Salário para o cargo de Tecnólogo em segurança do trabalho
CBO 2149-35 > Engenheiros de produção, qualidade, segurança

Tecnólogo em segurança do trabalho - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Controlam perdas de processos, produtos e serviços ao identificar, determinar e analisar causas de perdas, estabelecendo plano de ações preventivas e corretivas. Desenvolvem, testam e supervisionam sistemas, processos e métodos produtivos, gerenciam atividades de segurança no trabalho e do meio ambiente, gerenciam exposições a fatores ocupacionais de risco à saúde do trabalhador, planejam empreendimentos e atividades produtivas e coordenam equipes, treinamentos e atividades de trabalho. Os Engenheiros de Logística também gerenciam as operações de logística em três eixos: transportes, armazenamento e inteligência, inclusive no que se refere à logística reversa.

Quanto ganha um Tecnólogo em segurança do trabalho

Um Tecnólogo em segurança do trabalho trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.528,75 e R$ 5.795,93, com a média salarial de R$ 2.668,68 e o salário mediana em R$ 2.366,09 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Tecnólogo em segurança do trabalho

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.668,68 32.024,17 667,17 12,41
1º Quartil 1.528,75 18.344,97 382,19 7,11
Salário Mediana 2.366,09 28.393,08 591,52 11,01
3º Quartil 4.420,23 53.042,71 1.105,06 20,56
Teto Salarial 5.795,93 69.551,20 1.448,98 26,96


Categorias profissionais do cargo

  • Profissionais das ciências e das artes
    • Profissionais das ciências exatas, físicas e da engenharia
      • Engenheiros, arquitetos
        • Engenheiros de produção, qualidade, segurança

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 2.311 - 7.916 4.009,80 2.311,45 3.579,39 6.535,81 7.916,37
Rio de Janeiro - RJ 2.064 - 11.119 4.400,09 2.063,80 3.245,45 9.180,18 11.119,31
Curitiba - PR 1.538 - 6.232 2.850,93 1.538,32 2.465,72 5.145,21 6.232,04
Pirai do Sul - PR 2.713 - 3.556 2.870,80 2.712,90 2.917,20 2.935,90 3.556,05
Belo Horizonte - MG 1.446 - 4.291 2.348,32 1.445,58 2.200,00 3.543,07 4.291,47
Aparecida de Goiânia - GO 1.560 - 3.644 2.123,02 1.559,74 1.937,45 3.008,79 3.644,33
Goiânia - GO 1.731 - 3.226 2.167,79 1.730,99 2.034,24 2.663,27 3.225,83
Contagem - MG 1.673 - 3.190 2.372,53 1.673,03 2.500,00 2.633,33 3.189,57
Parauapebas - PA 2.199 - 3.504 2.691,93 2.199,37 2.816,97 2.892,74 3.503,77
Manaus - AM 2.157 - 4.009 2.688,61 2.156,80 2.613,10 3.309,59 4.008,67
Brasília - DF 1.349 - 9.942 3.166,80 1.349,00 1.894,89 8.207,92 9.941,68
Anápolis - GO 1.425 - 2.571 1.821,57 1.425,00 1.800,00 2.122,83 2.571,23
Barueri - SP 2.231 - 4.863 3.401,33 2.231,21 3.800,00 4.014,63 4.862,64
Osasco - SP 1.500 - 2.975 1.793,18 1.500,00 1.500,00 2.456,00 2.974,78
Ponta Grossa - PR 1.623 - 3.957 2.411,67 1.623,07 2.300,00 3.266,67 3.956,68
Guaira - PR 2.718 - 3.634 2.935,00 2.718,33 3.000,00 3.000,00 3.633,69
Sumaré - SP 1.800 - 3.043 2.070,58 1.800,00 1.900,00 2.512,50 3.043,22
Belém - PA 1.351 - 4.300 2.224,46 1.350,57 1.996,78 3.550,28 4.300,21
Niterói - RJ 1.632 - 3.514 2.314,13 1.631,72 2.423,50 2.901,31 3.514,15
Jundiaí - SP 1.600 - 3.177 1.979,74 1.600,00 1.800,00 2.622,56 3.176,52


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.664 - 6.040 3.119,75 1.664,05 3.000,00 4.986,83 6.040,19
Minas Gerais 1.455 - 3.866 2.270,26 1.455,45 2.200,00 3.191,49 3.865,62
Paraná 1.858 - 5.057 2.840,83 1.858,00 2.700,00 4.175,11 5.057,02
Goiás 1.592 - 3.361 2.088,33 1.591,93 2.000,00 2.775,07 3.361,24
Rio de Janeiro 1.894 - 7.703 3.403,67 1.893,64 2.567,04 6.359,94 7.703,35
Pará 1.654 - 3.859 2.471,26 1.654,29 2.767,00 3.186,07 3.859,07
Bahia 1.339 - 4.643 2.360,31 1.338,61 2.050,00 3.833,07 4.642,73
Santa Catarina 1.392 - 4.555 2.411,27 1.391,57 2.366,09 3.760,30 4.554,59
Rio Grande do Sul 1.354 - 9.748 3.766,09 1.353,61 2.500,00 8.047,84 9.747,79
Amazonas 2.114 - 3.897 2.631,05 2.114,05 2.613,10 3.216,99 3.896,51
Distrito Federal 1.349 - 9.942 3.166,80 1.349,00 1.894,89 8.207,92 9.941,68
Mato Grosso 1.330 - 3.363 1.843,04 1.330,38 1.567,50 2.776,70 3.363,22
Pernambuco 1.246 - 2.853 1.772,94 1.245,64 1.800,00 2.355,80 2.853,42
Ceará 1.233 - 5.779 2.243,66 1.232,62 1.653,76 4.771,51 5.779,40
Maranhão 1.288 - 4.315 2.070,58 1.287,69 1.800,00 3.562,13 4.314,55
Paraíba 1.525 - 6.034 2.455,95 1.525,25 1.678,00 4.981,57 6.033,82
Alagoas 1.100 - 2.665 1.932,65 1.100,00 2.187,00 2.200,00 2.664,71
Espírito Santo 1.809 - 4.800 2.353,39 1.808,98 2.103,25 3.963,13 4.800,26
Sergipe 1.345 - 6.056 2.633,63 1.345,00 2.028,38 5.000,00 6.056,15
Tocantins 800 - 2.846 1.758,99 800,00 2.000,00 2.350,00 2.846,39
Mato Grosso do Sul 1.631 - 3.028 2.141,83 1.631,00 2.150,00 2.500,00 3.028,08
Acre 1.300 - 3.028 1.550,00 1.300,00 1.300,00 2.500,00 3.028,08
Rio Grande do Norte 1.719 - 2.931 1.951,81 1.719,06 1.850,00 2.420,00 2.931,18


Principais locais de trabalho

Engenheiros de produção, qualidade, segurança o trabalho é exercido em empresas dos mais diversos ramos, embora predomine o ramo industrial onde podemos destacar a metalurgia, fabricação de máquinas, equipamentos e veículos automotores, produtos alimentares e refino de petróleo. As instituições empregadoras são de diversos portes, públicas ou privadas. Os profissionais trabalham em equipe, com supervisão ocasional. Eventualmente, em algumas atividades, podem estar expostos a condições especiais de trabalho, tais como ruído intenso e altas temperaturas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Engenheiros de produção, qualidade, segurança

As ocupações da família requerem curso de Engenharia ou de Tecnologia nas áreas de Produção Industrial e Segurança do Trabalho, com registro no CREA, seguido ou não de cursos de especialização. Na área de processos e métodos, tempos e movimentos, é comum a formação em engenharia de produção ou industrial. É cada vez mais frequente a presença de profissionais com pós-graduação. A ocupação Higienista Ocupacional requer formação superior em engenharia, física, química, tecnologia, bioquímica, medicina, biologia, ou em outras ciências exatas ou biológicas correlatas seguido de curso de especialização na área de Higiene Ocupacional. O exercício pleno da atividade se dá, em média, após quatro anos de exercício profissional no caso dos engenheiros e dos tecnólogos em segurança do trabalho e de um a dois anos para os tecnólogos em produção industrial.


Funções e atividades do Tecnólogo em segurança do trabalho

Engenheiros de produção, qualidade, segurança devem:

  • gerenciar segurança no trabalho e do meio ambiente;
  • emitir documentação técnica;
  • gerir operações logísticas;
  • controlar perdas de processos, produtos e serviços;
  • desenvolver métodos, processos, produtos e serviços;
  • supervisionar sistemas, processos e métodos produtivos;
  • planejar empreendimentos e atividades produtivas e de logística;
  • gerenciar exposições a fatores ocupacionais de risco À saúde;
  • demonstrar competências pessoais;
  • coordenar equipe e atividades de trabalho;

  • Atividades

    • projetar produtos e processos;
    • participar de seleção de pessoal;
    • verificar eficácia das medidas de controle;
    • providenciar avaliação ergonômica de postos de trabalho;
    • verificar necessidades de treinamento de equipe;
    • pesquisar efeitos à saúde dos fatores de risco;
    • negociar condições de prestação de serviço;
    • analisar riscos do processo, da atividade e do local de trabalho;
    • elaborar programas de prevenção de risco ambiental (ppra) e demais programas de prevenção;
    • propor alterações em equipamentos e produtos de segurança;
    • interpretar resultados da avaliação;
    • atualizar dados de registros;
    • delegar tarefas;
    • analisar projetos de implantação e modificação de instalações, processos, equipamentos e locais de trabalho;
    • documentar memória técnica de métodos, processos, produtos e serviços;
    • emitir programas de prevenção;
    • analisar viabilidade técnico-produtiva, econômica e legal;
    • demonstrar capacidade de contornar situações adversas;
    • determinar procedimentos de segurança para atividades com pressão anormal;
    • elaborar programação de carga (schedule);
    • definir objetivos de trabalho;
    • testar produtos em campo;
    • participar na elaboração de mapa de risco;
    • implantar sistema de gestão da segurança;
    • verificar procedimentos de descarte de rejeitos industriais;
    • determinar logística de descarte e/ou retorno de produtos;
    • projetar lay-out de armazéns;
    • analisar causas de perdas;
    • demonstrar proatividade;
    • monitorar desempenho de processos;
    • implantar ferramentas de controle de desempenho e qualidade de processos e serviços;
    • demonstrar capacidade de evidenciar senso crítico;
    • demonstrar capacidade de negociação;
    • efetuar o tratamento estatístico das medições;
    • administrar custos e nível de serviço;
    • determinar procedimentos para redução ou eliminação de ruídos industriais;
    • projetar fluxo físico de produtos;
    • classificar exposição a riscos potenciais;
    • assumir riscos;
    • estimar perdas;
    • preparar documentos para patentes de produtos e processos;
    • validar métodos, processos, produtos e/ou serviços;
    • interpretar dados e resultados;
    • demonstrar raciocínio matemático;
    • determinar causas de perdas;
    • identificar perdas;
    • realizar pesquisas;
    • gerar especificações técnicas e de segurança de produtos e/ou serviços;
    • analisar informações dos programas dos controles médicos;
    • demonstrar liderança;
    • pesquisar tecnologias;
    • organizar treinamentos;
    • demonstrar criatividade;
    • propor criação de produtos de segurança;
    • ajustar processos e serviços;
    • verificar cumprimento de tarefas;
    • divulgar resultados e planos de trabalho;
    • tomar decisões;
    • demonstrar capacidade de resolução de problemas;
    • preparar art (anotação de responsabilidade técnica);
    • demonstrar capacidade de atenção difusa;
    • participar da elaboração do ppra e/ou ppci;
    • analisar projetos;
    • emitir laudos e/ou pareceres técnicos;
    • mapear equipe de trabalho;
    • propor sistemas de segurança;
    • avaliar aceitabilidade dos resultados;
    • definir equipe e materiais de trabalho;
    • capacitar equipe de trabalho;
    • preparar contratos de seguro;
    • contratar prestadores de serviços logísticos;
    • planejar gestão de frota;
    • determinar procedimentos de segurança para trabalho com eletricidade;
    • demonstrar capacidade de trabalhar em equipe;
    • pesquisar normas e legislação;
    • solicitar autorização para aquisição de produtos controlados;
    • auditorar processos, produtos e serviços;
    • definir métodos e etapas de produção;
    • compatibilizar métodos, processos, produtos e/ou serviços de acordo com normas e legislação;
    • caracterizar os grupos de exposição a fatores de risco;
    • dimensionar programa de prevenção e combate a incêndios ( ppci );
    • inspecionar instalações;
    • definir metodologia de avaliação;
    • participar da definição de perfil de pessoal;
    • gerar especificações técnicas e de segurança de processos e/ou serviços;
    • projetar sistemas de armazenamento e transporte;
    • acompanhar perícia técnica;
    • emitir mapa de risco;
    • dimensionar taxas, descontos e prêmios de seguros;
    • avaliar desempenho de equipe de trabalho;
    • inspecionar capacidade de instalações e equipamentos;
    • estabelecer estratégia de avaliação e/ou controle da exposição;
    • definir orçamento e fontes de recursos financeiros;
    • determinar fluxo de informações na cadeia de suprimentos;
    • medir parâmetros/indicadores de processos, produtos e serviços;
    • demonstrar objetividade;
    • desenvolver fornecedores (capacitação de fornecedores);
    • elaborar plano de otimização de uso de recursos logísticos;
    • demonstrar capacidade de antecipar problemas;
    • identificar trabalhador mais exposto;
    • inspecionar funcionamento de processos, produtos e serviços;
    • elaborar estratégia de amostragem;
    • traçar roteiro de cargas (roteirização);
    • participar da elaboração de métodos e procedimentos de segurança;
    • determinar tipos de equipamentos de proteção individual e coletiva conforme riscos;
    • prestar consultoria;
    • participar da elaboração do plano de negócio;
    • coletar dados de processo;
    • processar dados de registros;
    • organizar cronograma de equipe de trabalho;
    • propor remanejamento de pessoal incapacitado para o posto de trabalho;
    • dimensionar equipamentos e recursos;
    • elaborar relatórios;
    • comparar processos, produtos e serviços;
    • identificar riscos potenciais à saúde em projetos;
    • elaborar propostas técnicas;
    • padronizar sistemas e operações;
    • testar produtos em laboratório;
    • gerir operações de armazéns;
    • priorizar riscos a serem medidos;
    • avaliar eficácia de treinamentos;
    • determinar procedimentos de segurança para espaços confinados;
    • demonstrar capacidade de inferência;
    • elaborar estudo técnico e econômico de empreendimentos e atividades de trabalho;
    • analisar indicadores epidemiológicos;
    • definir tipo de equipamentos de movimentação e transporte;
    • pesquisar prestadores de serviços logísticos;
    • definir localização e quantidade de instalações logísticas (centros de distribuição, fábricas e etc);
    • implementar plano de ações preventivas e corretivas;
    • inspecionar produtividade de processos e serviços;
    • demonstrar capacidade de persuasão;
    • elaborar plano de reaproveitamento de perdas;
    • estabelecer plano de ações preventivas e corretivas;
    • criar métodos e processos de produção e segurança;
    • elaborar plano de atendimento às emergências (pae);
    • elaborar manual de procedimentos complementares;
    • participar do planejamento de gestão de estoque;
    • identificar a exposição potencial do trabalhador aos fatores de risco;
    • controlar emissão de efluentes líquidos, gasosos e sólidos;
    • fixar metas;
    • elaborar cronograma físico e financeiro;
    • reconhecer fatores ocupacionais de risco à saúde;
    • providenciar sinalizações de segurança;
    • criar banco de dados de processos e projetos;
    • prestar assessorias técnicas;
    • definir modais de transporte;
    • determinar procedimentos de segurança em armazenagem, transporte e utilização de produtos químicos;
    • elaborar análise de riscos de empreendimentos e atividades produtivas;
    • acompanhar implementação do plano de ações preventivas e corretivas;
    • testar métodos e processos de produção e segurança;
    • pesquisar mercado consumidor;
    • implantar ferramentas de controle de qualidade;
    • avaliar eficácia/eficiência de ajustes;
    • gerar protótipos;
    • definir necessidades orçamentárias da área;
    • identificar medidas de controle existentes para os fatores de risco;
    • demonstrar capacidade de agir sob pressão;
    • propor adequação de instalações, métodos e processos;
    • demonstrar raciocínio lógico;
    • recomendar medidas de controle;
    • emitir laudos periciais;
    • elaborar programas de segurança do trabalho;
    • medir as exposições a fatores ocupacionais de risco;

    Setores que mais contratam Tecnólogo em segurança do trabalho no mercado de trabalho

    • Construção de edifícios
    • Serviços de engenharia
    • Manutenção e reparação de máquinas e aparelhos para a indústria de celulose, papel e papelão e artefatos
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Fabricação de estruturas metálicas
    • Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional
    • Transmissão de energia elétrica
    • Montagem de estruturas metálicas
    • Instalação de máquinas e equipamentos industriais
    • Instalação e manutenção elétrica




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: