Salário para o cargo de Formador - na cultura
CBO 6220-20 > Trabalhadores de apoio à agricultura

Formador - na cultura - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Colhem policulturas, derriçando café, retirando pés de feijão, leguminosas e tuberosas, batendo feixes de cereais e sementes de flores, bem como cortando a cana. Plantam culturas diversas, introduzindo sementes e mudas em solo, forrando e adubando-as com cobertura vegetal. Cuidam de propriedades rurais. Efetuam preparo de mudas e sementes através da construção de viveiros e canteiros, cujas atividades baseiam-se no transplante e enxertia de espécies vegetais. Realizam tratos culturais, além de preparar o solo para plantio.

Quanto ganha um Formador - na cultura

Um Formador - na cultura trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.110,94 e R$ 2.391,24, com a média salarial de R$ 1.373,18 e o salário mediana em R$ 1.216,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Formador - na cultura

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.373,18 16.478,14 343,29 6,27
1º Quartil 1.110,94 13.331,34 277,74 5,07
Salário Mediana 1.216,00 14.592,00 304,00 5,55
3º Quartil 1.823,66 21.883,91 455,91 8,33
Teto Salarial 2.391,24 28.694,84 597,81 10,92


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca
    • Trabalhadores na exploração agropecuária
      • Trabalhadores agrícolas
        • Trabalhadores de apoio à agricultura

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.051 - 2.263 1.337,56 1.050,94 1.215,00 1.868,07 2.262,67
Vacaria - RS 1.276 - 1.600 1.305,85 1.276,13 1.320,00 1.320,88 1.599,89
Bom Jesus - RS 1.276 - 1.612 1.306,16 1.276,26 1.320,00 1.331,24 1.612,44
Petrolina - PE 1.084 - 1.378 1.099,43 1.083,73 1.088,00 1.138,02 1.378,40
Holambra - SP 1.145 - 1.781 1.226,40 1.145,00 1.145,00 1.470,58 1.781,22
Patos de Minas - MG 1.077 - 1.819 1.271,36 1.076,53 1.264,45 1.502,08 1.819,37
Santa Helena de Goiás - GO 1.224 - 1.774 1.299,43 1.223,84 1.250,00 1.464,56 1.773,92
Coelho Neto - MA 1.097 - 1.370 1.105,77 1.097,08 1.097,40 1.131,20 1.370,14
Guaira - SP 1.162 - 1.662 1.240,67 1.162,39 1.164,60 1.372,13 1.661,96
Barreiras - BA 1.126 - 1.580 1.178,70 1.126,21 1.130,12 1.304,51 1.580,06
São Gotardo - MG 1.046 - 1.725 1.190,68 1.045,98 1.147,70 1.423,79 1.724,54
Nova Ponte - MG 1.045 - 1.808 1.156,93 1.045,00 1.045,00 1.492,98 1.808,34
Canto do Buriti - PI 1.045 - 1.907 1.177,12 1.045,00 1.045,00 1.574,52 1.907,11
Ribeira do Amparo - BA 1.045 - 1.319 1.070,42 1.045,00 1.088,00 1.089,26 1.319,34
Sapezal - MT 1.046 - 2.167 1.367,64 1.045,89 1.344,39 1.788,92 2.166,79
Luís Eduardo Magalhaes - BA 1.123 - 1.763 1.222,76 1.122,65 1.132,16 1.455,65 1.763,12
Caxias do Sul - RS 1.237 - 1.523 1.242,01 1.236,67 1.237,15 1.257,06 1.522,59
Jaborandi - BA 1.129 - 1.710 1.230,20 1.129,31 1.192,28 1.411,74 1.709,94
Perdizes - MG 1.077 - 2.058 1.327,22 1.076,63 1.228,00 1.699,02 2.057,91
Urucania - MG 1.094 - 1.337 1.098,51 1.094,29 1.097,80 1.104,16 1.337,39


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.059 - 2.820 1.455,22 1.058,97 1.215,00 2.328,32 2.820,13
Rio Grande do Sul 1.249 - 1.674 1.311,02 1.248,85 1.320,00 1.382,13 1.674,08
Minas Gerais 1.037 - 2.486 1.350,34 1.037,38 1.149,50 2.052,64 2.486,22
Mato Grosso 1.126 - 2.247 1.425,27 1.126,48 1.358,70 1.854,82 2.246,61
Bahia 1.050 - 1.743 1.184,43 1.050,20 1.130,12 1.439,29 1.743,31
Goiás 1.073 - 2.017 1.289,52 1.073,08 1.190,03 1.665,27 2.017,02
Maranhão 1.085 - 1.629 1.173,34 1.085,49 1.097,40 1.344,61 1.628,63
Pernambuco 1.076 - 1.400 1.102,12 1.076,49 1.088,00 1.155,97 1.400,15
Santa Catarina 1.187 - 1.730 1.274,22 1.186,75 1.240,00 1.428,35 1.730,06
Paraná 1.166 - 2.048 1.405,40 1.166,18 1.383,80 1.691,11 2.048,32
Piauí 1.045 - 1.894 1.186,89 1.045,00 1.045,00 1.563,52 1.893,78
Mato Grosso do Sul 1.127 - 2.403 1.443,80 1.126,88 1.301,73 1.983,77 2.402,80
Espírito Santo 1.053 - 1.531 1.113,96 1.052,73 1.069,00 1.263,74 1.530,68
Tocantins 1.080 - 1.891 1.272,66 1.079,96 1.210,00 1.560,88 1.890,58
Pará 1.045 - 1.743 1.165,51 1.044,86 1.085,91 1.439,19 1.743,19
Ceará 1.052 - 1.328 1.066,06 1.051,66 1.058,00 1.096,64 1.328,29
Rio Grande do Norte 1.050 - 1.394 1.085,59 1.049,60 1.070,00 1.150,81 1.393,90
Alagoas 1.051 - 1.474 1.097,04 1.050,88 1.060,00 1.217,27 1.474,40
Rondônia 1.124 - 1.971 1.331,58 1.124,39 1.291,00 1.627,01 1.970,68
Rio de Janeiro 1.182 - 1.764 1.286,24 1.182,00 1.249,72 1.456,67 1.764,36
Paraíba 1.045 - 1.385 1.072,63 1.045,00 1.049,40 1.143,10 1.384,56
Roraima 1.045 - 1.372 1.066,62 1.045,00 1.045,00 1.132,34 1.371,53
Distrito Federal 1.104 - 2.630 1.559,90 1.103,96 1.485,63 2.171,07 2.629,66
Amazonas 1.054 - 1.983 1.281,68 1.054,31 1.141,39 1.636,98 1.982,75
Sergipe 1.045 - 1.473 1.086,72 1.045,00 1.045,00 1.216,32 1.473,24
Amapá 1.045 - 1.924 1.196,22 1.045,00 1.073,60 1.588,24 1.923,72
Acre 1.046 - 1.914 1.259,74 1.046,00 1.236,00 1.580,32 1.914,13


Principais locais de trabalho

Trabalhadores de apoio à agricultura trabalham em atividades da agricultura e da pecuária ou em pequenas chácaras de lazer, no caso do caseiro. Atuam de forma individual e em equipe, sob supervisão, em ambiente a ceu aberto, durante o dia. Permanecem em posições desconfortáveis durante longos períodos. Podem ficar expostos a materiais tóxicos e sujeitos às intempéries das variações climáticas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Trabalhadores de apoio à agricultura

O exercício das ocupações requer ensino funamental (jardineiro e trabalhador na produção de mudas e sementes) e até quarta série do mesmo nível (caseiro e trabalhador volante da agricultura). A qualificação é obtida na prática, exceto o trabalhador na produção de mudas e sementes, que demanda curso básico profissionalizante de até duzentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades ocorre após alguns meses de prática (caseiro e trabalhador volante) e de um a dois anos para os demais. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Formador - na cultura

Trabalhadores de apoio à agricultura devem:

  • preparar solo para plantio;
  • colher policulturas;
  • organizar colheita para beneficiamento de policulturas;
  • cuidar de propriedades rurais;
  • realizar tratos culturais;
  • plantar policulturas;
  • efetuar preparo de mudas e sementes policulturais;
  • demonstrar competências pessoais;

  • Atividades

    • cercar espaços de propriedades rurais;
    • depositar grãos em balaios, cestos e caixas;
    • dar prova de responsabilidade no cuidado da propriedade rural;
    • ensacar grãos;
    • peneirar grãos;
    • podar plantações;
    • plantar cobertura vegetal;
    • armazenar grãos em instalações;
    • construir canteiros de sementes;
    • medir espaçamento entre mudas e sementes de plantas;
    • derriçar café;
    • efetuar manutenções de primeiro nível em equipamentos;
    • demonstrar habilidade manual;
    • cortar cereais e cana;
    • lavar café;
    • recepcionar visitantes;
    • estender pano sob pés de café;
    • transplantar sementes semi-germinadas e mudas para sacos plásticos;
    • encher sacos plásticos com terra e nutrientes;
    • pintar cercas;
    • misturar nutrientes em terra;
    • articular-se em redes de informações sobre trabalho temporário;
    • medir espaçamento entre ruas;
    • confeccionar cambão;
    • semear grãos em germinador;
    • bater feijão com cambão;
    • formar curvas de nível;
    • arruar plantações;
    • revirar grãos em terreiro;
    • gradear solo;
    • demonstrar resistência física;
    • empilhar cana em campo;
    • sulcar solo;
    • podar jardins;
    • demonstrar força física;
    • aplicar calcário em solo;
    • reparar cercas;
    • selecionar mudas;
    • enxertar mudas;
    • arar solo;
    • pesar produtos agrícolas;
    • identificar pragas e parasitas em plantações, jardins e viveiros;
    • forrar solo com cobertura vegetal;
    • secar sementes de flores em sombra;
    • guardar equipamentos em instalações;
    • ralear mudas;
    • despejar grãos em secador;
    • desbrotar plantações e jardins;
    • nivelar solo;
    • construir canteiros de mudas;
    • demonstrar sensibilidade com plantas;
    • colher sementes de flores;
    • cavar solo;
    • coletar amostras de solo;
    • queimar canaviais para colheita;
    • construir viveiros;
    • limpar instalações;
    • introduzir sementes em solo;
    • selecionar sementes;
    • adubar covas, plantações e jardins;
    • roçar solo com foice;
    • bater feixe de cereais;
    • retirar pés de leguminosas e tuberosas;
    • rastelar plantações;
    • capinar plantações, jardins e viveiros;
    • formar coroas sob pés de plantas;
    • cavar buraco para depósito de lixo;
    • retirar pés de feijão;
    • regar plantas;
    • introduzir mudas em solo;
    • lavar ferramentas e equipamentos;
    • arrancar ervas daninhas e plantas doentes;
    • cuidar de animais domésticos;
    • classificar produtos agrícolas;
    • anotar produção;
    • transportar produtos agrícolas do campo para instalações;
    • vestir equipamentos de proteção individual (epi);
    • embalar legumes e tuberosas em caixas;
    • pulverizar plantações e jardins com defensivos agrícolas e adubos foliares;
    • vigiar propriedades rurais;


    Setores que mais contratam Formador - na cultura no mercado de trabalho

    • Cultivo de soja
    • Cultivo de maçã
    • Cultivo de café
    • Atividades de apoio à agricultura
    • Horticultura, exceto morango
    • Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente
    • Fabricação de açúcar em bruto
    • Criação de bovinos para corte
    • Fabricação de álcool
    • Cultivo de cana-de-açúcar




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: