Salário para o cargo de Operador de equipamentos de entrada de dados
CBO 4121-10 > Operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados

Operador de equipamentos de entrada de dados - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Organizam a rotina de serviços e realizam entrada e transmissão de dados, operando teleimpressoras e microcomputadores, registram e transcrevem informações, operando máquinas de escrever, atendem necessidades do cliente interno e externo. Supervisionam trabalho e equipe e negociam serviço com cliente.

Quanto ganha um Operador de equipamentos de entrada de dados

Um Operador de equipamentos de entrada de dados trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.079,69 e R$ 2.562,48, com a média salarial de R$ 1.420,98 e o salário mediana em R$ 1.310,83 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de equipamentos de entrada de dados

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.420,98 17.051,81 355,25 7,24
1º Quartil 1.079,69 12.956,25 269,92 5,50
Salário Mediana 1.310,83 15.729,96 327,71 6,68
3º Quartil 1.954,26 23.451,08 488,56 9,95
Teto Salarial 2.562,48 30.749,76 640,62 13,05


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores de serviços administrativos
    • Escriturários
      • Secretários de expediente e operadores de máquinas de escritórios
        • Operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Florianópolis - SC 1.261 - 1.649 1.311,12 1.261,45 1.310,83 1.361,36 1.648,91
Belo Horizonte - MG 1.207 - 1.946 1.448,02 1.206,50 1.512,14 1.606,40 1.945,72
Monte Belo - MG 1.045 - 1.438 1.082,74 1.045,00 1.045,00 1.187,43 1.438,26
São Paulo - SP 1.132 - 2.551 1.513,63 1.132,46 1.420,00 2.106,01 2.550,87
Jaguariúna - SP 1.513 - 1.833 1.513,00 1.513,00 1.513,00 1.513,00 1.832,59
Rio de Janeiro - RJ 1.189 - 2.313 1.450,35 1.188,62 1.375,01 1.909,43 2.312,76
Fortaleza - CE 1.124 - 1.897 1.355,17 1.123,70 1.410,22 1.566,57 1.897,47
Recife - PE 1.168 - 2.003 1.386,89 1.168,48 1.369,86 1.653,72 2.003,03
Barueri - SP 1.404 - 1.905 1.500,82 1.403,91 1.513,00 1.572,89 1.905,14
Olinda - PE 1.266 - 1.707 1.360,27 1.265,67 1.381,23 1.408,94 1.706,54
Goiânia - GO 1.123 - 2.337 1.390,96 1.122,83 1.232,87 1.929,82 2.337,45
Brasília - DF 1.078 - 3.505 1.578,21 1.078,30 1.165,46 2.893,99 3.505,29
Teresina - PI 1.181 - 1.707 1.295,27 1.180,77 1.308,72 1.409,29 1.706,98
Curitiba - PR 1.185 - 1.855 1.349,37 1.184,80 1.323,34 1.531,70 1.855,25
Joinville - SC 1.062 - 1.817 1.226,11 1.062,00 1.100,00 1.500,06 1.816,92
Criciúma - SC 1.247 - 1.691 1.299,37 1.247,39 1.254,62 1.395,81 1.690,65
Valinhos - SP 1.449 - 1.832 1.496,85 1.449,12 1.512,15 1.512,15 1.831,56
Eusébio - CE 1.045 - 1.531 1.101,90 1.045,00 1.045,00 1.264,29 1.531,35
Salvador - BA 1.063 - 2.512 1.391,10 1.062,72 1.190,27 2.073,95 2.512,04
Manaus - AM 1.046 - 1.638 1.135,73 1.046,13 1.080,00 1.352,07 1.637,66


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.196 - 3.105 1.681,69 1.196,14 1.513,00 2.563,45 3.104,93
Minas Gerais 1.045 - 1.954 1.284,54 1.045,00 1.179,35 1.613,31 1.954,09
Santa Catarina 1.209 - 1.757 1.318,91 1.208,88 1.310,83 1.450,84 1.757,30
Rio de Janeiro 1.206 - 2.160 1.412,19 1.206,03 1.318,00 1.783,46 2.160,18
Pernambuco 1.110 - 1.873 1.338,62 1.110,42 1.347,34 1.546,61 1.873,30
Ceará 1.046 - 1.909 1.281,20 1.045,77 1.300,00 1.576,24 1.909,19
Bahia 1.046 - 2.103 1.259,08 1.046,33 1.110,76 1.736,16 2.102,89
Rio Grande do Sul 1.186 - 3.126 1.637,31 1.185,58 1.373,00 2.581,23 3.126,46
Paraná 1.159 - 2.141 1.398,89 1.159,39 1.310,83 1.767,53 2.140,89
Goiás 1.067 - 2.503 1.397,06 1.067,14 1.222,67 2.066,83 2.503,41
Piauí 1.130 - 1.721 1.282,51 1.130,47 1.308,72 1.420,98 1.721,14
Pará 1.105 - 3.031 1.523,04 1.104,60 1.247,20 2.502,30 3.030,86
Distrito Federal 1.078 - 3.505 1.578,21 1.078,30 1.165,46 2.893,99 3.505,29
Mato Grosso 1.075 - 3.665 1.715,72 1.074,83 1.476,25 3.025,82 3.664,96
Espírito Santo 1.104 - 2.250 1.362,98 1.104,04 1.200,16 1.857,27 2.249,58
Rio Grande do Norte 1.047 - 2.149 1.322,52 1.047,37 1.202,08 1.773,84 2.148,53
Mato Grosso do Sul 1.107 - 2.302 1.374,78 1.106,87 1.236,00 1.900,52 2.301,97
Amazonas 1.046 - 1.659 1.139,36 1.045,67 1.080,00 1.369,69 1.659,01
Acre 1.313 - 2.048 1.581,46 1.312,95 1.661,00 1.690,52 2.047,61
Maranhão 1.045 - 1.772 1.163,55 1.045,00 1.051,00 1.462,80 1.771,79
Paraíba 1.053 - 2.246 1.319,92 1.052,73 1.155,00 1.854,22 2.245,88
Sergipe 1.006 - 1.403 1.082,48 1.005,70 1.093,00 1.158,57 1.403,29
Tocantins 1.084 - 1.737 1.205,34 1.083,72 1.179,74 1.434,29 1.737,25
Rondônia 1.045 - 2.003 1.258,52 1.045,00 1.178,00 1.653,68 2.002,98
Roraima 1.057 - 1.938 1.400,44 1.056,86 1.600,00 1.600,00 1.937,97
Alagoas 1.045 - 1.752 1.178,11 1.045,00 1.100,00 1.446,48 1.752,02
Amapá 1.045 - 1.817 1.183,33 1.045,00 1.150,00 1.500,00 1.816,85


Principais locais de trabalho

Operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados trabalham em serviços de apoio administrativo nos mais variados ramos de atividade, em serviços de informática e de correio. São assalariados, com carteira assinada, exceto o digitador que pode trabalhar por conta-própria. Atuam de forma individual e em equipe, sob supervisão, em ambiente fechado e em sistema de rodízio de turnos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados

O exercício desse cargo requer escolaridade de ensino médio e curso básico de profissionalização de até duzentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades ocorre com menos de um ano de experiência e no caso de supervisor, após dois anos. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de equipamentos de entrada de dados

Operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados devem:

  • negociar serviço com cliente;
  • atender necessidades do cliente interno e externo;
  • demonstrar competências pessoais;
  • supervisionar trabalho e equipe;
  • realizar entrada e transmissão de dados;
  • comunicar-se;
  • organizar rotina de serviços de entrada de dados;

  • Atividades

    • formatar texto;
    • dar suporte técnico ao cliente;
    • indicar alternativas para execução do trabalho;
    • propor soluções ao cliente;
    • tomar decisão;
    • distribuir tarefas;
    • seguir instruções técnicas;
    • comunicar necessidade de adequação no ambiente de trabalho;
    • armazenar dados (mensagens);
    • padronizar instruções e procedimentos técnicos;
    • verificar estado de funcionamento do equipamento (sistema operante, compatibilidade da senha);
    • contatar cliente para esclarecimento de dados;
    • testar desempenho do programa de entrada de dados;
    • arquivar documentação;
    • administrar cronograma;
    • trabalhar em equipe;
    • entrar dados por digitação e datilografia;
    • encaminhar cliente para outra área;
    • dimensionar recursos para execução do serviço;
    • controlar reposição do estoque de materiais;
    • demonstrar capacidade de memorização;
    • ler relatório da mudança de turno;
    • interpretar orientações técnicas e administrativas;
    • administrar tempo;
    • divulgar prestação de serviço autônomo (freelancer);
    • corrigir erro de digitação;
    • identificar-se no sistema (logar-se);
    • revisar serviço (verificação);
    • preservar integridade dos dados;
    • receber dados (mensagens);
    • distribuir material de expediente;
    • abrir ocorrência (chamado técnico);
    • reportar dados inválidos à supervisão;
    • transmitir dados (mensagens);
    • estimar prazo;
    • separar material e documentação;
    • treinar equipe;
    • analisar relatórios estatísticos de produtividade;
    • evidenciar habilidade motora;
    • relatar informações para próximo turno;
    • atentar para estado emocional do funcionário;
    • conferir material e documentação (quantidade, legibilidade);
    • identificar necessidade do cliente;
    • revelar capacidade de concentração;
    • manter sigilo;
    • organizar espaço da página digitada ou datilografada;
    • apontar pendência do material e da documentação;
    • participar da administração de pessoal (faltas, férias, promoções, admissões e demissões);
    • mapear erros;
    • guardar material de expediente;
    • conectar-se ao programa de entrada de dados;
    • negociar formas de pagamento;
    • apresentar acuidade visual;
    • corrigir erro de datilografia;
    • preencher planilha de produção;
    • alocar recurso material e humano;
    • acompanhar desenvolvimento do serviço da equipe (monitorar, operar);
    • trabalhar com ética profissional;
    • validar desempenho do programa de entrada de dados;
    • sugerir melhorias no programa de entrada de dados;
    • captar serviço;
    • planejar trabalho;
    • motivar equipe;
    • orientar equipe;
    • orçar serviço;
    • verificar prioridade e pendência;


    Setores que mais contratam Operador de equipamentos de entrada de dados no mercado de trabalho

    • Limpeza em prédios e em domicílios
    • Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não-customizáveis
    • Serviços combinados para apoio a edifícios, exceto condomínios prediais
    • Administração de cartões de crédito
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas
    • Suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação
    • Fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros
    • Serviços combinados de escritório e apoio administrativo
    • Preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo não especificados anteriormente




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: