Salário para o cargo de Encarregado de serviços de serras e tornos
CBO 7701-05 > Supervisores em indústria de madeira, mobiliário e da carpintaria veicular

Encarregado de serviços de serras e tornos - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Assessoram aquisição de equipamentos, materiais e serviços, coordenam diretamente equipes de trabalhadores e organizam ambiente de trabalho em indústrias da madeira, mobiliário e de carpintaria. Preparam madeiras e supervisionam produção. Controlam estoque e expedição de materiais e produtos e manutenção de máquinas, equipamentos e ferramentas. Proporcionam segurança no trabalho.

Quanto ganha um Encarregado de serviços de serras e tornos

Um Encarregado de serviços de serras e tornos trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.645,99 e R$ 5.151,28, com a média salarial de R$ 2.536,70 e o salário mediana em R$ 2.154,70 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Encarregado de serviços de serras e tornos

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.536,70 30.440,41 634,18 11,62
1º Quartil 1.645,99 19.751,91 411,50 7,54
Salário Mediana 2.154,70 25.856,34 538,67 9,87
3º Quartil 3.928,59 47.143,03 982,15 17,99
Teto Salarial 5.151,28 61.815,35 1.287,82 23,59


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores das indústrias de madeira e do mobiliário
      • Supervisores em indústria de madeira, mobiliário e da carpintaria veicular
        • Supervisores em indústria de madeira, mobiliário e da carpintaria veicular

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.361 - 5.599 2.628,22 1.360,93 2.060,54 4.622,37 5.598,75
Arapongas - PR 1.992 - 5.208 2.962,24 1.992,02 2.750,10 4.299,41 5.207,58
São Bento do Sul - SC 1.559 - 6.947 3.037,99 1.558,87 2.365,90 5.735,50 6.947,02
Caçador - SC 1.493 - 5.126 2.641,36 1.493,13 2.267,10 4.231,97 5.125,89
Uba - MG 1.537 - 5.048 2.672,28 1.536,71 2.573,63 4.167,88 5.048,26
Londrina - PR 2.456 - 4.332 2.958,02 2.455,86 2.900,00 3.576,22 4.331,63
Rio de Janeiro - RJ 1.639 - 6.943 3.103,00 1.638,59 2.406,62 5.732,29 6.943,13
Curitiba - PR 1.428 - 5.874 2.691,76 1.427,75 2.004,24 4.849,89 5.874,33
Bento Goncalves - RS 2.069 - 8.050 4.003,03 2.068,91 3.400,33 6.646,08 8.049,93
Valentim Gentil - SP 1.463 - 2.626 1.729,48 1.463,04 1.547,50 2.167,97 2.625,91
Rodeiro - MG 1.893 - 4.479 2.830,32 1.892,98 2.867,65 3.697,99 4.479,12
Concordia - SC 1.621 - 3.469 2.139,66 1.621,43 2.000,00 2.864,29 3.469,31
Campo Alegre - SC 1.600 - 3.915 2.467,81 1.599,54 2.623,50 3.232,18 3.914,92
Borborema - SP 1.577 - 2.104 1.647,67 1.577,17 1.640,00 1.737,33 2.104,31
Rio Negrinho - SC 1.622 - 4.434 2.451,48 1.621,63 2.200,00 3.660,97 4.434,28
Ourinhos - SP 1.750 - 3.634 2.373,19 1.750,12 2.337,39 3.000,00 3.633,69
Palmas - PR 2.020 - 4.209 2.637,90 2.020,17 2.340,00 3.475,17 4.209,23
Oriximiná - PA 4.680 - 6.331 4.840,10 4.680,00 4.680,00 5.227,27 6.331,43
Guarapuava - PR 1.510 - 7.217 3.484,11 1.510,40 3.077,40 5.958,49 7.217,11
Brasília - DF 1.630 - 3.924 2.270,84 1.630,20 1.992,06 3.240,00 3.924,39


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.536 - 5.120 2.597,36 1.535,69 2.200,00 4.227,15 5.120,05
Santa Catarina 1.435 - 5.128 2.551,61 1.434,57 2.200,00 4.233,31 5.127,51
Paraná 1.661 - 5.342 2.745,71 1.660,65 2.485,44 4.410,33 5.341,92
Minas Gerais 1.196 - 4.374 2.203,83 1.195,79 2.000,00 3.611,24 4.374,05
Rio Grande do Sul 1.500 - 6.263 2.954,94 1.500,09 2.500,00 5.170,94 6.263,20
Pará 1.120 - 6.059 2.587,24 1.119,72 1.850,00 5.002,15 6.058,76
Mato Grosso 1.344 - 4.006 2.120,00 1.344,38 2.000,00 3.306,98 4.005,52
Rio de Janeiro 1.512 - 5.882 2.762,53 1.511,52 2.392,25 4.856,31 5.882,10
Goiás 1.048 - 4.284 1.862,99 1.047,77 1.462,66 3.536,82 4.283,90
Bahia 1.107 - 3.406 1.797,22 1.107,46 1.700,00 2.812,26 3.406,29
Ceará 1.234 - 2.595 1.626,99 1.234,26 1.567,50 2.142,40 2.594,94
Espírito Santo 1.460 - 5.280 2.591,89 1.459,68 2.057,00 4.358,98 5.279,73
Distrito Federal 1.630 - 3.924 2.270,84 1.630,20 1.992,06 3.240,00 3.924,39
Rondônia 1.204 - 4.583 2.258,26 1.204,30 1.733,50 3.784,07 4.583,38
Paraíba 1.059 - 3.425 1.679,40 1.058,75 1.531,27 2.827,98 3.425,33
Pernambuco 1.334 - 2.681 1.727,85 1.334,16 1.663,26 2.213,49 2.681,05
Mato Grosso do Sul 1.333 - 7.505 3.049,79 1.333,33 2.213,89 6.196,28 7.505,12
Sergipe 1.284 - 2.748 1.824,97 1.283,69 1.973,77 2.268,39 2.747,54
Alagoas 1.062 - 2.806 1.505,99 1.062,00 1.395,00 2.316,42 2.805,72
Piauí 1.096 - 3.028 1.671,14 1.096,00 1.573,37 2.500,00 3.028,08
Maranhão 1.836 - 5.021 2.535,19 1.836,00 2.000,00 4.145,31 5.020,92


Principais locais de trabalho

Supervisores em indústria de madeira, mobiliário e da carpintaria veicular o trabalho é exercido na fabricação de produtos de madeira, móveis e indústrias diversas. Os profissionais são assalariados com carteira assinada, trabalham em horários regulares e em regime de de rodízio de turnos. Podem ser supervisionados por técnicos ou engenheiros, ocasionalmmente. Trabalham em ambiente fechado e em algumas situações estão sujeitos à pressão de prazos, o que pode ocasionar estresse. Estão sujeitos a ruído intenso.


O que é preciso para trabalhar na área dos Supervisores em indústria de madeira, mobiliário e da carpintaria veicular

Para atuar nessas ocupações, requer-se escolaridade e formação que varia do ensino médio incompleto até o ensino técnico profissionalizante de nível médio, na área da madeira e do mobiliário. Dos supervisores que ascedem à função oriundos do chão-de-fábrica, requer-se experiência de três a quatro anos na área. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Encarregado de serviços de serras e tornos

Supervisores em indústria de madeira, mobiliário e da carpintaria veicular devem:

  • preparar madeiras;
  • organizar ambiente de trabalho;
  • assessorar aquisição de equipamentos, materiais e serviços;
  • supervisionar produção;
  • proporcionar segurança no trabalho;
  • controlar manutenção de máquinas, equipamentos e ferramentas;
  • demonstrar competências pessoais;
  • coordenar equipe de trabalho;
  • controlar estoque e expedição de materiais e produtos;

  • Atividades

    • definir espaço físico para estoque de materiais e produtos;
    • relacionar-se com superiores e subordinados;
    • instruir equipe quanto a conservação do ambiente de trabalho;
    • coordenar classificação de madeiras;
    • programar afiação de ferramentas de corte;
    • providenciar limpeza do local de trabalho;
    • negociar metas de produção;
    • estudar posicionamento das máquinas e equipamentos;
    • liderar equipes;
    • solicitar conserto de máquinas e equipamentos;
    • avaliar capacidade e desempenho profissional;
    • fornecer orientações para a embalagem de produtos;
    • verificar condições de iluminação e ventilação do ambiente;
    • autorizar liberação de madeiras para linha de produção;
    • monitorar pontos críticos da produção;
    • requisitar matéria-prima (toras, tábuas, chapas, lâminas);
    • requisitar materiais para embalagem;
    • realizar treinamento;
    • conferir recebimento de materiais e insumos;
    • identificar máquinas, equipamentos e ferramentas para execução da ordem de serviço;
    • demonstrar autocontrole;
    • demonstrar sociabilidade;
    • monitorar fluxo e movimentação de materiais;
    • conferir produtos conforme as especificações;
    • verificar datas de expedição;
    • compor equipes de trabalho;
    • disponibilizar materiais de consumo em geral;
    • orientar operadores para a conservação de máquinas, equipamentos e ferramentas;
    • entrevistar candidatos;
    • definir etapas de trabalho;
    • planejar aproveitamento de madeiras;
    • conferir produtos para a expedição com nota fiscal;
    • especificar máquinas, equipamentos e ferramentas;
    • comunicar-se com eficiência;
    • definir locais das ferramentas e instrumentos de trabalho;
    • identificar falhas no processo de produção;
    • encaminhar tábuas, lâminas, pranchas, para gradeamento e secagem;
    • sinalizar local de trabalho;
    • analisar orçamento para aquisição de materiais e equipamentos;
    • demonstrar responsabilidade;
    • encaminhar trabalhadores para avaliação médica;
    • avaliar causas de acidentes de trabalho;
    • controlar tempo de produção;
    • avaliar capacidade de produção de máquinas, equipamentos e ferramentas;
    • inspecionar a utilização epi e epc;
    • analisar relatórios de produção;
    • controlar volume de produção;
    • definir cronograma de manutenção e lubrificação;
    • instruir equipes de trabalho quanto a utilização de equipamentos de segurança;
    • disponibilizar epi e epc;
    • avaliar equipamentos, materiais e serviços;
    • demonstrar dinamismo;
    • consultar fornecedores de máquinas, equipamentos e ferramentas para elaboração de orçamento;
    • analisar referenciais de candidatos;
    • analisar ordem de serviço;
    • negociar prazos de entrega de materiais com fornecedores;


    Setores que mais contratam Encarregado de serviços de serras e tornos no mercado de trabalho

    • Fabricação de móveis com predominância de madeira
    • Serrarias com desdobramento de madeira
    • Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, prensada e aglomerada
    • Comércio varejista de móveis
    • Fabricação de artefatos diversos de madeira, exceto móveis
    • Fabricação de artefatos de tanoaria e de embalagens de madeira
    • Fabricação de colchões
    • Comércio varejista de madeira e artefatos
    • Fabricação de esquadrias de madeira e de peças de madeira para instalações industriais e comerciais
    • Locação de mão-de-obra temporária




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: