Salário para o cargo de Operador de gravação (trilha sonora para filmes)
CBO 3741-05 > Técnicos em áudio

Operador de gravação (trilha sonora para filmes) - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Configuram, operam e monitoram sistemas de sonorização e gravação, tratam e compilam registros sonoros como editar registros, sincronizar e mixar músicas, criam projetos de sistemas de sonorização e gravação, instalam/desinstalam e testam funcionamento de equipamentos de áudio e acessórios, executam músicas e arquivos sonoros, selecionando e gerenciando repertório, pesquisam novas tecnologias de reprodução de áudio e tendências musicais. No caso dos DJ,s conduzem as pistas de dança.

Quanto ganha um Operador de gravação (trilha sonora para filmes)

Um Operador de gravação (trilha sonora para filmes) trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.169,64 e R$ 4.219,09, com a média salarial de R$ 1.913,55 e o salário mediana em R$ 1.582,02 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de gravação (trilha sonora para filmes)

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.913,55 22.962,57 478,39 9,46
1º Quartil 1.169,64 14.035,67 292,41 5,78
Salário Mediana 1.582,02 18.984,24 395,51 7,82
3º Quartil 3.217,66 38.611,93 804,42 15,90
Teto Salarial 4.219,09 50.629,12 1.054,77 20,85


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos em nivel médio dos serviços culturais, das comunicações e dos desportos
      • Técnicos em operação de aparelhos de sonorização, cenografia e projeção
        • Técnicos em áudio

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.288 - 4.655 2.150,87 1.287,77 1.650,00 3.842,83 4.654,55
Brasília - DF 1.542 - 3.842 1.977,68 1.542,19 1.582,02 3.172,16 3.842,21
Rio de Janeiro - RJ 1.366 - 4.423 2.199,58 1.366,32 1.760,00 3.651,43 4.422,72
Florianópolis - SC 1.824 - 5.384 3.332,78 1.824,43 3.894,63 4.444,83 5.383,71
Curitiba - PR 1.370 - 2.763 1.703,10 1.370,25 1.469,43 2.281,35 2.763,23
Serra - ES 1.144 - 1.451 1.159,28 1.143,93 1.143,93 1.198,07 1.451,14
Belo Horizonte - MG 1.142 - 3.632 2.031,41 1.141,62 1.821,81 2.998,84 3.632,28
Birigui - SP 1.119 - 1.496 1.148,55 1.118,51 1.120,34 1.235,01 1.495,88
Manaus - AM 1.064 - 2.217 1.569,51 1.064,03 1.691,69 1.830,62 2.217,30
Jundiaí - SP 1.474 - 1.983 1.579,62 1.473,72 1.637,00 1.637,00 1.982,78
Fortaleza - CE 1.194 - 2.543 1.704,65 1.194,00 1.942,44 2.099,38 2.542,83
Ribeirão Preto - SP 1.350 - 2.919 1.706,62 1.350,00 1.500,16 2.409,65 2.918,64
Cotia - SP 1.328 - 4.239 2.440,54 1.327,69 2.550,00 3.500,00 4.239,31
Mauá - SP 1.623 - 2.632 1.918,84 1.623,38 1.939,40 2.173,16 2.632,20
Porto Alegre - RS 1.589 - 3.654 2.086,22 1.588,74 1.650,00 3.016,68 3.653,89
Campinas - SP 1.289 - 3.830 1.973,08 1.288,93 1.508,89 3.162,00 3.829,91
Uberlândia - MG 1.530 - 4.239 1.968,84 1.530,00 1.580,19 3.500,00 4.239,31
Vitoria - ES 1.188 - 3.035 1.463,51 1.188,31 1.227,34 2.505,66 3.034,93
Campo Grande - MS 1.045 - 3.061 1.310,35 1.045,00 1.045,00 2.527,46 3.061,34
Maringá - PR 1.469 - 2.645 1.769,16 1.469,42 1.658,10 2.183,66 2.644,91


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.221 - 3.998 1.941,85 1.220,70 1.590,00 3.301,03 3.998,30
Santa Catarina 1.295 - 5.127 2.719,04 1.295,16 2.300,00 4.233,22 5.127,40
Distrito Federal 1.542 - 3.842 1.977,68 1.542,19 1.582,02 3.172,16 3.842,21
Rio de Janeiro 1.348 - 4.296 2.159,64 1.347,85 1.701,00 3.546,75 4.295,93
Paraná 1.333 - 2.913 1.745,51 1.333,06 1.619,77 2.405,34 2.913,42
Minas Gerais 1.105 - 3.569 1.865,06 1.104,80 1.684,97 2.946,42 3.568,79
Espírito Santo 1.144 - 2.112 1.297,55 1.143,93 1.188,31 1.743,37 2.111,62
Rio Grande do Sul 1.097 - 3.160 1.596,48 1.097,25 1.343,00 2.608,86 3.159,93
Rondônia 1.045 - 2.160 1.259,90 1.045,00 1.135,00 1.783,54 2.160,28
Amazonas 1.064 - 2.217 1.569,51 1.064,03 1.691,69 1.830,62 2.217,30
Ceará 1.194 - 2.509 1.730,56 1.194,00 1.971,22 2.071,45 2.509,00
Mato Grosso 1.045 - 2.962 1.522,31 1.045,00 1.435,29 2.445,50 2.962,06
Mato Grosso do Sul 1.045 - 2.439 1.301,94 1.045,00 1.045,03 2.013,73 2.439,09
Bahia 1.108 - 2.224 1.389,67 1.107,77 1.188,16 1.836,38 2.224,28
Pará 1.100 - 1.670 1.172,35 1.100,00 1.141,65 1.378,41 1.669,57
Roraima 1.085 - 1.659 1.322,50 1.085,00 1.370,00 1.370,00 1.659,39
Pernambuco 2.467 - 3.314 2.541,35 2.467,19 2.467,20 2.735,72 3.313,59
Goiás 1.200 - 3.164 1.868,31 1.200,00 1.800,00 2.612,50 3.164,34


Principais locais de trabalho

Técnicos em áudio trabalham em emissoras de radio e televisão, estúdios, shows, casas noturnas, festas, palestras, eventos, filmagens, predominantemente como autônomos, No caso dos sonoplastas e analistas musicais atuam como assalariados com carteira assinada, Executam suas atividades sob supervisão ocasional e em equipe, exceção feita aos DJs e aos analistas musicais que trabalham de forma individual, Trabalham em horários irregulares, em ambientes fechados, à céu aberto ou ainda em veículos, Podem permanecer em posições desconfortáveis por longos períodos e frequentemente, são expostos a ruídos intensos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos em áudio

Requer-se formação pós-secundária e cursos de especialização para projetista de sistema de áudio e projetista de som, formação de nível médio e especialização de até quatrocentas horas-aula para os demais profissionais, sendo que para o microfonista e técnico em instalação de equipamentos de áudio podem ser menores. O pleno desempenho das atividades dos técnicos em gravação de áudio ocorre após um ou dois anos, a dos DJs após três ou quatro anos, a dos projetistas sistema de áudio e dos projetistas de som, após cinco anos de experiência e a dos sonoplastas e analistas musicais requer conhecimento e prática na área. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de gravação (trilha sonora para filmes)

Técnicos em áudio devem:

  • montar equipamentos de Áudio e acessórios;
  • demonstrar competências pessoais;
  • comunicar-se;
  • compilar registros sonoros;
  • executar músicas e arquivos sonoros;
  • operar sistemas de gravação;
  • operar sistemas de sonorização;
  • projetar sistema de sonorização e gravação;
  • tratar registros sonoros;

  • Atividades

    • cumprir roteiro do evento;
    • conferir funcionamento de sistema de áudio;
    • demonstrar criatividade;
    • editar registros sonoros;
    • orçar evento;
    • pesquisar efeitos sonoros (foley);
    • posicionar equipamentos de áudio;
    • demonstrar capacidade de organização;
    • mixar músicas;
    • alinhar sistemas de gravação;
    • demonstrar iniciativa;
    • pesquisar novas tecnologias de reprodução de áudio;
    • captar sinais de áudio para sistema de gravação;
    • demonstrar capacidade de atenção a detalhes;
    • distribuir sinais de áudio para outros sistemas;
    • checar níveis de interferência em sistema;
    • avaliar qualidade do produto sonoro;
    • adequar volume e equalização para o ambiente/situação;
    • transferir registros sonoros para locais predefinidos;
    • preparar sistema de monitoração para gravação;
    • interagir com o público;
    • selecionar registros sonoros;
    • demonstrar flexibilidade;
    • demonstrar capacidade de memorização;
    • conferir sistema de energia elétrica e aterramento;
    • lidar com imprevistos;
    • selecionar transdutores eletroacústicos;
    • verificar condições de infraestrutura para acesso e instalação de equipamentos;
    • conferir uniformidade de distribuição de áudio;
    • pesquisar trilhas sonoras;
    • definir necessidades técnicas do evento;
    • divulgar trabalho;
    • encaminhar programação musical para ecad;
    • gerenciar repertório;
    • sublimar gosto musical pessoal;
    • conduzir a pista;
    • demonstrar sensibilidade musical;
    • demonstrar acuidade auditiva;
    • configurar sistemas de sonorização;
    • mixar banda musical;
    • colher informações sobre evento de sonorização e gravação;
    • definir demanda de energia elétrica de sistema;
    • analisar roteiro de programação musical;
    • embalar equipamentos;
    • monitorar sinais gravados;
    • executar projeto de instalação de equipamentos;
    • equilibrar diferenças de registros sonoros mixados;
    • acionar serviço de manutenção de equipamentos;
    • mapear pistas de gravação;
    • pesquisar músicas (tendências de mercado, cultura);
    • manipular arquivos de áudio (digital e analógico);
    • escolher meio de registro (mídia);
    • posicionar transdutores eletroacústicos;
    • adequar repertório ao público;
    • arquivar registros sonoros em locais predefinidos;
    • trabalhar em equipe;
    • analisar ambiente de gravação;
    • ajustar estruturas de ganho de sistema;
    • misturar sinais de fontes de áudio;
    • equilibrar sinais de fontes de áudio;
    • organizar repertório;
    • conectar/desconectar sinais de áudio;
    • participar de reunião com área de produção;
    • selecionar repertório;
    • identificar parâmetros acústicos do local;
    • sincronizar músicas na mesma batida;
    • analisar sinais de áudio;
    • configurar sistemas de gravação;
    • interagir com áreas afins;
    • demonstrar concentração;
    • limpar equipamentos;
    • supervisionar transporte de equipamentos;
    • orientar microfonista e assistente;
    • instalar/desinstalar transdutores;
    • definir ângulos de cobertura, níveis de pressão sonora e resposta de frequência;
    • selecionar equipamentos de áudio;
    • gravar sinais em meio de registro (mídia);
    • demonstrar capacidade de encontrar soluções;
    • substituir equipamentos com defeito;
    • ordenar faixas e rolos em sequência predeterminada;
    • verificar dimensões físicas do local;
    • especificar equipamentos, microfones, transdutores, cabos e conectores (rider técnico);
    • sugerir fornecedores;
    • controlar dinâmica de registros sonoros;
    • minimizar ruídos e distorções;
    • analisar registros sonoros mixados;
    • discutir briefing do evento;
    • marcar pontos específicos de faixas, rolos e arquivos digitais;
    • definir padrões de sincronismo;
    • gerar desenhos e diagramas de instalação (asbuilt);
    • operar equipamentos específicos;
    • arquivar meio de registro em ambientes conforme especificações técnicas;
    • selecionar estilos musicais;
    • equalizar registros sonoros;
    • trabalhar com precisão;
    • definir mapa de palco e input list;
    • inserir áudio descrição;
    • emular ambientes em registros sonoros;
    • avaliar características de fonte sonora (timbre, formato e tipo);
    • demonstrar paciência;
    • identificar público alvo;
    • apresentar estilos musicais para clientes e/ou superiores;
    • conectar/desconectar sistema de caixas acústicas;
    • trabalhar sob pressão;
    • passar o som (sound check);
    • testar funcionamento de equipamentos;
    • gerar master;
    • alinhar sistemas de sonorização;


    Setores que mais contratam Operador de gravação (trilha sonora para filmes) no mercado de trabalho

    • Atividades de rádio
    • Atividades de televisão aberta
    • Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet
    • Atividades de organizações religiosas
    • Atividades de gravação de som e de edição de música
    • Atividades de produção de fotografias, exceto aérea e submarina
    • Aluguel de outras máquinas e equipamentos comerciais e industriais não especificados anteriormente, sem operador
    • Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Comércio varejista especializado de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: