Salário para o cargo de Chefe de partida
CBO 2711-05 > Chefes de cozinha

Chefe de partida - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Criam e elaboram pratos e cardápios, atuando direta e indiretamente na preparação dos alimentos. Gerenciam brigada de cozinha e planejam as rotinas de trabalho. Podem gerenciar, ainda, os estoques e atuar na capacitação de funcionários.

Quanto ganha um Chefe de partida

Um Chefe de partida trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.265,78 e R$ 5.309,08, com a média salarial de R$ 2.247,03 e o salário mediana em R$ 1.800,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chefe de partida

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.247,03 26.964,40 561,76 10,42
1º Quartil 1.265,78 15.189,33 316,44 5,87
Salário Mediana 1.800,00 21.600,00 450,00 8,35
3º Quartil 4.048,93 48.587,18 1.012,23 18,77
Teto Salarial 5.309,08 63.708,96 1.327,27 24,61


Categorias profissionais do cargo

  • Profissionais das ciências e das artes
    • Profissionais em gastronomia
      • Profissionais em gastronomia e serviços de alimentação
        • Chefes de cozinha

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.421 - 5.185 2.545,94 1.420,52 2.200,00 4.280,89 5.185,15
Rio de Janeiro - RJ 1.358 - 5.282 2.414,57 1.358,49 1.920,00 4.361,22 5.282,44
Belo Horizonte - MG 1.303 - 3.718 1.999,98 1.303,25 1.800,00 3.069,33 3.717,66
Curitiba - PR 1.346 - 3.533 2.018,42 1.346,10 1.900,00 2.916,90 3.533,04
Brasília - DF 1.220 - 4.070 2.080,64 1.219,99 1.886,61 3.360,33 4.070,14
Goiânia - GO 1.195 - 3.270 1.736,26 1.194,57 1.500,00 2.699,74 3.270,01
Porto Alegre - RS 1.235 - 3.865 1.989,39 1.234,99 1.766,85 3.190,62 3.864,58
Salvador - BA 1.190 - 4.059 2.006,48 1.189,65 1.700,00 3.350,78 4.058,57
Campinas - SP 1.473 - 4.658 2.416,44 1.472,68 2.100,00 3.845,40 4.657,67
Fortaleza - CE 1.113 - 3.682 1.846,20 1.113,12 1.549,95 3.039,52 3.681,56
Florianópolis - SC 1.350 - 3.527 1.950,10 1.350,14 1.800,00 2.912,14 3.527,28
Joinville - SC 1.552 - 4.097 2.413,78 1.551,70 2.323,63 3.382,88 4.097,44
Recife - PE 1.208 - 4.027 2.055,03 1.208,05 1.800,00 3.324,37 4.026,57
Macaé - RJ 1.418 - 2.836 1.776,60 1.417,78 1.681,90 2.341,36 2.835,93
Manaus - AM 1.108 - 3.354 1.699,32 1.107,96 1.409,15 2.768,73 3.353,57
Barueri - SP 1.432 - 4.383 2.298,96 1.432,19 2.010,49 3.618,28 4.382,56
João Pessoa - PB 1.266 - 3.689 1.989,31 1.266,39 1.995,00 3.046,07 3.689,49
Porto Seguro - BA 1.424 - 5.348 2.478,93 1.424,04 1.961,00 4.415,44 5.348,11
Natal - RN 1.076 - 3.842 1.842,15 1.075,77 1.544,69 3.171,57 3.841,50
Vitoria - ES 1.128 - 3.438 1.791,05 1.128,07 1.600,00 2.838,54 3.438,13


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.427 - 5.429 2.516,60 1.426,87 2.000,00 4.482,59 5.429,45
Rio de Janeiro 1.326 - 4.637 2.193,85 1.325,85 1.800,00 3.828,42 4.637,10
Minas Gerais 1.198 - 3.453 1.853,77 1.198,10 1.657,25 2.850,86 3.453,05
Santa Catarina 1.372 - 3.756 2.065,46 1.371,61 1.830,00 3.100,99 3.756,02
Paraná 1.327 - 3.557 1.968,11 1.327,26 1.800,00 2.936,61 3.556,91
Rio Grande do Sul 1.245 - 3.622 1.905,08 1.245,39 1.700,00 2.990,75 3.622,49
Bahia 1.209 - 5.044 2.260,22 1.208,74 1.812,65 4.164,56 5.044,24
Goiás 1.162 - 3.415 1.758,51 1.162,18 1.500,00 2.819,39 3.414,93
Pernambuco 1.111 - 3.921 1.924,22 1.111,05 1.694,63 3.237,13 3.920,91
Ceará 1.139 - 22.566 5.782,12 1.138,79 1.650,00 18.630,79 22.566,17
Distrito Federal 1.220 - 4.070 2.080,64 1.219,99 1.886,61 3.360,33 4.070,14
Espírito Santo 1.168 - 3.217 1.784,91 1.168,16 1.643,04 2.656,29 3.217,38
Mato Grosso 1.109 - 3.517 1.766,95 1.109,09 1.500,00 2.903,79 3.517,16
Mato Grosso do Sul 1.162 - 3.117 1.735,17 1.162,11 1.587,50 2.573,39 3.116,97
Rio Grande do Norte 1.086 - 3.451 1.770,97 1.085,77 1.551,75 2.849,51 3.451,41
Amazonas 1.104 - 3.354 1.694,02 1.104,38 1.409,15 2.768,73 3.353,57
Paraíba 1.229 - 3.556 1.914,23 1.228,81 1.746,26 2.935,83 3.555,97
Pará 1.198 - 3.590 1.898,81 1.198,32 1.745,82 2.963,55 3.589,54
Alagoas 1.100 - 4.027 1.865,46 1.100,12 1.500,00 3.324,34 4.026,54
Maranhão 1.062 - 3.096 1.675,73 1.061,56 1.500,00 2.556,09 3.096,02
Piauí 1.045 - 2.862 1.498,88 1.045,00 1.300,00 2.362,98 2.862,12
Tocantins 1.045 - 2.686 1.408,99 1.045,00 1.182,00 2.217,55 2.685,96
Sergipe 1.152 - 3.398 1.824,77 1.151,54 1.600,00 2.805,61 3.398,24
Rondônia 1.092 - 2.428 1.404,40 1.091,68 1.186,27 2.004,49 2.427,89
Acre 1.164 - 2.942 1.583,57 1.164,30 1.374,71 2.429,17 2.942,28
Roraima 1.045 - 2.119 1.318,09 1.045,00 1.189,75 1.749,50 2.119,05
Amapá 1.182 - 3.634 1.611,67 1.181,69 1.400,00 3.000,00 3.633,69


Principais locais de trabalho

Chefes de cozinha trabalham predominantemente em restaurantes, concessionárias de equipe, sob supervisão ocasional, em ambiente fechado, em horários diurno e noturno, por vezes irregulares.


O que é preciso para trabalhar na área dos Chefes de cozinha

O exercício desse cargo requer ensino médio completo ou curso superior de tecnologia, podendo seguir cursos de especialização que variam de duzentas a quatrocentas horas. Os profissionais dessa família ocupacional costumam, por sua experiência, atingir a mais alta posição em sua estrutura de trabalho. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três ou quatro anos de exercício profissional, para o chefe de cozinha. Já os tecnólogos em gastronomia não necessitam de nenhuma experiência profissional prévia para exercer suas atividades.


Funções e atividades do Chefe de partida

Chefes de cozinha devem:

  • gerenciar estoques;
  • planejar rotinas de trabalho;
  • gerenciar brigada de cozinha;
  • criar pratos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • capacitar funcionários;
  • preparar alimentos;
  • elaborar cardápio;

  • Atividades

    • demonstrar senso estético;
    • demonstrar liderança;
    • detectar necessidade de capacitação;
    • degustar produção culinária;
    • identificar público-alvo;
    • participar da seleção de pessoal;
    • visitar fornecedores;
    • conferir matéria prima recebida;
    • delegar tarefas;
    • pesquisar preços;
    • planejar escala de folga;
    • controlar situações adversas;
    • demonstrar senso de organização;
    • avaliar novos equipamentos e utensílios;
    • definir escala de atividade;
    • finalizar pratos;
    • dispensar funcionários;
    • intermediar informações entre equipe e superiores/clientes;
    • demonstrar autocontrole;
    • prestar consultoria;
    • demonstrar paladar apurado;
    • organizar pedidos;
    • avaliar custo benefício;
    • distribuir tarefas;
    • controlar preparação dos alimentos;
    • formatar treinamento;
    • identificar talentos;
    • controlar consumo de matéria prima;
    • comprar matéria prima;
    • avaliar capacidade de produção (funcionários/estrutura);
    • sugerir compra de materiais;
    • controlar marcha e saída (pedidos);
    • definir perfil de pessoal;
    • verificar validade de matéria prima e produto estocado;
    • avaliar desempenho da equipe;
    • dimensionar equipe de trabalho;
    • identificar tendências;
    • checar agenda de eventos e reservas;
    • controlar cumprimento de horário;
    • executar preparação de alimentos;
    • controlar observância de normas técnicas de higiene e segurança;
    • testar receitas;
    • fazer pré-preparo;
    • criar estratégias de giro de estoque;
    • checar processos de preparo e finalização;
    • criar apresentação;
    • orientar execução do serviço;
    • capacitar pessoal;
    • participar de elaboração de projeto de cozinha;
    • desenvolver talentos;
    • elaborar lista de matéria prima;
    • verificar manutenção das instalações, equipamentos e utensílios;
    • selecionar matéria prima;
    • ministrar treinamento;
    • trabalhar em equipe;
    • requisitar equipamentos e utensílios;
    • pesquisar novas técnicas, tecnológicas e produtos;
    • montar praça (mise-en-place);
    • analisar conceito do empreendimento gastronômico;
    • discriminar odores;
    • elaborar ficha técnica de receitas;
    • adaptar receitas;
    • propor promoções;
    • multiplicar talentos;
    • sugerir harmonização vinho/cardápio;
    • demonstrar capacidade de improvisação;
    • propor capacitação;
    • verificar condições de armazenamento;
    • propor dispensa de funcionários;
    • criar receitas;
    • demonstrar criatividade;
    • requisitar matéria prima;
    • definir leiaute de praças;
    • identificar disponibilidade/sazonalidade da matéria prima;
    • controlar produtividade da equipe;


    Setores que mais contratam Chefe de partida no mercado de trabalho

    • Restaurantes e similares
    • Lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares
    • Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para empresas
    • Hotéis
    • Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar
    • Bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas
    • Serviços de alimentação para eventos e recepções - bufê
    • Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - supermercados
    • Comércio varejista de produtos alimentícios em geral ou especializado em produtos alimentícios não especificados anteriormente
    • Padaria e confeitaria com predominância de revenda




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Supervisor de trens
    Supervisores dos serviços de transporte, turismo, hotelaria e administração de edifícios

    Supervisor de trens