Salário para o cargo de Coreógrafo bailarino
Artistas da dança (exceto dança tradicional e popular) > CBO 2628-15

Coreógrafo bailarino - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Concebem e concretizam projeto cênico em dança, realizando montagens de obras coreográficas, executam apresentações públicas de dança e, para tanto, preparam o corpo, pesquisam movimentos, gestos, dança, e ensaiam coreografias. Podem ensinar dança.

Quanto ganha um Coreógrafo bailarino

Um Coreógrafo bailarino trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.766,62 e R$ 4.569,24, com a média salarial de R$ 2.513,77 e o salário mediana em R$ 2.200,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Coreógrafo bailarino

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.513,77 30.165,21 628,44 15,11
1º Quartil 1.766,62 21.199,41 441,65 10,62
Salário Mediana 2.200,00 26.400,00 550,00 13,22
3º Quartil 3.484,70 41.816,34 871,17 20,94
Teto Salarial 4.569,24 54.830,84 1.142,31 27,46


Categorias profissionais do cargo

  • Profissionais das ciências e das artes
    • Comunicadores, artistas e religiosos
      • Profissionais de espetáculos e das artes
        • Artistas da dança (exceto dança tradicional e popular)

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Rio de Janeiro - RJ 2.946 - 4.235 3.129,26 2.945,60 2.945,60 3.496,59 4.235,17


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Rio de Janeiro 1.796 - 4.235 2.938,80 1.796,00 2.945,60 3.496,59 4.235,17
São Paulo 1.725 - 4.845 2.464,95 1.724,77 2.200,00 4.000,00 4.844,92


Principais locais de trabalho

Artistas da dança (exceto dança tradicional e popular) trabalham nas áreas de criação, pesquisa e ensino. Suas atividades são sempre realizadas em equipe e podem se desenvolver tanto em companhias estáveis de bailado, em que predominam os vínculos formais de trabalho, estabilidade no emprego e possibilidade de construir uma carreira, como em cooperativas ou como autônomos, realizando produções independentes. Esta última é a situação da grande maioria dos profissionais, os quais, em geral, se auto- financiam, costumeiramente, exercendo atividades como professores, terapeutas etc. concomitantemente à dança.


O que é preciso para trabalhar na área dos Artistas da dança (exceto dança tradicional e popular)

O exercício das ocupações da família não exige escolaridade formal determinada, embora siga-se a tendência que vem ocorrendo no mundo das artes em geral, rumo à profissionalização. Nesse sentido, torna-se-á cada vez mais desejável que o profissional tenha curso superior na área. Para o exercício pleno das atividades, requer-se mais de cinco anos de experiência.


Funções e atividades do Coreógrafo bailarino

Artistas da dança (exceto dança tradicional e popular) devem:

  • realizar apresentação pública de dança;
  • ensinar dança;
  • conceber projeto cênico em dança;
  • concretizar projeto cênico realizando montagem da obra coreográfica;
  • ensaiar coreografia;
  • demonstrar competências pessoais;
  • pesquisar movimentos, gestos e dança;
  • preparar o corpo para dança;

  • Atividades

    • executar movimentos (gestos, ações, passos codificados);
    • expressar imagens, ideias, narrativas na obra coreográfica;
    • aquecer-se por meio de exercícios específicos;
    • desenvolver experimentação e improvisos;
    • investigar linguagens;
    • experimentar ações, passos, gestos e movimentos;
    • participar de provas de figurino, maquiagem e adereços;
    • ministrar aulas magnas em dança;
    • conhecer seus limites psicofísicos;
    • ensinar técnicas e métodos de composição;
    • gerir projeto em conjunto com produção executiva e direção artística;
    • ensinar técnicas corporais;
    • construir qualidade dramática do e pelo movimento;
    • supervisionar equipe de música;
    • ensinar técnicas e métodos de análise do movimento;
    • selecionar material coletado (objetos, elementos coreográficos, música etc);
    • avaliar natureza e nível de dificuldade dos movimentos;
    • improvisar movimentos;
    • trabalhar em equipe;
    • ampliar a capacidade corporal experimentando várias formas da linguagem da dança;
    • supervisionar equipe de bailarinos;
    • aperfeiçoar técnicas de dança;
    • participar de ensaios gerais;
    • dançar;
    • desenvolver habilidades para maquiagem, caracterização e uso de adereços;
    • desenvolver ideia ou tema;
    • memorizar gestos em seus aspectos sensoriais, cinéticos, espaciais e rítmicos;
    • elaborar ações físicas no espaço e no tempo;
    • criar movimentos nas variadas linguagens de dança;
    • estudar diferentes técnicas, métodos e estilos artísticos;
    • levantar material sobre o tema;
    • supervisionar equipe de iluminação;
    • ensinar técnicas e métodos de improvisação;
    • experimentar movimentos, sequências de movimento;
    • adaptar-se a situações imprevistas;
    • reelaborar gestos, passos e sequências;
    • investigar outras linguagens artísticas (teatro, cinema, circo, etc);
    • interpretar imagens por meio da dança;
    • memorizar situações em seus aspectos sensoriais, cinéticos, espaciais e rítmicos;
    • demonstrar conhecimento dos componentes do espetáculo (espaço cênico, luzes);
    • aumentar capacidade artística por meio de treinamentos específicos;
    • transpor ideias, imagens, sensações em linguagem coreográfica;
    • interpretar ideias e sensações por meio da dança;
    • reciclar professores de dança;
    • definir realização do projeto em conjunto com produção executiva e direção artística;
    • aumentar capacidade de suportar esforços físicos por meio de repetições contínuas;
    • concentrar-se por meio de atividades individuais e coletivas;
    • articular as partes da obra coreográfica;
    • fazer marcações de luz, som, cena, espaço;
    • explorar material coletado (objetos, elementos coreográficos, música etc);
    • experimentar o uso de objetos na dança;
    • expressar sentimentos e sensações na obra coreográfica;
    • liderar equipes;
    • supervisionar equipe de adereços e figurinos;
    • apreender proposta coreográfica;
    • configurar roteiros e ou estruturas coreográficas em movimentos;
    • participar de sessões de registro e gravação de imagens;
    • ensinar dança para amadores;
    • configurar elementos da dança (espaço, tempo, formas, movimento, etc);
    • fazer aulas de diferentes técnicas corporais;
    • supervisionar equipe de cenografia;
    • memorizar sequência de movimentos em seus aspectos sensoriais, cinéticos, espaciais e rítmicos;
    • transmitir proposta coreográfica a diferentes elencos;
    • conceber soluções cênicas;
    • desenvolver capacidade de observação e percepção;
    • interpretar narrativas por meio da dança;
    • desenvolver sensibilidade artística;
    • adotar medidas profiláticas de preservação física;
    • fixar sequência de movimentos;
    • considerar o espaço e o público na concepção cênica;
    • levantar elementos sobre o tema a partir de vários meios (literatura, documentação etc);
    • manter corpo preparado;
    • preparar corpo para realização das propostas estéticas;
    • incorporar diferentes linguagens artísticas;
    • registrar processo de pesquisa desenvolvido por meio gráfico, audiovisual etc;
    • selecionar gestos, passos e sequências;
    • realizar seminários e palestras em dança;
    • coordenar equipes de criação;
    • realizar oficinas de dança;
    • supervisionar equipe de maquiagem e caracterização;
    • selecionar elenco;
    • gerir estratégias de difusão do projeto em conjunto com produção e direção (mídia, imprensa etc);
    • selecionar equipe artística;
    • selecionar técnicas corporais;
    • escolher música, texto, imagens, objetos etc;
    • memorizar ações em seus aspectos sensoriais, cinéticos, espaciais e rítmicos;
    • ensinar técnicas de dança (balé clássico, moderno, contemporâneo, sapateado, etc);
    • supervisionar equipe de multimídia;
    • memorizar movimentos em seus aspectos sensoriais, cinéticos, espaciais e rítmicos;
    • interagir com parceiros de dança;
    • ensinar técnicas e métodos de criação;
    • recriar passos codificados;
    • registrar gestos, passos e sequências;
    • ensinar técnicas de dança para companhias profissionais;
    • desenvolver consciência cinesiológica;


    Setores que mais contratam Coreógrafo bailarino no mercado de trabalho

    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Hotéis
    • Atividades de organizações associativas ligadas à cultura e à arte
    • Ensino fundamental
    • Ensino de arte e cultura não especificado anteriormente
    • Artes cênicas, espetáculos e atividades complementares não especificados anteriormente
    • Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Orientador sócio educativo
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Orientador sócio educativo