Salário para o cargo de Técnico silvicultor
CBO 3212-10 > Técnicos florestais

Técnico silvicultor - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Supervisionam, execução de atividades florestais, desde a construção de viveiros florestais e infra-estrutura, produção de mudas e colheita florestal até o manejo de florestas nativas e comerciais, inventariam florestas, planejam atividades florestais, elaboram documentos técnicos. Administram unidades de conservação e de produção, atuam na preservação e conservação ambiental, fiscalizam e monitoram fauna e flora, ministram treinamentos e podem participar de pesquisas.

Quanto ganha um Técnico silvicultor

Um Técnico silvicultor trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.112,15 e R$ 5.935,69, com a média salarial de R$ 2.269,67 e o salário mediana em R$ 1.641,24 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Técnico silvicultor

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.269,67 27.236,08 567,42 10,56
1º Quartil 1.112,15 13.345,82 278,04 5,17
Salário Mediana 1.641,24 19.694,88 410,31 7,63
3º Quartil 4.526,81 54.321,75 1.131,70 21,06
Teto Salarial 5.935,69 71.228,31 1.483,92 27,61


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde
      • Técnicos da produção agropecuária
        • Técnicos florestais

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Três Lagoas - MS 1.121 - 3.996 1.743,90 1.121,01 1.330,02 3.299,37 3.996,29
Eunápolis - BA 1.049 - 2.572 1.333,12 1.049,37 1.090,94 2.123,30 2.571,81
São Paulo - SP 1.166 - 5.072 2.124,78 1.165,56 1.352,00 4.187,57 5.072,11
Guaíba - RS 1.192 - 4.125 1.791,02 1.192,33 1.201,80 3.405,69 4.125,07
Piracicaba - SP 1.475 - 2.156 1.634,52 1.474,76 1.641,24 1.780,42 2.156,49
Curitiba - PR 1.956 - 3.506 2.367,16 1.955,76 2.300,00 2.894,27 3.505,63
Paragominas - PA 1.050 - 2.138 1.247,02 1.049,60 1.100,00 1.764,93 2.137,74
Rio Doce - MG 1.100 - 1.379 1.128,00 1.100,00 1.138,50 1.138,50 1.378,99
Mariana - MG 1.145 - 2.619 1.451,89 1.145,21 1.265,00 2.161,90 2.618,56
Belém - PA 1.206 - 2.784 1.528,11 1.206,39 1.208,00 2.298,47 2.783,98
Lençóis Paulista - SP 1.483 - 5.385 2.333,98 1.482,65 1.751,00 4.445,59 5.384,63
Manaus - AM 2.302 - 4.978 3.093,55 2.301,92 3.161,00 4.109,62 4.977,70
Rio de Janeiro - RJ 1.776 - 4.289 2.381,83 1.776,38 2.006,00 3.540,66 4.288,55
Alagoinhas - BA 1.249 - 4.398 2.072,90 1.248,72 1.720,75 3.631,11 4.398,10
Telemaco Borba - PR 1.646 - 6.116 2.770,05 1.645,94 2.258,65 5.049,70 6.116,35
Parauapebas - PA 1.076 - 2.829 1.396,02 1.076,40 1.120,04 2.335,59 2.828,94
Belo Horizonte - MG 1.762 - 5.434 2.794,82 1.761,92 2.311,70 4.485,96 5.433,52
Ribeirão Preto - SP 1.213 - 2.833 1.527,44 1.213,08 1.243,05 2.338,55 2.832,52
Altamira - PA 1.045 - 4.797 1.711,48 1.045,00 1.045,00 3.960,83 4.797,48
São Mateus - ES 1.066 - 2.509 1.364,03 1.065,73 1.075,84 2.071,41 2.508,96


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.243 - 5.014 2.223,51 1.243,32 1.658,00 4.139,55 5.013,95
Minas Gerais 1.118 - 4.431 1.971,52 1.118,37 1.500,00 3.658,21 4.430,93
Pará 1.053 - 3.672 1.685,59 1.053,19 1.208,00 3.031,95 3.672,39
Bahia 1.050 - 3.910 1.734,99 1.049,62 1.142,71 3.228,24 3.910,14
Mato Grosso do Sul 1.118 - 4.748 2.070,73 1.117,91 1.343,32 3.919,78 4.747,75
Paraná 1.555 - 4.380 2.395,52 1.554,67 2.300,00 3.615,96 4.379,76
Rio Grande do Sul 1.195 - 4.394 1.930,05 1.195,43 1.400,00 3.627,74 4.394,03
Santa Catarina 1.458 - 4.829 2.484,49 1.458,41 2.199,20 3.986,59 4.828,68
Rio de Janeiro 1.623 - 4.045 2.260,20 1.622,54 2.006,00 3.339,37 4.044,74
Espírito Santo 1.072 - 4.899 2.292,93 1.071,58 2.102,15 4.044,90 4.899,31
Maranhão 1.283 - 5.480 2.459,10 1.282,60 2.041,00 4.524,51 5.480,22
Amazonas 2.145 - 5.819 3.227,97 2.144,71 3.161,00 4.803,89 5.818,61
Mato Grosso 1.176 - 4.442 2.172,89 1.176,44 2.000,00 3.667,27 4.441,91
Goiás 1.045 - 2.279 1.330,89 1.045,00 1.100,00 1.881,90 2.279,41
Sergipe 1.100 - 2.231 1.277,46 1.100,00 1.100,00 1.841,70 2.230,73
Acre 2.025 - 5.839 3.044,46 2.025,00 2.304,34 4.820,75 5.839,04
Tocantins 2.093 - 5.451 3.335,12 2.092,50 3.392,93 4.500,02 5.450,55
Pernambuco 1.115 - 3.311 1.796,89 1.114,73 1.568,60 2.733,33 3.310,70
Paraíba 1.045 - 2.506 1.264,45 1.045,00 1.045,00 2.069,09 2.506,14
Rondônia 1.332 - 3.634 2.011,38 1.332,31 1.755,36 3.000,00 3.633,69
Ceará 1.984 - 335.246 71.252,55 1.984,27 3.244,25 276.781,68 335.246,27
Rio Grande do Norte 1.250 - 4.041 2.050,64 1.250,00 1.769,10 3.336,46 4.041,21
Piauí 1.700 - 4.482 2.815,50 1.700,32 3.180,03 3.700,00 4.481,55
Distrito Federal 1.137 - 16.972 5.025,43 1.136,59 2.080,00 14.012,00 16.971,75


Principais locais de trabalho

Técnicos florestais atuam em instituições públicas e privadas ligadas a atividades florestais, empresas de fabricação de produtos de madeira, indústrias de papel e celulose, instituições de pesquisas e desenvolvimento, reservas ecológicas e indústrias de silvicultura e exploração florestal. Técnicas avançadas de mapeamento, possibilitadas pelo sistema de posicionamento global (gps) têm facilitado e agilizado a identificação de eventos a fiscalizar, ampliando o mercado de trabalho. Trabalham a céu aberto e em ambiente fechado. São assalariados, com carteira assinada. Atuam sob condições favoráveis de trabalho. Em algumas atividades, podem estar sujeitos a ruídos e material tóxico.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos florestais

O exercício do cargo de Técnicos florestais requer curso técnico florestal ou curso pós-técnico florestal, de nível médio. Trabalham em equipe multidisciplinar, sob supervisão ocasional de engenheiros florestais e afins. O pleno exercício da atividade é atingido após experiência profissional de um a dois anos na área.


Funções e atividades do Técnico silvicultor

Técnicos florestais devem:

  • planejar atividades florestais;
  • praticar extensão florestal;
  • administrar unidades de conservação e de produção;
  • elaborar documentos técnicos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • atuar na preservação e conservação ambiental;
  • inventariar florestas;
  • fiscalizar fauna e flora;
  • supervisionar execução de atividades florestais;
  • comunicar-se;
  • participar de pesquisas florestais;
  • ministrar treinamentos na Área florestal;
  • monitorar fauna e flora;

  • Atividades

    • orientar sobre uso de tecnologias;
    • fomentar atividades florestais;
    • monitorar ordenamento pesqueiro;
    • participar de publicação de resultados de pesquisas;
    • dar provas de responsabilidade;
    • demonstrar coerência;
    • selecionar matrizes de espécies florestais;
    • conferir dados coletados;
    • acompanhar experimentos em geral;
    • providenciar renovação de documentos fiscais;
    • propor práticas de uso alternativo de áreas florestais;
    • fazer levantamentos fitos sociológicos;
    • projetar viveiros florestais;
    • levantar suporte de turismo em áreas de conservação;
    • monitorar áreas de revegetação, reflorestamento e regeneração;
    • quantificar biomas;
    • elaborar plano de manejo de florestas nativas e comerciais;
    • processar dados coletados;
    • elaborar planos de auto suprimento;
    • supervisionar banco de dados;
    • supervisionar manejo de florestas nativas e comerciais;
    • supervisionar colheita florestal;
    • planejar infraestrutura (galpões, viveiros, vias de acesso, cercas, equipamentos e outros);
    • analisar projetos técnicos ambientais e de impacto ambiental;
    • demonstrar senso crítico;
    • supervisionar proteção florestal;
    • planejar volume de colheita de madeira;
    • fiscalizar controle fitossanitário de essências florestais;
    • ministrar palestras para comunidades, escolas e empresas;
    • visitar áreas de intervenção ambiental;
    • supervisionar produção e expedição de mudas;
    • monitorar espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção;
    • realizar perícias técnicas;
    • recensear áreas vizinhas das unidades de conservação e produção;
    • ministrar aulas;
    • trabalhar em equipe;
    • controlar volume de produção e estoque de produtos florestais;
    • efetuar levantamentos topográficos;
    • emitir autorização de colheita florestal e queima controlada;
    • supervisionar manutenção florestal;
    • vistoriar áreas florestais;
    • mobilizar comunidades e lideranças;
    • fornecer dados técnicos para elaboração de contratos;
    • supervisionar sucessão de florestas;
    • divulgar resultados de pesquisa;
    • demonstrar iniciativa;
    • emitir relatórios de inventários florestais;
    • realizar inventário contínuo e de pré-corte;
    • definir objetivos da floresta;
    • orientar execução de projetos técnicos;
    • participar da elaboração de projetos, estudos e relatórios sobre preservação e conservação ambiental;
    • organizar cronograma de treinamento;
    • elaborar planos de cortes e manejo sustentável;
    • emitir laudos técnicos e periciais;
    • assessorar criação de cooperativas;
    • orientar sobre recuperação de ecossistemas degradados;
    • supervisionar construção de viveiros florestais;
    • atualizar dados de cobertura florestal;
    • coordenar equipe de vigilância e resgate;
    • identificar potenciais alternativos de áreas florestais (consórcios);
    • demonstrar viabilidade econômica de produtos e métodos;
    • criar placas identificadoras e sinalizadoras;
    • demonstrar capacidade de expressão oral;
    • fiscalizar caça e pesca predatórias;
    • avaliar desempenho de treinandos;
    • supervisionar execução financeira das atividades florestais;
    • monitorar ciclo reprodutivo de espécies animais;
    • sistematizar informações socioeconômicas da comunidade;
    • elaborar cronograma de execução física e operacional;
    • definir técnicas de treinamento;
    • supervisionar aplicação de produtos químicos e orgânicos;
    • preparar material didático;
    • registrar treinamento realizado;
    • emitir autos de infração ambiental;
    • avaliar danos ambientais;
    • fiscalizar utilização de máquinas e equipamentos florestais;
    • pesquisar usos alternativos de madeira;
    • coletar dados, materiais e subprodutos para subsidiar pesquisas;
    • gerenciar industrialização de produtos florestais;
    • coibir extração de espécies vegetais ameaçadas de extinção;
    • assessorar implantação de atividades de turismo rural;
    • fiscalizar produção e comercialização de produtos e subprodutos da flora;
    • detectar necessidades de treinamento e reciclagem;
    • fazer levantamentos de sobrevivência pós-plantio e regeneração;
    • orientar sobre utilização racional de recursos naturais renováveis e conservação ambiental;
    • elaborar desenhos técnicos;
    • realizar levantamento residual, cubagem e fator de empilhamento;
    • demonstrar criatividade;
    • definir logística de carregamento e transporte;
    • coibir tráfico de animais e plantas;
    • liderar;
    • elaborar projetos de paisagismo e arborização urbana e rural;
    • gerenciar beneficiamento de produtos florestais;
    • emitir relatórios de atividades operacionais;
    • monitorar migração de espécies animais e vegetais;
    • orientar sobre legislação ambiental;
    • estabelecer diretrizes de conservação;
    • orientar sobre criação de reserva particular de patrimônio natural;
    • auxiliar na definição da metodologia de inventário;
    • supervisionar controle de qualidade de produção florestal;
    • desenvolver métodos e equipamentos;
    • emitir documentos fiscais;
    • demonstrar capacidade de expressão escrita;
    • classificar biomas;
    • elaborar planilha de custos para execução de projetos;
    • supervisionar construção e conservação de infraestrutura;
    • identificar líderes comunitários;
    • demonstrar qualidade de adaptação;
    • determinar área para implantação, condução e reforma de florestas;
    • adequar linguagem;
    • identificar responsáveis por danos ambientais;
    • atualizar cadastros em geral;
    • demonstrar bom condicionamento físico;
    • montar unidades demonstrativas;
    • participar na elaboração de projetos de pesquisa;
    • instalar experimentos em geral;
    • identificar áreas de intervenções ambientais;
    • definir técnicas de preparo e conservação de solos;
    • comercializar subprodutos;


    Setores que mais contratam Técnico silvicultor no mercado de trabalho

    • Atividades de apoio à produção florestal
    • Serviços de engenharia
    • Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel
    • Extração de madeira em florestas nativas
    • Outras atividades profissionais, científicas e técnicas
    • Serviços de agronomia e de consultoria às atividades agrícolas e pecuárias
    • Cultivo de eucalipto
    • Atividades de associações de defesa de direitos sociais
    • Cultivo de frutas de lavoura permanente
    • Cultivo de mudas em viveiros florestais




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: