 1.045 - 4.700 1.925,82 1.045,00 1.566,00 3.880,61 4.700,32
Pará 1.170 - 2.634 1.723,82 1.170,27 1.750,00 2.175,00 2.634,43
Ceará 1.045 - 3.634 1.615,08 1.045,00 1.500,00 3.000,00 3.633,69
Pernambuco 1.350 - 2.180 1.516,67 1.350,00 1.400,00 1.800,00 2.180,21
Mato Grosso do Sul 1.360 - 2.422 1.536,60 1.360,00 1.463,00 2.000,00 2.422,46


Principais locais de trabalho

Técnicos de seguros trabalham em empresas de seguros e de previdência privada, empresas de economia mista e órgãos governamentais da área securitária. O trabalho é realizado em ambientes fechados, nos horários diurnos. São trabalhadores celetistas ou estatutários e se organizam em equipe, sob supervisão. Eventualmente, estão sujeitos a pressões no trabalho que podem ocasionar estresse.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos de seguros

O exercício desse cargo requer escolaridade de nível médio e cursos profissionalizantes de duzentas a quatrocentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades, ocorre após três a quatro anos de experiência. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Analista técnico de sinistros

Técnicos de seguros devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • inspecionar riscos;
  • executar regulação e liquidação de sinistros;
  • desenvolver produtos;
  • operacionalizar cessão e recuperação de resseguros e cosseguros;
  • comercializar seguros;
  • elaborar documentação técnica;
  • subscrever riscos;

  • Atividades

    • monitorar resultados da carteira;
    • implementar parcerias com corretores e outros canais de distribuição;
    • verificar implementação das medidas sugeridas;
    • criar normas e procedimentos internos;
    • avaliar danos e orçamentos;
    • calcular prêmios;
    • elaborar relatórios de inspeção e vistoria;
    • analisar relatórios de inspeção, laudos médicos e questionários;
    • consultar demais áreas da empresa;
    • negociar orçamentos;
    • encaminhar processos para ressarcimento e ou recuperação;
    • testar equipamentos de segurança contra incêndio;
    • solicitar adiantamento de recuperação;
    • sugerir valor segurável;
    • informar dados para elaboração de nota técnica (custo de comercialização, sinistralidade);
    • redigir condições contratuais para novos produtos;
    • levantar necessidades dos clientes;
    • calcular prêmios e recuperação de resseguros;
    • apurar índice de sinistralidade do segurado;
    • identificar novos nichos de mercado;
    • submeter propostas às normas de subscrição da companhia;
    • transmitir informações sobre necessidades de clientes;
    • demonstrar senso de observação;
    • promover ajustes no produto;
    • divulgar produtos;
    • liquidar sinistro (pagamento ao beneficiário ou ao segurado);
    • pesquisar legislação;
    • solicitar documentação;
    • agir com objetividade;
    • conceituar o produto;
    • encerrar processos;
    • identificar exposição e agravação física e moral do risco;
    • enquadrar propostas às condições de resseguro e cosseguro da companhia;
    • registrar sinistros;
    • incrementar produção junto aos canais de distribuição;
    • analisar contrato;
    • requisitar laudos médicos e inspeções;
    • raciocinar de forma lógica;
    • dar suporte técnico e comercial aos clientes;
    • expressar-se de forma oral e escrita;
    • recomendar medidas de prevenção de perdas;
    • preparar documentação e relação de sinistros pendentes e pagos;
    • demonstrar capacidade de pesquisa;
    • juntar documentação para licitações;
    • auxiliar no treinamento e desenvolvimento de pessoal envolvido com o produto;
    • avaliar dinâmica do sinistro, com nexo causal (causa e efeito);
    • agir com empatia;
    • obter aprovação interna do produto;
    • obter informações sobre características físicas e morais do risco;
    • captar novos negócios e clientes;
    • comparar produtos de concorrentes;
    • fornecer cotação e condições do seguro;
    • definir procedimentos de inspeção;
    • preparar relatório técnico de sinistros;
    • agir com persuasão;
    • apurar rentabilidade do seguro;
    • analisar condições propostas para o seguro;
    • verificar documentação do objeto de inspeção;
    • avisar ressegurador e cossegurados dos sinistros ocorridos;
    • recepcionar pedidos de cotação e ou propostas;
    • pesquisar mercado concorrente;
    • elaborar parecer técnico;
    • conciliar conta corrente com ressegurador e co-segurador;
    • processar documentos (apólices, aditamentos, endossos, averbações);
    • propor sindicância;
    • agendar inspeção;
    • fotografar objeto do seguro;
    • demonstrar capacidade de decisão;
    • acompanhar implementação do produto;
    • dar provas de credibilidade;
    • enviar avisos de renovação de seguros;
    • assistir ao desenvolvimento do sistema de informática;
    • agir com paciência;
    • demonstrar flexibilidade;
    • preparar documentação e relação de riscos cedidos (mapa ou borderô);


    Setores que mais contratam Analista técnico de sinistros no mercado de trabalho

    • Seguros não-vida
    • Corretores e agentes de seguros, de planos de previdência complementar e de saúde
    • Peritos e avaliadores de seguros
    • Atividades associativas
    • Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas
    • Serviços combinados de escritório e apoio administrativo
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Seguros de vida
    • Preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo não especificados anteriormente
    • Atividades de teleatendimento




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Instrutor educacional
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Instrutor educacional