Salário para o cargo de Técnico em patologia clínica
CBO 3242-05 > Técnicos de laboratórios de saúde e bancos de sangue

Técnico em patologia clínica - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Analisam material biológico de pacientes e doadores, recebendo e preparando amostras conforme protocolos específicos. Operam, checam e calibram equipamentos analíticos e de suporte. Os técnicos em patologia clínica e hemoterapia podem realizar coleta de material biológico. Trabalham conforme normas e procedimentos técnicos de boas práticas, qualidade e biossegurança. Mobilizam capacidades de comunicação oral e escrita para efetuar registros, dialogar com a equipe de trabalho e orientar pacientes e doadores.

Quanto ganha um Técnico em patologia clínica

Um Técnico em patologia clínica trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.181,67 e R$ 3.878,05, com a média salarial de R$ 1.812,42 e o salário mediana em R$ 1.535,82 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Técnico em patologia clínica

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.812,42 21.749,04 453,11 9,15
1º Quartil 1.181,67 14.180,08 295,42 5,96
Salário Mediana 1.535,82 18.429,84 383,96 7,75
3º Quartil 2.957,56 35.490,76 739,39 14,93
Teto Salarial 3.878,05 46.536,55 969,51 19,57


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde
      • Técnicos em operação de equipamentos e instrumentos de diagnóstico
        • Técnicos de laboratórios de saúde e bancos de sangue

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.317 - 4.391 2.215,55 1.316,59 1.949,55 3.625,36 4.391,15
Rio de Janeiro - RJ 1.130 - 2.651 1.584,11 1.130,35 1.502,95 2.188,30 2.650,53
Salvador - BA 1.234 - 2.558 1.558,37 1.233,73 1.430,92 2.111,75 2.557,81
Belo Horizonte - MG 1.216 - 3.266 1.769,17 1.216,36 1.578,81 2.696,42 3.265,99
Brasília - DF 1.282 - 4.649 2.198,43 1.282,21 1.682,00 3.838,00 4.648,70
Barueri - SP 1.368 - 3.464 1.860,49 1.367,96 1.500,00 2.860,02 3.464,14
Curitiba - PR 1.431 - 3.190 1.816,62 1.430,81 1.530,00 2.633,84 3.190,19
Manaus - AM 1.103 - 2.024 1.356,57 1.102,75 1.328,32 1.671,03 2.024,00
Goiânia - GO 1.338 - 2.736 1.768,48 1.338,16 1.733,19 2.259,24 2.736,45
Recife - PE 1.184 - 9.244 2.953,64 1.184,42 1.588,35 7.632,17 9.244,32
Duque de Caxias - RJ 1.208 - 2.726 1.628,80 1.208,46 1.514,89 2.250,58 2.725,96
Campinas - SP 1.553 - 4.283 2.215,37 1.553,35 1.767,00 3.536,27 4.283,23
Niterói - RJ 1.175 - 2.228 1.420,77 1.174,71 1.293,17 1.839,13 2.227,60
Maceió - AL 1.140 - 2.040 1.404,88 1.140,33 1.395,03 1.684,13 2.039,87
São Gonçalo - RJ 1.094 - 2.229 1.396,20 1.093,68 1.259,69 1.840,25 2.228,97
Sorocaba - SP 1.494 - 3.705 2.169,75 1.493,75 1.974,99 3.058,48 3.704,52
Contagem - MG 1.232 - 2.579 1.665,71 1.231,95 1.643,32 2.129,27 2.579,03
Campo Grande - MS 1.239 - 2.210 1.461,69 1.239,21 1.422,00 1.825,00 2.210,50
São Luís - MA 1.149 - 2.527 1.405,75 1.149,42 1.200,00 2.086,00 2.526,63
Fortaleza - CE 1.155 - 2.915 1.552,92 1.154,96 1.290,93 2.406,68 2.915,04


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.320 - 4.067 2.087,78 1.320,20 1.798,16 3.357,98 4.067,28
Rio de Janeiro 1.132 - 2.818 1.613,48 1.131,65 1.502,36 2.326,71 2.818,18
Minas Gerais 1.134 - 3.003 1.626,76 1.133,79 1.464,17 2.479,62 3.003,39
Bahia 1.176 - 2.466 1.502,56 1.176,10 1.400,00 2.035,63 2.465,62
Paraná 1.364 - 3.190 1.807,47 1.364,16 1.548,35 2.633,51 3.189,79
Distrito Federal 1.282 - 4.649 2.198,43 1.282,21 1.682,00 3.838,00 4.648,70
Goiás 1.272 - 2.874 1.765,03 1.272,27 1.700,00 2.373,11 2.874,38
Amazonas 1.092 - 2.019 1.349,78 1.091,63 1.328,32 1.666,56 2.018,58
Pernambuco 1.146 - 7.608 2.575,38 1.146,17 1.425,60 6.280,81 7.607,50
Santa Catarina 1.341 - 3.094 1.796,89 1.340,76 1.603,82 2.554,61 3.094,22
Espírito Santo 1.305 - 4.167 1.947,22 1.305,41 1.500,00 3.440,51 4.167,24
Maranhão 1.128 - 2.308 1.356,34 1.127,55 1.200,00 1.905,38 2.307,85
Rio Grande do Sul 1.224 - 4.174 2.059,18 1.224,07 1.680,23 3.445,90 4.173,77
Alagoas 1.134 - 2.024 1.393,74 1.134,34 1.395,03 1.671,14 2.024,13
Mato Grosso do Sul 1.216 - 4.832 1.995,57 1.216,00 1.404,05 3.989,07 4.831,68
Ceará 1.129 - 2.725 1.488,81 1.128,53 1.229,80 2.249,98 2.725,24
Pará 1.252 - 2.855 1.793,14 1.252,07 1.781,25 2.357,40 2.855,36
Sergipe 1.047 - 2.123 1.333,79 1.047,15 1.300,00 1.752,58 2.122,78
Piauí 1.055 - 2.076 1.285,30 1.054,59 1.186,04 1.713,98 2.076,03
Rio Grande do Norte 1.045 - 1.726 1.229,16 1.044,65 1.227,25 1.425,39 1.726,47
Paraíba 1.096 - 2.390 1.403,88 1.095,81 1.166,92 1.973,59 2.390,47
Mato Grosso 1.194 - 2.362 1.423,94 1.193,64 1.252,30 1.949,95 2.361,84
Tocantins 1.073 - 1.816 1.209,20 1.072,84 1.117,42 1.499,05 1.815,70
Roraima 1.045 - 1.697 1.163,39 1.045,00 1.094,10 1.400,97 1.696,89
Rondônia 1.045 - 2.250 1.326,84 1.045,00 1.178,53 1.857,35 2.249,67
Amapá 1.045 - 2.017 1.232,79 1.045,00 1.074,79 1.665,30 2.017,06
Acre 1.129 - 1.948 1.336,08 1.128,95 1.200,00 1.607,91 1.947,55


Principais locais de trabalho

Técnicos de laboratórios de saúde e bancos de sangue trabalham em laboratórios clínicos, em hospitais, bancos de sangue e em serviços de saúde pública. São empregados assalariados, com carteira assinada, que trabalham em ambientes fechados, e alguns, por rodízio de turnos. Via de regra, trabalham individualmente com supervisão de profissionais de nível superior, tais como bioquímicos, biomédicos, médicos, etc. Em algumas das atividades exercidas sofrem exposição a material tóxico, radiação e risco biológico.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos de laboratórios de saúde e bancos de sangue

Para o exercício das ocupações desta família ocupacional requer-se curso técnico profissionalizante oferecido por instituições de formação profissional e escolas técnicas. O pleno desempenho das atividades requer experiência inferior a um ano. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Técnico em patologia clínica

Técnicos de laboratórios de saúde e bancos de sangue devem:

  • operar equipamentos analíticos e de suporte;
  • coletar material biológico;
  • preparar amostra do material biológico;
  • trabalhar com segurança e qualidade;
  • analisar material biológico;
  • demonstrar competências pessoais;
  • receber material biológico;
  • comunicar-se;

  • Atividades

    • transcrever resultados observados;
    • solicitar autorização ao responsável técnico, quando necessário;
    • monitorar qualidade interna de esfregaço citológico;
    • desproteinizar amostras;
    • supervisionar as atividades da equipe auxiliar;
    • filtrar bolsa de sangue;
    • solicitar orientação ao responsável técnico, quando necessário;
    • rastrear células neoplásicas;
    • selecionar técnica de preparação da amostra;
    • demonstrar capacidade de raciocínio lógico;
    • separar materiais biológicos da amostra;
    • rejeitar material biológico não conforme;
    • pesquisar materiais bioquímicos ou genéticos ou hormonais ou citológicos da amostra;
    • lavar bolsa de sangue;
    • aliquotar amostras e/ou bolsas de sangue;
    • acondicionar amostra para transporte;
    • realizar testes imunohematológicos;
    • testar a sensibilidade aos antimicrobianos;
    • fornecer dados estatísticos;
    • demonstrar comprometimento;
    • demonstrar coordenação motora fina;
    • controlar estoque, validade e lote de insumos;
    • identificar o material biológico do paciente/doador;
    • submeter amostras a fontes de calor;
    • dosar volumetria de reagentes e soluções para exames;
    • irradiar hemocomponentes;
    • comparar resultados com os parâmetros de normalidade;
    • desinfetar instrumental e equipamentos;
    • demonstrar acuidade visual;
    • sequenciar amostras;
    • demonstrar capacidade de concentração;
    • solicitar manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos;
    • armazenar material biológico;
    • verificar preparo de paciente/doador;
    • colocar conservantes em amostras;
    • treinar equipe auxiliar;
    • preparar paciente/doador para coleta ou doação;
    • checar pedido do exame;
    • descartar resíduos químicos e biológicos;
    • realizar controle de qualidade interno;
    • lavar hemácias;
    • conferir as condições do material biológico;
    • preparar solução de glicose (dextrose);
    • solicitar nova coleta;
    • realizar análise macroscópica;
    • amplificar ácido nucléico;
    • quantificar microrganismos ou anticorpos ou substâncias através de dosagens;
    • limpar equipamentos e bancada;
    • checar funcionamento e adequações dos equipamentos;
    • introduzir amostras no equipamento;
    • confrontar material biológico com o pedido;
    • controlar temperatura dos equipamentos;
    • encaminhar exames para o responsável;
    • comparar o resultado do exame com resultados anteriores;
    • processar hemocomponentes;
    • triar material biológico;
    • orientar paciente/doador sobre os procedimentos da coleta do material;
    • homogeneizar amostras;
    • trabalhar em equipe;
    • analisar resultado dos exames;
    • fornecer recipiente ao paciente;
    • tomar vacinas;
    • dialogar com o doador;
    • efetuar assepsia na região de coleta;
    • realizar pré triagem de doadores;
    • raspar mucosas, unhas e pele;
    • registrar a ação da coleta;
    • realizar análise microscópica;
    • submeter-se a exames de saúde periódicos;
    • esterilizar instrumentos;
    • anotar a medicação que o paciente/doador está tomando;
    • pipetar amostra;
    • demonstrar capacidade de discriminar cores;
    • isolar microrganismos;
    • comparar resultado do exame com os dados clínicos do paciente;
    • atender paciente/doador;
    • ajustar equipamentos;
    • usar equipamento de proteção individual (epi) e coletiva (epc);
    • distribuir material para cada setor;
    • confeccionar lâminas (esfregaço);
    • puncionar veias;
    • registrar os procedimentos do exame;
    • realizar transfusão de sangue;
    • demonstrar capacidade de manter sigilo;
    • realizar testes pré-transfusionais;
    • acondicionar material para descarte;
    • programar equipamentos;
    • demonstrar capacidade olfativa;
    • administrar solução de glicose ao paciente;
    • aplicar normas complementares de biossegurança;
    • administrar o tempo;
    • diluir material biológico;
    • preparar soluções e reagentes;
    • observar reação do paciente/doador;
    • corar lâminas;
    • centrifugar amostras;
    • participar do desenvolvimento e implantação de novas técnicas de exames;
    • identificar microrganismos;
    • inativar material biológico;


    Setores que mais contratam Técnico em patologia clínica no mercado de trabalho

    • Laboratórios clínicos
    • Atividades de atendimento hospitalar, exceto pronto-socorro e unidades para atendimento a urgências
    • Atividades de atendimento em pronto-socorro e unidades hospitalares para atendimento a urgências
    • Laboratórios de anatomia patológica e citológica
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Atividades de serviços de complementação diagnóstica e terapêutica
    • Atividade médica ambulatorial com recursos para realização de exames complementares
    • Atividades de apoio à gestão de saúde
    • Serviços de hemoterapia
    • Atividades de enfermagem




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: