Salário para o cargo de Supervisor de injeção de confecção de calçados
CBO 7604-05 > Supervisores na confecção de calçados

Supervisor de injeção de confecção de calçados - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Realizam gestão de recursos humanos, selecionando, treinando e orientando diretamente uma equipe de trabalho de chão de fábrica, tanto da empresa quanto dos serviços sub-contratados. Supervisionam e administram metas de produção, controlam a qualidade dos produtos e asseguram a manutenção de máquinas e equipamentos. Adotam estratégias para facilitar a integração com clientes internos e externos. Administram custos. Coordenam ações para garantir higiene e segurança no trabalho, qualidade e preservação ambiental.

Quanto ganha um Supervisor de injeção de confecção de calçados

Um Supervisor de injeção de confecção de calçados trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.696,92 e R$ 5.025,74, com a média salarial de R$ 2.537,82 e o salário mediana em R$ 2.248,19 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Supervisor de injeção de confecção de calçados

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.537,82 30.453,89 634,46 11,61
1º Quartil 1.696,92 20.363,09 424,23 7,76
Salário Mediana 2.248,19 26.978,28 562,05 10,29
3º Quartil 3.832,84 45.994,10 958,21 17,53
Teto Salarial 5.025,74 60.308,84 1.256,43 22,99


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestúario e das artes gráficas
      • Supervisores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestuário e das artes gráficas
        • Supervisores na confecção de calçados

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Nova Serrana - MG 1.250 - 3.956 2.180,78 1.250,37 2.070,00 3.265,82 3.955,66
Franca - SP 1.658 - 4.607 2.611,78 1.658,27 2.500,00 3.803,21 4.606,56
Sapiranga - RS 1.566 - 5.210 2.696,28 1.566,35 2.500,00 4.301,58 5.210,21
São João Batista - SC 1.594 - 4.157 2.378,21 1.594,41 2.280,00 3.432,29 4.157,29
Birigui - SP 1.501 - 4.827 2.492,35 1.501,18 2.200,00 3.985,59 4.827,46
Novo Hamburgo - RS 1.446 - 5.023 2.545,20 1.445,93 2.300,00 4.147,21 5.023,22
Jau - SP 1.574 - 4.168 2.365,75 1.574,08 2.179,10 3.441,30 4.168,21
Rolante - RS 1.623 - 4.914 2.600,18 1.622,53 2.375,00 4.056,63 4.913,51
Três Coroas - RS 1.651 - 5.478 2.681,69 1.650,88 2.367,20 4.522,44 5.477,72
Dois Irmãos - RS 1.910 - 5.592 3.231,17 1.909,63 3.285,98 4.616,56 5.591,71
Parobe - RS 1.620 - 4.682 2.663,55 1.619,81 2.590,83 3.865,10 4.681,53
Igrejinha - RS 1.528 - 5.241 2.667,42 1.528,17 2.285,80 4.326,98 5.240,96
Campo Bom - RS 1.382 - 5.707 2.723,33 1.381,56 2.270,05 4.711,99 5.707,30
Perdigão - MG 1.908 - 4.024 2.470,89 1.908,30 2.344,43 3.322,55 4.024,38
Vitoria da Conquista - BA 1.451 - 3.702 2.146,77 1.450,52 1.995,40 3.056,01 3.701,53
Itarantim - BA 1.123 - 3.028 1.574,89 1.123,33 1.374,54 2.499,91 3.027,96
Taquara - RS 1.664 - 4.016 2.667,54 1.664,14 2.830,00 3.315,91 4.016,32
Nova Hartz - RS 1.583 - 6.711 3.087,41 1.582,73 2.534,40 5.541,05 6.711,48
Estancia Velha - RS 1.593 - 5.337 2.738,40 1.592,99 2.550,00 4.405,92 5.336,59
Teutonia - RS 2.251 - 5.376 3.286,58 2.251,47 3.211,19 4.438,86 5.376,48


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Rio Grande do Sul 1.556 - 5.330 2.752,93 1.556,34 2.500,00 4.400,60 5.330,14
Minas Gerais 1.203 - 3.944 2.140,67 1.202,63 2.043,00 3.255,98 3.943,74
São Paulo 1.614 - 4.800 2.601,60 1.613,80 2.448,60 3.963,12 4.800,25
Bahia 1.271 - 4.628 2.266,27 1.271,09 1.995,40 3.820,60 4.627,63
Ceará 1.303 - 6.608 2.774,09 1.303,31 2.099,00 5.455,29 6.607,61
Santa Catarina 1.611 - 4.275 2.423,93 1.610,63 2.285,50 3.529,26 4.274,74
Paraíba 1.502 - 7.171 3.888,79 1.502,37 4.200,00 5.920,61 7.171,22
Paraná 1.592 - 6.611 3.006,29 1.591,80 2.600,00 5.457,93 6.610,81
Rio de Janeiro 1.606 - 5.107 2.718,47 1.605,90 2.621,81 4.216,57 5.107,23
Sergipe 1.170 - 2.234 1.350,78 1.170,40 1.170,40 1.844,70 2.234,36
Espírito Santo 1.364 - 5.784 2.760,57 1.364,32 2.029,00 4.775,00 5.783,62
Mato Grosso do Sul 2.023 - 8.312 4.130,64 2.023,42 2.913,00 6.862,17 8.311,66
Maranhão 1.200 - 3.877 1.839,29 1.200,00 1.500,00 3.200,51 3.876,56
Goiás 1.652 - 4.063 2.288,75 1.651,68 2.174,04 3.354,50 4.063,07
Pará 1.775 - 3.977 2.279,27 1.775,42 2.134,65 3.283,75 3.977,37
Pernambuco 1.386 - 6.407 2.685,13 1.386,12 2.000,00 5.289,54 6.406,85
Distrito Federal 1.050 - 4.002 2.027,43 1.050,00 1.300,00 3.303,86 4.001,73


Principais locais de trabalho

Supervisores na confecção de calçados atuam na fabricação de calçados, artefatos de couro e artigos de viagem como empregados com carteira assinada. O trabalho é organizado em equipe (células de produção, linhas de montagem ou grupos compactos), com supervisão permanente, em ambiente fechado e em rodízio de turnos (diurno/noturno). Trabalham sob pressão, o que pode levar a situação de estresse, e em posições desconfortáveis durante longos períodos. Ficam expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso e altas temperaturas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Supervisores na confecção de calçados

Para o exercício dessa ocupação requer-se ensino médio completo e curso básico de qualificação profissional com até duzentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades ocorre entre quatro e cinco anos de experiência profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Supervisor de injeção de confecção de calçados

Supervisores na confecção de calçados devem:

  • conservar máquinas e equipamentos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • controlar a qualidade da produção;
  • atingir as metas de produção;
  • supervisionar a produção;
  • gerir recursos humanos;
  • facilitar a integração com clientes internos e externos;
  • proporcionar condições de segurança no ambiente de trabalho;
  • administrar custos;

  • Atividades

    • propiciar o bem estar no ambiente de trabalho;
    • assegurar a organização e limpeza do setor;
    • dar provas de flexibilidade para mudanças no processo produtivo;
    • incentivar a valorização da marca do produto da empresa;
    • assegurar o padrão de qualidade do produto;
    • motivar equipe de trabalho;
    • promover disseminação de informações sobre saúde e segurança;
    • realizar analises de custo/benefício;
    • liderar equipe de trabalho;
    • administrar alocação da equipe de trabalho;
    • orientar a equipe de trabalho sobre normas e procedimentos da empresa;
    • elaborar quadro de polivalência;
    • realizar campanhas de redução de custos e desperdícios;
    • acompanhar gráficos de testes e ensaios de matéria-prima e produtos;
    • avaliar desempenho de resultados (dados estatísticos);
    • estimular iniciativa da equipe de trabalho;
    • acompanhar a realização de tarefas;
    • analisar gráficos de testes e ensaios de matéria-prima e produtos;
    • incentivar a prática de polivalência na empresa;
    • oportunizar crescimento profissional dos colaboradores;
    • conservar bens patrimoniais da empresa;
    • instruir equipe de trabalho para utilização de máquinas e equipamentos conforme especificações;
    • evidenciar habilidades comunicativas;
    • realizar controle visual da produção;
    • verificar necessidades dos clientes (internos e externos);
    • conhecer características pessoais de cada colaborador;
    • cumprir planejamento conforme previsão de custos;
    • identificar áreas de risco na empresa;
    • controlar nível de retrabalho;
    • planejar férias da equipe de trabalho;
    • elaborar planilha de controle de custos;
    • elaborar plano de incentivos de alcance de metas de produção e qualidade;
    • cumprir prazo de entrega da produção;
    • manter integração com todos os setores da produção;
    • selecionar rh (recursos humanos) conforme complexidade do produto;
    • conscientizar colaboradores para uso de equipamentos de proteção individual (epi);
    • participar de eventos relacionados ao setor;
    • solucionar problemas em situação de emergência conforme normas e procedimentos;
    • pesquisar informações relacionadas ao setor;
    • elaborar programa de manutenção de máquinas e equipamentos (preventiva/corretiva);
    • evidenciar liderança;
    • realizar atendimento específico conforme necessidade dos clientes;
    • valorizar o marketing pessoal;
    • delegar tarefas;
    • demonstrar senso de autocrítica;
    • administrar conflitos;
    • buscar atualização tecnológica;
    • providenciar dispositivos de segurança em máquinas e equipamentos;
    • orientar equipe para execução do trabalho;
    • evidenciar habilidade criativa;
    • controlar nível de absenteísmo;
    • identificar pontos de gargalo (pontos críticos);
    • informar ao setor de recursos humanos aspectos de saúde e segurança;
    • avaliar planilhas de produção.;
    • facilitar atuação da comissão interna de prevenção de acidentes (cipa);
    • providenciar sinalização das áreas de risco;
    • gerenciar a execução do plano de produção estabelecido;
    • monitorar atendimento aos clientes (internos e externos);
    • colaborar em processos de recrutamento e seleção de pessoal;
    • conduzir equipe para atingir objetivos pré-determinados;
    • providenciar encaminhamento na ocorrência de acidentes;
    • criar dispositivos de sinalização de pontos de gargalo;
    • demonstrar atenção para a questão ambiental;
    • assegurar a limpeza e higiene do ambiente de trabalho;
    • elaborar plano de polivalência;
    • treinar mão-de-obra;
    • interagir com equipe de trabalho para melhorias de processos;
    • analisar resultados do controle de qualidade;
    • apresentar novos métodos e processos a equipe de trabalho;
    • manifestar postura ética e profissional;
    • administrar fichas pessoais de acompanhamento;
    • elaborar mostruário de peças padrão de cada setor;
    • controlar o recebimento de matéria-prima;
    • apresentar retorno a equipe sobre trabalho realizado;
    • manifestar iniciativa;
    • informar colaboradores sobre áreas de risco na empresa;
    • promover cursos e palestras sobre qualidade;
    • seguir as normas e especificações de cada produto;
    • propiciar a integração da equipe de trabalho;
    • interpretar a legislação trabalhista;
    • controlar a rotatividade da equipe de trabalho;
    • buscar melhorias contínuas no processo;
    • definir lay-out conforme produto;
    • demonstrar comprometimento com a missão da empresa;
    • organizar a rotatividade do uso das máquinas e equipamentos;
    • planejar execução das metas de produção;
    • administrar cargos e salários;
    • monitorar condições de funcionamento de máquinas e equipamentos;
    • organizar reuniões para informação profissional e social;
    • aplicar legislação trabalhista;
    • identificar tarefas a seram executadas;
    • dar provas de responsabilidade;
    • monitorar execução do plano de metas da produção;
    • tomar decisões;
    • coordenar todos os processos do setor;


    Setores que mais contratam Supervisor de injeção de confecção de calçados no mercado de trabalho

    • Fabricação de calçados de couro
    • Fabricação de calçados de material sintético
    • Fabricação de tênis de qualquer material
    • Fabricação de calçados de materiais não especificados anteriormente
    • Fabricação de partes para calçados, de qualquer material
    • Acabamento de calçados de couro sob contrato
    • Fabricação de artigos para viagem, bolsas e semelhantes de qualquer material
    • Fabricação de artefatos de material plástico para usos industriais
    • Fabricação de artefatos de couro não especificados anteriormente
    • Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: