Salário para o cargo de Treinador auxiliar de modalidade esportiva
CBO 2241-25 > Profissionais da educação física

Treinador auxiliar de modalidade esportiva - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Desenvolvem, com crianças, jovens e adultos, atividades físicas, ensinam técnicas desportivas,realizam treinamentos especializados com atletas de diferentes esportes, instruem-lhes acerca dos princípios e regras inerentes a cada um deles, avaliam e supervisionam o preparo físico dos atletas, acompanham e supervisionam as práticas desportivas, elaboram informes técnicos e científicos na área de atividades físicas e do desporto.

Quanto ganha um Treinador auxiliar de modalidade esportiva

Um Treinador auxiliar de modalidade esportiva trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.253,21 e R$ 14.877,76, com a média salarial de R$ 4.295,97 e o salário mediana em R$ 2.160,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Treinador auxiliar de modalidade esportiva

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 4.295,97 51.551,59 1.073,99 26,53
1º Quartil 1.253,21 15.038,51 313,30 7,74
Salário Mediana 2.160,00 25.920,00 540,00 13,34
3º Quartil 11.346,41 136.156,97 2.836,60 70,06
Teto Salarial 14.877,76 178.533,11 3.719,44 91,87


Categorias profissionais do cargo

  • Profissionais das ciências e das artes
    • Profissionais das ciências biológicas, da saúde
      • Profissionais da educação física
        • Profissionais da educação física

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.432 - 14.465 4.698,45 1.432,35 2.536,25 11.942,01 14.464,52
Rio de Janeiro - RJ 1.286 - 22.577 6.427,29 1.285,97 3.075,60 18.639,77 22.577,05
Belo Horizonte - MG 1.344 - 21.201 5.768,50 1.344,22 2.000,00 17.503,38 21.200,62
São Bernardo do Campo - SP 1.337 - 6.646 2.844,70 1.337,04 2.061,56 5.486,78 6.645,75
Curitiba - PR 1.262 - 11.770 3.872,11 1.262,13 2.081,69 9.717,06 11.769,60
Paranavaí - PR 1.264 - 4.990 2.181,00 1.264,08 1.600,00 4.119,38 4.989,52
Campinas - SP 1.459 - 6.964 3.589,76 1.459,35 3.480,00 5.749,33 6.963,76
Brasília - DF 1.703 - 6.196 3.500,85 1.703,24 3.948,50 5.115,16 6.195,64
Salvador - BA 1.193 - 51.653 11.688,03 1.193,15 2.704,18 42.644,81 51.652,67
Uberlândia - MG 1.257 - 5.946 3.072,67 1.257,04 3.279,06 4.909,13 5.946,09
Barueri - SP 2.040 - 9.066 3.795,34 2.040,37 2.700,00 7.484,86 9.065,89
Ribeirão Preto - SP 1.234 - 6.689 2.794,81 1.233,83 1.965,60 5.522,22 6.688,68
Porto Alegre - RS 1.342 - 4.080 2.304,77 1.341,63 2.299,36 3.368,15 4.079,60
Santo André - SP 1.727 - 7.583 3.195,13 1.726,83 2.394,99 6.260,48 7.582,88
Fortaleza - CE 1.336 - 4.825 2.273,25 1.335,91 2.000,00 3.983,93 4.825,46
Guarulhos - SP 1.333 - 8.196 3.094,04 1.333,44 1.999,70 6.766,78 8.196,13
Poços de Caldas - MG 1.085 - 2.732 1.468,63 1.085,00 1.310,00 2.255,38 2.731,78
Belém - PA 1.065 - 3.574 1.781,65 1.064,82 1.552,42 2.950,96 3.574,29
Caxias do Sul - RS 1.456 - 6.763 2.976,83 1.455,54 2.471,83 5.583,26 6.762,61
Matão - SP 1.429 - 5.639 3.281,18 1.429,09 3.529,54 4.655,77 5.639,21


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.336 - 13.878 4.456,48 1.336,47 2.344,30 11.457,42 13.877,57
Minas Gerais 1.160 - 18.996 5.165,75 1.160,07 1.859,04 15.683,11 18.995,85
Paraná 1.275 - 7.753 2.921,41 1.275,13 2.000,00 6.400,73 7.752,76
Rio de Janeiro 1.286 - 21.736 6.237,55 1.285,92 3.052,42 17.945,45 21.736,07
Rio Grande do Sul 1.355 - 5.253 2.514,69 1.354,56 2.191,97 4.336,76 5.252,81
Santa Catarina 1.193 - 4.297 2.027,36 1.193,30 1.655,78 3.547,52 4.296,86
Bahia 1.090 - 32.632 7.926,08 1.090,04 2.060,00 26.941,00 32.631,74
Distrito Federal 1.703 - 6.196 3.500,85 1.703,24 3.948,50 5.115,16 6.195,64
Pará 1.086 - 5.401 2.492,32 1.086,44 2.030,16 4.459,09 5.400,99
Pernambuco 1.161 - 5.604 2.482,38 1.160,62 2.158,32 4.627,06 5.604,44
Ceará 1.336 - 4.930 2.258,62 1.335,91 2.000,00 4.069,93 4.929,63
Mato Grosso do Sul 1.238 - 4.305 2.198,99 1.238,20 2.053,00 3.554,38 4.305,17
Goiás 1.073 - 3.114 1.678,43 1.073,25 1.415,25 2.571,25 3.114,38
Mato Grosso 1.091 - 14.696 4.164,50 1.091,00 1.724,50 12.133,33 14.696,26
Espírito Santo 1.201 - 16.455 4.510,47 1.200,59 2.500,00 13.585,42 16.455,06
Paraíba 1.039 - 20.600 5.407,67 1.038,98 1.500,00 17.007,20 20.599,63
Amazonas 1.792 - 2.852 2.121,82 1.792,43 2.169,93 2.355,00 2.852,45
Rio Grande do Norte 1.045 - 3.997 1.676,92 1.045,00 1.100,00 3.300,00 3.997,06
Roraima 1.076 - 3.773 2.069,85 1.076,25 2.469,12 3.114,72 3.772,64
Maranhão 1.102 - 4.142 2.170,67 1.102,00 2.100,00 3.420,00 4.142,41
Alagoas 1.100 - 4.110 2.015,11 1.100,00 1.295,34 3.393,00 4.109,70


Principais locais de trabalho

Profissionais da educação física os profissionais prestam serviços no campo dos exercícios físicos com objetivos educacionais, de saúde e de desempenho esportivo. Podem trabalhar em academias e escolas de esporte, clubes e hotéis, clínicas médicas e fisioterápicas, em atendimentos domiciliares, em órgãos da administração pública direta etc, como empregados com carteira ou como autônomos. Desenvolvem seu trabalho de forma individual, nos mais variados ambientes, em horários irregulares. Em algumas atividades, alguns profissionais podem trabalhar sob condições especiais, p.ex.,em posições desconfortáveis por período prolongado, sob pressão, sujeitos a mudanças climáticas e intempéries.


O que é preciso para trabalhar na área dos Profissionais da educação física

O exercício das ocupações da família requer formação superior em educação física, com registro no Conselho Regional de Educação Física. No mercado de trabalho, cresce o número de profissionais portadores de cursos de especialização e pós-graduação. O exercício pleno das atividades varia conforme a ocupação, entre um e quatro anos.


Funções e atividades do Treinador auxiliar de modalidade esportiva

Profissionais da educação física devem:

  • desenvolver treinamento;
  • coordenar atividade física e esportiva;
  • planejar ações de intervenção profissional;
  • comunicar-se;
  • demonstrar competências pessoais;
  • intervir nos processos competitivos;
  • identificar necessidades de intervenção profissional;

  • Atividades

    • demonstrar capacidade de inovação;
    • marcar horário e local das atividades;
    • orientar aspectos disciplinares, táticos e técnicos;
    • organizar comissão técnica;
    • comunicar a data e o local dos eventos aos interessados;
    • desenvolver capacidades cognitivas;
    • determinar os meios e processos das atividades;
    • orientar sobre as regras desportivas;
    • implementar treinamento técnico, tático e físico;
    • utilizar recursos de informática;
    • demonstrar capacidade de liderança;
    • verificar a documentação do atleta perante as entidades de administração esportiva;
    • determinar filosofia e métodos de trabalho;
    • participar de reuniões;
    • analisar as condições de competição;
    • avaliar o comportamento dos atletas na competição;
    • avaliar o potencial dos beneficiários;
    • fixar objetivos e metas;
    • programar treinamento e atividades;
    • realizar reuniões;
    • desempenhar papel de interlocutor;
    • aplicar testes funcionais;
    • corrigir erros táticos e técnicos;
    • cadastrar beneficiários;
    • ministrar cursos e palestras;
    • adequar os exercícios às condições e necessidades dos beneficiários;
    • aplicar exercícios corretivos de natureza técnico e tática;
    • orientar aspectos comportamentais, sociais, morais e éticos;
    • coletar dados estatísticos da competição;
    • verificar o local das atividades;
    • intervir com ações táticas e técnicas na competição;
    • coletar dados técnicos e físicos;
    • integrar os membros da comissão;
    • redigir relatórios técnicos periódicos;
    • desenvolver qualidades técnicas e táticas;
    • utilizar recursos audiovisuais;
    • desenvolver qualidades físicas e motoras;
    • utilizar gestos e sinais;
    • programar transporte, alimentação e hospedagem;
    • observar os relatórios dos aspectos psicológicos, nutricionais e médicos dos beneficiários;
    • identificar talentos;
    • aplicar atividades recreativas de desenvolvimento técnico, tático e físico;
    • demonstrar capacidade de expressão comunicativa;
    • promover eventos;
    • avaliar os resultados da aplicação do planejamento;
    • demonstrar capacidade de atualização;
    • selecionar o atleta e o praticante;
    • demonstrar criatividade;
    • utilizar comunicação oral e escrita;
    • utilizar meios de comunicação;
    • orientar o comportamento do atleta na competição;
    • analisar os dados físicos e técnicos dos beneficiários;
    • demonstrar controle emocional;
    • manter postura ética e moral;
    • classificar os beneficiários segundo características e dados biossociais;
    • controlar o material necessário para o desenvolvimento das atividades;
    • entrevistar atletas para contratação;
    • definir testes físicos;
    • desenvolver treinamento com dados das avaliações realizadas;
    • mostrar o movimento a ser realizado;
    • treinar atletas para objetivos fixados;
    • utilizar desenhos e gráficos;
    • indicar atletas para contratação;


    Setores que mais contratam Treinador auxiliar de modalidade esportiva no mercado de trabalho

    • Atividades de condicionamento físico
    • Clubes sociais, esportivos e similares
    • Ensino de esportes
    • Outras atividades de ensino
    • Atividades de associações de defesa de direitos sociais
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Serviços de assistência social sem alojamento
    • Ensino fundamental
    • Outras atividades esportivas
    • Atividades associativas




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: