Salário para o cargo de Supervisor de calcinação
CBO 8201-10 > Supervisores de produção em indústrias siderúrgicas

Supervisor de calcinação - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Supervisionam equipe de trabalho, controlam processos de produção siderúrgica e administram metas e resultados de produção, controlam recursos para a produção siderúrgica, elaboram documentação técnica e operacional, controlam o cumprimento de normas e procedimentos técnicos de segurança do trabalho, de meio ambiente e saúde.

Quanto ganha um Supervisor de calcinação

Um Supervisor de calcinação trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.358,81 e R$ 9.410,31, com a média salarial de R$ 3.599,36 e o salário mediana em R$ 2.572,34 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Supervisor de calcinação

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 3.599,36 43.192,30 899,84 16,56
1º Quartil 1.358,81 16.305,78 339,70 6,25
Salário Mediana 2.572,34 30.868,08 643,09 11,84
3º Quartil 7.176,71 86.120,46 1.794,18 33,03
Teto Salarial 9.410,31 112.923,74 2.352,58 43,31


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores de instalações siderúrgicas e de materiais de construção
      • Supervisores de produção em indústrias siderúrgicas
        • Supervisores de produção em indústrias siderúrgicas

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Natal - RN 1.045 - 1.613 1.116,75 1.045,00 1.045,00 1.332,00 1.613,36
São Paulo - SP 1.980 - 5.649 2.789,64 1.980,00 2.466,43 4.664,00 5.649,18


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.723 - 8.108 3.478,31 1.723,43 2.588,00 6.694,27 8.108,30
Minas Gerais 1.371 - 8.912 3.857,58 1.370,71 3.569,58 7.357,94 8.912,15
Rio de Janeiro 1.994 - 12.049 5.495,82 1.993,60 5.054,00 9.947,50 12.048,71
Rio Grande do Norte 1.045 - 6.736 2.048,56 1.045,00 1.045,00 5.561,00 6.735,65
Rio Grande do Sul 2.280 - 9.008 4.592,69 2.280,00 4.450,00 7.436,70 9.007,55
Ceará 1.764 - 10.682 4.281,69 1.764,05 2.631,66 8.819,20 10.682,08
Espírito Santo 2.100 - 8.479 4.514,22 2.100,00 4.476,22 7.000,00 8.478,61
Mato Grosso 1.388 - 3.044 1.913,20 1.388,00 1.765,00 2.512,98 3.043,80


Principais locais de trabalho

Supervisores de produção em indústrias siderúrgicas trabalham em empresas de siderurgia, metalurgia, fabricação de produtos de metal e, também, de reciclagem. Exercem a profissão na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada. Atuam sem supervisão, em ambientes fechados e a céu aberto, sendo o horário de trabalho em sistema de rodízio de turnos, que podem ocorrer em períodos diurnos e noturnos. Algumas atividades são realizadas em condições especiais, em situação de estresse e em grandes alturas. Podem, ainda, estar sujeitos à ação de materiais tóxicos, radiação, ruído intenso e altas temperaturas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Supervisores de produção em indústrias siderúrgicas

Essas ocupações são exercidas por profissionais com escolaridade de ensino médio concluído e cursos técnicos em siderurgia e em áreas correlatas. O exercício pleno da função se dá no período de um a dois anos de experiência profissional.


Funções e atividades do Supervisor de calcinação

Supervisores de produção em indústrias siderúrgicas devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • administrar metas e resultados da produção siderúrgica;
  • supervisionar equipe de trabalho dos processos siderúrgicos;
  • elaborar documentação técnica e operacional dos processos siderúrgicos;
  • controlar o cumprimento das normas de segurança do trabalho e meio ambiente;
  • garantir qualidade dos produtos siderúrgicos;
  • controlar recursos para produção siderúrgica;
  • controlar processos de produção siderúrgica;

  • Atividades

    • emitir pareceres técnicos de produtos, processos e equipamentos;
    • planejar o orçamento anual, por área;
    • demonstrar capacidade de raciocínio analógico;
    • monitorar o uso dos equipamentos de proteção individual (epi);
    • trabalhar de forma eficiente;
    • garantir o suprimento de insumos e matérias-primas;
    • fornecer dados para elaboração de manuais e procedimentos;
    • elaborar material didático;
    • identificar necessidade de treinamento;
    • comunicar-se;
    • garantir operação dos equipamentos;
    • definir ajustes dos equipamentos, em função da produção;
    • elaborar materiais para apresentações;
    • investigar causas de acidentes, incidentes e aspectos ambientais;
    • controlar índice de refugos;
    • dimensionar capacidade de produção;
    • comunicar-se com fluência verbal;
    • monitorar a identificação dos produtos;
    • monitorar pontos críticos da produção;
    • demonstrar pontualidade;
    • controlar os custos da produção;
    • demonstrar capacidade de persuasão;
    • liderar equipe;
    • demonstrar autocontrole;
    • inspecionar condições de uso dos epi;
    • dimensionar equipe de trabalho;
    • demonstrar predisposição para solicitações (disponibilidade);
    • agir com iniciativa;
    • garantir recursos para escoamento e continuidade da produção;
    • alterar programação de produção;
    • solicitar a inspeção em equipamentos de controle ambiental;
    • orientar fluxo e movimentação de materiais;
    • demonstrar capacidade de motivação;
    • registrar acidentes, incidentes e aspectos ambientais;
    • demonstrar dinamismo;
    • analisar viabilidade de produção de um novo produto;
    • raciocinar com rapidez;
    • fazer análise de risco;
    • testar equipamentos;
    • inspecionar qualidade físico-químicas dos produtos;
    • promover melhorias de produtos e processos;
    • elaborar recursos didáticos;
    • interpretar parâmetros de produção;
    • definir métodos e processos de produção;
    • programar produção;
    • identificar defeitos nos produtos;
    • identificar falhas de produção;
    • analisar custos da produção;
    • elaborar cronogramas;
    • elaborar requisições de material;
    • promover reuniões;
    • monitorar padrões de qualidade do processo;
    • revisar padrões operacionais;
    • elaborar relatórios;
    • programar suprimentos e insumos metálicos e não-metálicos;
    • demonstrar flexibilidade;
    • atuar com disciplina;
    • agir com senso de justiça;
    • orientar a equipe de trabalho;
    • definir ajustes dos equipamentos, em função da qualidade;
    • controlar características físico-químicas dos produtos;
    • programar manutenção de máquinas e equipamentos;
    • monitorar cumprimento das normas administrativas da empresa;
    • controlar frequência dos trabalhadores;
    • selecionar matéria-prima e insumo, conforme produto a ser fabricado;
    • supervisionar serviços terceirizados;
    • negociar metas de produção;
    • simular situações de emergência;
    • demonstrar raciocínio lógico;
    • controlar o volume da produção;
    • controlar disponibilidade de máquinas, equipamentos e instrumentos;
    • relacionar-se com outras pessoas;
    • selecionar pessoal;
    • avaliar índice de produtos não-conformes;
    • monitorar manutenção de máquinas e equipamentos;
    • manter a área de trabalho limpa e organizada;
    • monitorar parâmetros ambientais e de segurança;
    • controlar estoques de insumos, suprimentos e produtos;
    • analisar relatórios e registros da produção;
    • implementar ações contra agressão ao meio ambiente;
    • monitorar o cumprimento do exame periódico;
    • analisar pedidos e ordens de serviço;
    • distribuir atividades de trabalho;
    • determinar padrões de produção;
    • definir itens de controle dos processos siderúrgicos;
    • treinar equipe de trabalho;
    • analisar causas e não-conformidades;
    • avaliar desempenho profissional;
    • elaborar padrões operacionais;
    • programar folgas e férias;
    • implementar ações preventivas e corretivas;
    • organizar arranjo físico, em função do programa de produção;
    • demonstrar auto-organização;
    • controlar resíduos e desperdícios;
    • demonstrar fidelidade;
    • definir equipamentos, em função da produtividade;


    Setores que mais contratam Supervisor de calcinação no mercado de trabalho

    • Comércio atacadista de resíduos e sucatas metálicos
    • Produção de laminados longos de aço, exceto tubos
    • Aluguel de máquinas e equipamentos para construção sem operador, exceto andaimes
    • Produção de laminados planos de aço ao carbono, revestidos ou não
    • Comércio atacadista de resíduos de papel e papelão
    • Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional
    • Comércio atacadista de produtos siderúrgicos e metalúrgicos, exceto para construção
    • Recuperação de materiais metálicos, exceto alumínio
    • Atividades de cobrança e informações cadastrais
    • Produção de semi-acabados de aço




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Operador de reator nuclear
    Operadores de instalações de geração e distribuição de energia elétrica, hidráulica, térmica ou nuclear

    Operador de reator nuclear