Salário para o cargo de Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento
CBO 3171-20 > Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações

Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Desenvolvem sistemas e aplicações, determinando interface gráfica, critérios ergonômicos de navegação, montagem da estrutura de banco de dados e codificação de programas, projetam, implantam e realizam manutenção de sistemas e aplicações, selecionam recursos de trabalho, tais como metodologias de desenvolvimento de sistemas, linguagem de programação e ferramentas de desenvolvimento. Planejam etapas e ações de trabalho.

Quanto ganha um Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento

Um Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.466,08 e R$ 12.353,51, com a média salarial de R$ 4.178,53 e o salário mediana em R$ 2.800,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 4.178,53 50.142,31 1.044,63 19,75
1º Quartil 1.466,08 17.592,92 366,52 6,93
Salário Mediana 2.800,00 33.600,00 700,00 13,24
3º Quartil 9.421,32 113.055,81 2.355,33 44,53
Teto Salarial 12.353,51 148.242,17 3.088,38 58,39


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio das ciências físicas, químicas, engenharia
      • Técnicos em informática
        • Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 2.086 - 16.271 6.725,10 2.085,53 5.340,04 13.433,55 16.271,12
Fortaleza - CE 2.360 - 7.035 3.908,26 2.360,11 3.800,00 5.807,93 7.034,73
Rio de Janeiro - RJ 1.701 - 9.883 4.217,84 1.700,77 3.100,00 8.159,71 9.883,29
Rio do Sul - SC 1.918 - 3.271 2.239,04 1.918,23 1.927,50 2.700,97 3.271,49
Florianópolis - SC 2.094 - 8.264 3.971,03 2.093,57 3.500,00 6.823,16 8.264,42
Recife - PE 1.672 - 6.188 2.940,34 1.672,32 2.500,00 5.109,10 6.188,30
Belo Horizonte - MG 1.475 - 9.003 3.640,69 1.474,76 3.000,00 7.433,03 9.003,11
Curitiba - PR 1.910 - 6.752 3.439,48 1.909,58 3.329,69 5.574,45 6.751,95
Porto Alegre - RS 1.624 - 4.078 2.430,93 1.623,91 2.500,00 3.366,67 4.077,81
São José do Rio Preto - SP 1.549 - 3.343 2.058,83 1.548,87 2.000,00 2.760,00 3.342,99
Sorocaba - SP 1.315 - 2.841 1.827,48 1.315,00 1.800,00 2.345,92 2.841,44
Betim - MG 1.400 - 2.004 1.456,50 1.400,00 1.400,00 1.654,25 2.003,68
Brasília - DF 1.242 - 9.841 3.746,63 1.242,23 2.840,91 8.125,00 9.841,24
Assis - SP 1.273 - 1.986 1.523,85 1.272,59 1.640,00 1.640,00 1.986,42
Londrina - PR 1.423 - 4.268 2.379,81 1.423,13 2.571,23 3.523,74 4.268,06
Goiânia - GO 1.634 - 8.657 3.326,28 1.634,31 2.300,00 7.147,33 8.657,06
Barueri - SP 1.291 - 8.413 2.985,07 1.291,25 1.711,22 6.945,93 8.413,12
Piracicaba - SP 1.234 - 3.716 2.080,70 1.233,99 1.960,02 3.067,95 3.715,99
Maringá - PR 1.559 - 4.597 2.438,61 1.559,25 2.150,00 3.795,20 4.596,86
Campinas - SP 1.449 - 163.819 27.418,23 1.449,00 3.800,00 135.250,00 163.818,86


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.550 - 16.065 5.485,41 1.550,17 3.090,00 13.262,97 16.064,50
Ceará 2.246 - 7.002 3.860,44 2.245,65 3.800,00 5.781,24 7.002,41
Santa Catarina 1.535 - 5.741 2.707,11 1.534,97 2.300,00 4.739,64 5.740,79
Minas Gerais 1.211 - 7.758 2.876,52 1.211,28 1.800,00 6.405,02 7.757,95
Rio de Janeiro 1.648 - 9.529 3.897,08 1.647,74 2.549,63 7.867,27 9.529,07
Paraná 1.528 - 5.596 2.761,35 1.528,38 2.500,00 4.619,97 5.595,85
Rio Grande do Sul 1.476 - 6.654 2.877,55 1.475,84 2.116,50 5.493,33 6.653,69
Pernambuco 1.499 - 6.044 2.810,04 1.499,15 2.390,00 4.990,09 6.044,15
Goiás 1.175 - 7.553 2.675,91 1.175,17 1.842,12 6.235,50 7.552,62
Distrito Federal 1.242 - 9.841 3.746,63 1.242,23 2.840,91 8.125,00 9.841,24
Espírito Santo 1.087 - 3.651 1.922,30 1.086,76 1.655,33 3.014,11 3.650,78
Rio Grande do Norte 1.203 - 6.826 2.713,75 1.203,46 2.026,58 5.635,41 6.825,77
Bahia 1.045 - 5.024 2.951,06 1.045,00 3.150,00 4.147,82 5.023,96
Pará 1.163 - 2.597 1.594,10 1.163,14 1.509,12 2.143,81 2.596,64
Rondônia 1.419 - 1.938 1.494,01 1.419,36 1.500,00 1.600,00 1.937,97
Mato Grosso do Sul 1.230 - 6.454 3.113,23 1.229,87 3.384,59 5.328,16 6.453,63


Principais locais de trabalho

Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações trabalham em atividades de informática e conexas, presentes em todas as atividades econômicas. O programador de máquinas- ferramenta com controle númérico se faz presente na indústria. O programador de sistema de informação e o prgramador de maquinas- ferramenta com controle numérico são, predominantemente, empregados com carteira assinada, ao passo que o programador de multimídia trabalha também como autônomo. As atividades são realizadas no horário diurno, exceto o programador de sistemas de informação, que realiza suas atividades no horário noturno, e o programador de internet, que trabalha em horários irregulares. Todas as atividades se desenvolvem em ambiente fechado. Trabalham individualmente e com supervisão ocasional, exceto o programador de internet, o programador de multimídia e o programador de sistemas de informação, que podem, eventualmente, trabalhar em equipe. Em algumas ocupações, é possível o trabalho a distância. No exercício das atividades, podem permanecer em posições


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações

Para o exercício desse cargo requer-se ensino técnico de nível médio de informática ou superior incompleto em áreas como ciências exatas, informática, engenharia. A atualização profissional permanente é condição para o seu exercício. O desempenho pleno das atividades do programador de máquinas-ferramenta com comando numérico requer de três a quatro anos de experiência. As demais ocupações, de um a dois anos.


Funções e atividades do Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento

Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações devem:

  • implantar sistemas e aplicações;
  • realizar manutenção de sistemas e aplicações;
  • selecionar recursos de trabalho;
  • demonstrar competências pessoais;
  • projetar sistemas e aplicações;
  • planejar etapas e ações de trabalho;
  • desenvolver sistemas e aplicações;

  • Atividades

    • reunir-se com equipe de trabalho ou cliente;
    • selecionar linguagem de programação;
    • homologar sistemas e aplicações junto a clientes;
    • atualizar documentações de sistemas e aplicações;
    • alterar sistemas e aplicações;
    • adaptar conteúdo para mídias interativas;
    • codificar programas;
    • avaliar objetivos e metas de projetos de sistemas e aplicações;
    • monitorar desempenho e performance de sistemas e aplicações;
    • solicitar consultoria técnica;
    • coletar dados;
    • gerar aplicativos para instalação e gerenciamento de sistemas;
    • especificar atividades e tarefas;
    • aplicar critérios ergonômicos de navegação em sistemas e aplicações;
    • definir interface de comunicação e interatividade;
    • manter sigilo;
    • documentar sistemas e aplicações;
    • agir com paciência;
    • especificar recursos e estratégias de comunicação e comercialização;
    • demonstrar iniciativa;
    • compilar programas;
    • desenvolver interface gráfica;
    • selecionar ferramentas de desenvolvimento;
    • desenvolver leiaute de telas e relatórios;
    • definir critérios ergonômicos e de navegação em sistemas e aplicações;
    • atualizar informações gráficas e textuais;
    • especificar máquinas, ferramentas, acessórios e suprimentos;
    • definir cronograma de trabalho;
    • expressar-se por escrita;
    • trabalhar em equipe;
    • expressar-se oralmente;
    • elaborar anteprojeto, projetos conceitual, lógico, estrutural, físico e gráfico;
    • demonstrar receptividade;
    • modelar estrutura de banco de dados;
    • prover sistemas de rotinas de segurança;
    • projetar dispositivos, ferramentas e posicionamento de peças em máquinas;
    • identificar demanda de mercado;
    • especificar configurações de máquinas e equipamentos (hardware);
    • compor equipe técnica;
    • alterar estrutura de armazenamento de dados;
    • treinar usuários;
    • definir padronizações de sistemas e aplicações;
    • demonstrar flexibilidade;
    • demonstrar raciocínio lógico;
    • elaborar croquis e desenhos para geração de programas em ´cnc´;
    • montar estrutura de banco de dados;
    • demonstrar criatividade;
    • instalar programas;
    • selecionar metodologias de desenvolvimento de sistemas;
    • dimensionar vida útil de sistema e aplicações;
    • converter sistemas e aplicações para outras linguagens ou plataformas;
    • manter-se atualizado tecnicamente;
    • verificar resultados obtidos;
    • fornecer suporte técnico;
    • testar programas;
    • distribuir tarefas;


    Setores que mais contratam Programador de aplicativos educacionais e de entretenimento no mercado de trabalho

    • Desenvolvimento de programas de computador e software em geral
    • Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não-customizáveis
    • Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet
    • Consultoria em tecnologia da informação
    • Agências de publicidade
    • Suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação
    • Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis
    • Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet
    • Atividades de rádio
    • Provedores de acesso às redes de comunicações




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: