Salário para o cargo de Prensista de aglomerados
CBO 7732-10 > Operadores de máquinas de aglomeração e prensagem de chapas

Prensista de aglomerados - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Preparam aglomerantes para montagem de chapas de madeira, preparam, operam, realizam pequenos reparos em máquinas de laminação, aglomeração e prensagem de chapas de madeira, de acordo com procedimentos de organização do trabalho, normas técnicas, de segurança e saúde.

Quanto ganha um Prensista de aglomerados

Um Prensista de aglomerados trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.402,21 e R$ 2.626,55, com a média salarial de R$ 1.638,76 e o salário mediana em R$ 1.572,09 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Prensista de aglomerados

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.638,76 19.665,11 409,69 7,50
1º Quartil 1.402,21 16.826,51 350,55 6,41
Salário Mediana 1.572,09 18.865,02 393,02 7,19
3º Quartil 2.003,12 24.037,44 500,78 9,16
Teto Salarial 2.626,55 31.518,62 656,64 12,01


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores das indústrias de madeira e do mobiliário
      • Trabalhadores da transformação da madeira e da fabricação do mobiliário
        • Operadores de máquinas de aglomeração e prensagem de chapas

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Nova Ubirata - MT 1.554 - 1.964 1.605,25 1.554,00 1.621,27 1.621,27 1.963,73
Santa Tereza do Oeste - PR 1.364 - 1.964 1.482,56 1.363,74 1.487,20 1.621,24 1.963,70
Guarulhos - SP 1.767 - 2.352 1.856,10 1.766,78 1.883,59 1.942,01 2.352,22
Guaraniacu - PR 1.258 - 1.801 1.428,24 1.258,00 1.487,20 1.487,20 1.801,34
Tucuruí - PA 1.139 - 1.380 1.139,00 1.139,00 1.139,00 1.139,00 1.379,59
Pinhão - PR 1.364 - 2.022 1.479,04 1.364,00 1.464,00 1.669,29 2.021,89
São Paulo - SP 1.674 - 3.225 1.963,58 1.674,20 1.835,00 2.662,26 3.224,61


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Paraná 1.320 - 2.097 1.499,39 1.320,10 1.487,20 1.730,99 2.096,63
Mato Grosso 1.472 - 1.964 1.584,02 1.472,28 1.621,27 1.621,27 1.963,73
São Paulo 1.500 - 2.694 1.870,21 1.500,23 1.899,85 2.224,04 2.693,82
Pará 1.139 - 1.463 1.154,22 1.139,00 1.139,00 1.207,50 1.462,55
Minas Gerais 1.258 - 3.300 1.792,93 1.258,05 1.611,05 2.724,45 3.299,94
Santa Catarina 1.423 - 4.419 2.547,45 1.423,41 3.218,41 3.648,72 4.419,44


Principais locais de trabalho

Operadores de máquinas de aglomeração e prensagem de chapas atuam em indústrias de fabricação de chapas de madeira, compensados e aglomerados e indústria moveleira. São empregados com carteira assinada, trabalham em horário diurno e noturno e em rodízio de turno, com supervisão permanente, em ambientes fechados, sujeitos a material tóxico, ruído e altas temperaturas. Exceto o prensista de aglomerados, os demais trabalham em posição desconfortável, durante muitas horas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de máquinas de aglomeração e prensagem de chapas

Para o exercício desse cargo requer-se escolaridade que varia do ensino fundamental incompleto a completo. O prensisita de aglomerados é a ocupação de maior nível de qualificação, que requer mais de cinco anos de experiência para o exercício pleno das atividades. Para o domínio das atividades das demais ocupações requer-se entre um e dois anos de experiência. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Prensista de aglomerados

Operadores de máquinas de aglomeração e prensagem de chapas devem:

  • trabalhar com segurança;
  • demonstrar competências pessoais;
  • preparar aglomerante para a montagem das chapas;
  • operar máquinas de laminação, aglomeração e prensagem de chapas;
  • preparar máquinas de laminação, aglomeração e prensagem de chapas;
  • organizar o local de trabalho;
  • realizar pequenos reparos em máquinas;

  • Atividades

    • inserir os dados no programa da prensagem dos aglomerados em função da espessura e da umidade (processo automático);
    • preencher o relatório de produção;
    • demonstrar coordenação motora;
    • transferir a cola do reservatório;
    • substituir gaxetas;
    • utilizar;
    • definir a sequência de trabalho de acordo com a ordem de serviço;
    • determinar o tempo de prensagem em função da espessura do compensado e da gramatura da cola;
    • interpretar normas e procedimentos de segurança;
    • lubrificar máquinas;
    • demonstrar responsabilidade;
    • controlar o tempo do misturador da cola;
    • verificar a viscosidade da cola;
    • regular a pressão da prensa (kgf/cm2);
    • registrar a quantidade de material utilizado;
    • verificar as condições de segurança das máquinas e dos epc;
    • misturar os ingredientes da cola;
    • verificar a umidade e a temperatura por lote;
    • guardar ferramentas e instrumentos em local adequado;
    • demonstrar iniciativa;
    • conferir a espessura da chapa de compensado prensada;
    • manter o local de trabalho limpo;
    • comunicar-se;
    • testar a prensa;
    • ajustar as regulagens das máquinas;
    • trabalhar em equipe;
    • medir as quantidades dos ingredientes para a elaboração da cola (peso e volume);
    • regular os cilindros conforme a espessura da lâmina ou compensado;
    • acionar os comandos das máquinas;
    • lavar máquinas, equipamentos e ferramentas;
    • substituir fusíveis;
    • verificar defeitos nas chapas de compensados e aglomerados prensados;
    • alimentar as máquinas manual e mecanicamente (esteira ou elevador);
    • armazenar os materiais de consumo;
    • verificar as sinalizações de segurança;
    • remover as sobras de madeira acumuladas na prensa;
    • controlar o registro da tubulação de cola para alimentar a máquina;
    • alimentar a máquina com cola (passadeira);
    • interpretar instrumentos de medição;
    • regular os cilindros para determinação da gramatura da cola;
    • demonstrar habilidades numéricas;
    • remover resíduos;
    • verificar o suprimento de materiais (madeiras, resinas, selantes, outros);
    • determinar a temperatura da prensa por produto a ser prensado (mostrador analógico ou digital);
    • devolver os suportes (chapa base) para a montagem;
    • testar a colagem das chapas;


    Setores que mais contratam Prensista de aglomerados no mercado de trabalho

    • Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, prensada e aglomerada
    • Cultivo de soja
    • Serrarias com desdobramento de madeira
    • Comércio varejista de outros produtos não especificados anteriormente
    • Cultivo de pinus
    • Comércio atacadista de madeira e produtos derivados
    • Fabricação de artefatos de material plástico para usos industriais
    • Construção de edifícios
    • Imunização e controle de pragas urbanas
    • Comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: