Salário para o cargo de Técnico em medicina nuclear
CBO 3241-15 > Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica

Técnico em medicina nuclear - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Realizam exames de diagnóstico ou de tratamento, processam imagens e/ou gráficos, planejam atendimento, organizam área de trabalho, equipamentos e acessórios, operam equipamentos, preparam paciente para exame de diagnóstico ou de tratamento, atuam na orientação de pacientes, familiares e cuidadores e trabalham com biossegurança.

Quanto ganha um Técnico em medicina nuclear

Um Técnico em medicina nuclear trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.692,10 e R$ 4.383,92, com a média salarial de R$ 2.287,95 e o salário mediana em R$ 2.078,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Técnico em medicina nuclear

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.287,95 27.455,36 571,99 16,64
1º Quartil 1.692,10 20.305,24 423,03 12,31
Salário Mediana 2.078,00 24.936,00 519,50 15,11
3º Quartil 3.343,36 40.120,36 835,84 24,31
Teto Salarial 4.383,92 52.607,02 1.095,98 31,88


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde
      • Técnicos em operação de equipamentos e instrumentos de diagnóstico
        • Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.885 - 3.693 2.306,15 1.884,60 2.154,10 3.048,71 3.692,69
Rio de Janeiro - RJ 1.677 - 3.509 2.199,06 1.676,81 2.090,00 2.897,17 3.509,14
Salvador - BA 1.796 - 3.390 2.153,08 1.795,62 1.996,00 2.798,83 3.390,03
Belo Horizonte - MG 1.598 - 3.379 2.057,30 1.597,72 1.914,03 2.789,63 3.378,88
Brasília - DF 1.659 - 4.169 2.348,94 1.659,04 2.254,85 3.441,72 4.168,72
Porto Alegre - RS 1.974 - 3.699 2.320,98 1.974,41 2.090,00 3.054,32 3.699,48
Recife - PE 1.969 - 2.560 2.035,80 1.968,90 2.030,47 2.113,57 2.560,02
Curitiba - PR 2.165 - 4.091 2.594,03 2.164,55 2.386,00 3.377,15 4.090,50
São José dos Campos - SP 1.813 - 3.772 2.222,15 1.812,74 1.987,64 3.114,41 3.772,26
Goiânia - GO 1.880 - 3.259 2.230,41 1.879,58 2.183,60 2.690,97 3.259,39
Belém - PA 1.935 - 3.203 2.188,22 1.935,00 2.090,00 2.644,01 3.202,50
Santana de Parnaíba - SP 2.008 - 2.520 2.058,08 2.008,06 2.073,00 2.080,23 2.519,63
Campinas - SP 1.846 - 3.642 2.284,07 1.845,95 2.110,00 3.006,93 3.642,09
Fortaleza - CE 1.702 - 2.596 1.863,46 1.702,42 1.806,10 2.143,15 2.595,85
Santo André - SP 1.807 - 3.392 2.205,57 1.807,10 2.090,00 2.800,06 3.391,52
São Luís - MA 1.631 - 2.804 1.980,88 1.631,01 1.996,00 2.314,75 2.803,69
Bauru - SP 1.890 - 2.970 2.128,27 1.890,28 2.042,00 2.452,43 2.970,46
São Bernardo do Campo - SP 1.903 - 2.826 2.051,95 1.903,37 1.987,64 2.333,28 2.826,14
Vitoria - ES 1.802 - 3.399 2.199,27 1.801,73 2.089,81 2.805,87 3.398,56
Santos - SP 1.953 - 3.856 2.306,31 1.953,26 2.041,18 3.183,63 3.856,11


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.842 - 3.748 2.277,87 1.841,55 2.073,00 3.094,63 3.748,31
Rio de Janeiro 1.622 - 3.779 2.250,09 1.622,22 2.090,00 3.120,36 3.779,47
Minas Gerais 1.496 - 4.466 2.250,11 1.496,43 1.908,00 3.687,46 4.466,36
Bahia 1.686 - 3.255 2.093,42 1.686,36 1.996,00 2.687,70 3.255,42
Rio Grande do Sul 1.866 - 3.270 2.179,20 1.866,45 2.090,00 2.699,39 3.269,58
Paraná 1.808 - 4.112 2.438,56 1.808,29 2.269,50 3.394,95 4.112,07
Santa Catarina 1.603 - 3.803 2.252,20 1.603,41 2.090,00 3.139,64 3.802,83
Pernambuco 1.682 - 2.566 1.965,44 1.681,92 2.030,47 2.118,16 2.565,58
Distrito Federal 1.659 - 4.169 2.348,94 1.659,04 2.254,85 3.441,72 4.168,72
Espírito Santo 1.777 - 3.228 2.148,75 1.777,20 2.090,00 2.665,21 3.228,19
Goiás 1.782 - 3.450 2.244,12 1.782,33 2.183,60 2.848,33 3.449,99
Pará 1.865 - 3.238 2.179,50 1.865,06 2.090,00 2.672,93 3.237,53
Mato Grosso 1.770 - 3.135 2.132,97 1.770,40 2.090,00 2.588,33 3.135,07
Ceará 1.665 - 2.876 1.911,71 1.665,03 1.806,10 2.374,08 2.875,56
Mato Grosso do Sul 1.479 - 2.856 1.811,97 1.478,69 1.701,49 2.358,23 2.856,35
Maranhão 1.465 - 2.740 1.893,63 1.464,68 1.884,68 2.262,52 2.740,43
Alagoas 1.718 - 2.682 2.012,80 1.718,26 2.090,00 2.214,03 2.681,70
Rondônia 1.653 - 2.988 2.108,93 1.653,42 2.090,00 2.467,32 2.988,50
Rio Grande do Norte 1.484 - 59.027 13.543,94 1.483,61 1.954,77 48.732,75 59.026,57
Piauí 1.622 - 2.438 1.865,14 1.622,12 1.950,00 2.012,42 2.437,51
Paraíba 1.934 - 2.793 2.104,76 1.933,69 2.090,00 2.306,28 2.793,43
Sergipe 1.332 - 3.362 2.035,66 1.331,70 2.090,00 2.775,57 3.361,85
Tocantins 1.781 - 2.865 2.072,04 1.780,70 2.090,00 2.365,01 2.864,58
Amazonas 1.436 - 2.943 2.007,83 1.435,57 2.090,00 2.429,95 2.943,23
Acre 1.978 - 2.585 2.073,10 1.978,40 2.090,00 2.134,00 2.584,76
Roraima 1.682 - 2.475 1.836,73 1.682,20 1.817,67 2.043,00 2.474,54
Amapá 1.780 - 3.312 2.132,95 1.780,49 2.090,00 2.734,26 3.311,81


Principais locais de trabalho

Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica exercem suas funções em clínicas médicas, odontológicas e oftalmológicas, ambulatórios, hospitais e laboratórios especializados. São empregados assalariados, com carteira assinada, porém alguns podem trabalhar como autônomos. Atuam em equipe, supervisionada por médicos, permanente e/ou ocasionalmente. Trabalham em rodízio de turnos, em ambientes fechados e a maioria sujeito à radiação e material tóxico.


O que é preciso para trabalhar na área dos Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica

O exercício desse cargo requer formação superior em tecnologia em operação de equipamentos médicos, odontológicos e oftalmológicos e formação técnica de nível médio, exceto para o técnico em espirometria, cuja exigência é ensino médio, acrescido de curso específico, oferecidos por instituições de formação profissional, escolas técnicas e instituições formadoras em cursos superiores de tecnologia. Não é exigido experiência profissional para o nível tecnológico para o nível técnico, ocorre após experiência de menos de um ano na área, destacando que para o técnico em espirometria o pleno desempenho das atividades ocorre após a realização e análise de pelo menos 200 exames. Pode-se demandar aprendizagem profissional para Os cargos listados nesta família ocupacional.


Funções e atividades do Técnico em medicina nuclear

Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • trabalhar com biossegurança;
  • processar imagens e/ou gráficos;
  • comunicar-se;
  • realizar exames de diagnóstico ou de tratamento;
  • preparar paciente para exame de diagnóstico;
  • planejar atendimento;
  • organizar Área de trabalho, equipamentos e acessórios;
  • orientar paciente;

  • Atividades

    • inicializar sistemas de aquisição, processamento, distribuição e armazenamento de imagens;
    • ordenar a sequência de exames;
    • solicitar reposição de material;
    • verificar área anatômica demarcada para exame e/ou tratamento;
    • providenciar preparos adicionais do paciente;
    • desenvolver programas de promoção e prevenção da saúde ocular;
    • deslocar equipamento portátil;
    • monitorar o paciente através de equipamento;
    • acondicionar materiais radioativos para transporte ou descarte;
    • trabalhar em equipe;
    • capacitar equipe técnica;
    • delimitar área de aquisição de imagem;
    • treinar paciente no manuseio de recursos ópticos e não ópticos;
    • orientar paciente sobre cuidados após o exame;
    • preparar mesa cirúrgica;
    • acompanhar reações do paciente a contrastes e/ou medicamentos;
    • transmitir segurança;
    • determinar a remoção de pessoas não envolvidas no exame;
    • demonstrar capacidade de manter sigilo;
    • eliminar interferência de outros aparelhos;
    • demonstrar organização;
    • registrar dados;
    • processar filme na câmara escura;
    • solicitar presença de outros profissionais envolvidos no exame;
    • distribuir tarefas;
    • analisar qualidade técnica dos exames;
    • substituir medicamentos e materiais com validade vencida;
    • usar dosímetro (medição da radiação recebida);
    • averiguar condições técnicas de equipamentos e acessórios;
    • elaborar dispositivos gráficos;
    • minimizar o tempo de exposição à radiação;
    • instrumentar cirurgia oftalmológica;
    • orientar paciente e/ou acompanhante e auxiliares sobre os procedimentos durante o exame;
    • higienizar o paciente;
    • avaliar a motilidade extrínseca ocular;
    • programar manutenção preventiva de equipamentos;
    • ajustar equipamento e acessórios ao paciente e ao tipo de exame e/ou ao tratamento;
    • demonstrar compreensão para com o paciente;
    • identificar exame;
    • explicar procedimentos e rotinas;
    • aplicar procedimentos administrativos;
    • editar imagens;
    • manusear substâncias radioativas;
    • descrever as condições e reações do paciente durante o exame;
    • inicializar equipamentos;
    • solicitar manutenção dos equipamentos;
    • calibrar equipamentos;
    • submeter o exame à apreciação médica;
    • complementar exame;
    • adaptar agenda para atendimento de pacientes prioritários;
    • demonstrar capacidade de liderança;
    • realizar pesquisas;
    • entrevistar paciente;
    • delimitar campo a ser irradiado;
    • esclarecer dúvidas;
    • manusear meios de contraste;
    • desenvolver novas tecnologias;
    • administrar contrastes e/ou medicamentos sob supervisão médica;
    • demonstrar procedimentos e técnicas;
    • analisar pedido do exame e/ou prontuário de paciente;
    • medir funções do aparato visual;
    • retirar próteses móveis e adornos do paciente;
    • verificar condições físicas, psicológicas e preparo do paciente;
    • operar equipamentos;
    • acompanhar registro do traçado (gráfico) do exame;
    • colocar dispositivos de proteção no paciente;
    • montar carrinho de medicamentos de emergência;
    • realizar levantamento radiométrico;
    • interagir com entidades e outros profissionais;
    • participar de eventos da área;
    • selecionar material para exame;
    • demonstrar capacidade de raciocínio analítico;
    • organizar câmara escura e clara;
    • supervisionar equipe técnica;
    • monitorar rejeitos radioativos para descarte;
    • analisar rejeitos de imagens processadas;
    • manipular imagens digitais;
    • coletar material da superfície ocular;
    • confeccionar moldagens e modelos;
    • demonstrar atenção focada;
    • realizar pré-seleção de gráfico com melhor aceitação;
    • paramentar-se;
    • adequar a posição do paciente ao exame;
    • aferir equipamentos;
    • acompanhar registro de imagem do exame;
    • documentar exames;
    • instruir paciente sobre preparação para o exame;
    • auxiliar o paciente a colocar e retirar o equipamento;
    • demonstrar proatividade;
    • averiguar a disponibilidade de material para exame;
    • verificar disponibilidade dos dispositivos de proteção radiológica;
    • administrar substâncias farmacológicas e/ou radioativas;
    • ajustar equipamentos;
    • discutir o caso com equipe de trabalho;
    • gerenciar recursos humanos, financeiros e materiais;
    • registrar exames realizados;
    • acondicionar materiais perfurocortantes para descarte;
    • elaborar relatórios;
    • fazer traçado cefalométrico manual ou computadorizado;
    • demonstrar capacidade de adaptação;
    • acompanhar reações comportamentais do paciente;
    • usar equipamento de proteção individual;
    • colocar eletrodos no paciente;
    • confirmar identidade do paciente;
    • imobilizar o paciente;
    • providenciar limpeza e assepsia da sala e equipamentos;
    • realizar manutenção preventiva e corretiva de equipamentos oftalmológicos;
    • organizar equipe de trabalho;
    • receber pedido de exames e ou prontuário do paciente;
    • orientar paciente sobre os procedimentos pré e pós cirurgias oculares;
    • demonstrar habilidade motora fina;
    • oferecer recursos de proteção a outros profissionais e acompanhantes presentes;
    • demonstrar capacidade de negociação;
    • isolar área de trabalho para exame;
    • estimular o paciente a atingir os critérios de aceitação e reprodutibilidade (diretrizes da sbpt);
    • adequar protocolos técnicos ao exame;
    • efetuar sustentação de mamas;
    • disponibilizar resultados de exame;
    • acompanhar laudo dosimétrico da equipe;
    • analisar registros gráficos;
    • obter informações do paciente;
    • submeter-se a exames periódicos;
    • elaborar tabelas de exposição à técnica radiográfica;
    • aferir altura e peso do paciente;
    • trabalhar sob pressão;
    • verificar compreensão da orientação;
    • auxiliar no planejamento de tratamento radioterápico;
    • demonstrar capacidade de comunicação verbal;
    • instalar equipamentos;
    • remover paciente do equipamento;
    • realizar antissepsia;
    • implementar ações para promoção e prevenção da saúde ocular;
    • prestar consultoria;
    • ministrar palestras e cursos;
    • planejar agendamento de pacientes;
    • executar tricotomia;
    • orientar paciente na conservação de lentes de contato;
    • monitorar contaminação de área de trabalho;


    Setores que mais contratam Técnico em medicina nuclear no mercado de trabalho

    • Atividades de atendimento hospitalar, exceto pronto-socorro e unidades para atendimento a urgências
    • Serviços de diagnóstico por imagem com uso de radiação ionizante, exceto tomografia
    • Atividades de atendimento em pronto-socorro e unidades hospitalares para atendimento a urgências
    • Atividades de serviços de complementação diagnóstica e terapêutica
    • Atividades de apoio à gestão de saúde
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Atividade médica ambulatorial com recursos para realização de exames complementares
    • Serviços de tomografia
    • Atividade médica ambulatorial restrita a consultas
    • Laboratórios clínicos




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: