Salário para o cargo de Pesquisador em ciências agronômicas
CBO 2034-05 > Pesquisadores das ciências da agricultura

Pesquisador em ciências agronômicas - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Executam projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico em agricultura, pesca, aqüicultura, zootecnia e ciências florestais, implantando experimentos e unidades de observação, acompanhando a execução das atividades, realizando medições, pesagens, contagens e diagnósticos. Organizam e analisam os dados coletados. Elaboram e planejam projetos de pesquisa e divulgam informações. Formam recursos humanos, podem prestar serviços de assessoria, de consultoria e ministrar aulas.

Quanto ganha um Pesquisador em ciências agronômicas

Um Pesquisador em ciências agronômicas trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.604,71 e R$ 20.706,77, com a média salarial de R$ 6.545,96 e o salário mediana em R$ 4.290,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Pesquisador em ciências agronômicas

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 6.545,96 78.551,49 1.636,49 30,97
1º Quartil 1.604,71 19.256,50 401,18 7,59
Salário Mediana 4.290,00 51.480,00 1.072,50 20,29
3º Quartil 15.791,86 189.502,37 3.947,97 74,71
Teto Salarial 20.706,77 248.481,20 5.176,69 97,96


Categorias profissionais do cargo

  • Profissionais das ciências e das artes
    • Pesquisadores e profissionais policientíficos
      • Pesquisadores
        • Pesquisadores das ciências da agricultura

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Lavras - MG 1.500 - 2.824 1.725,32 1.500,00 1.500,00 2.331,58 2.824,08
São Paulo - SP 2.185 - 17.996 7.123,25 2.185,14 4.823,00 14.857,33 17.995,64
Piracicaba - SP 3.443 - 10.566 5.667,02 3.443,47 5.350,00 8.723,58 10.566,27
Indaiatuba - SP 1.857 - 7.124 3.257,36 1.857,33 2.700,00 5.881,33 7.123,65
Cachoeirinha - RS 4.388 - 27.971 11.381,57 4.387,80 7.570,67 23.093,04 27.970,98
Belo Horizonte - MG 3.776 - 15.915 6.329,69 3.776,43 4.660,00 13.139,59 15.915,06
Brasília - DF 16.347 - 29.274 20.091,46 16.347,35 20.551,06 24.168,60 29.273,73
Lucas do Rio Verde - MT 6.500 - 8.622 6.696,25 6.500,00 6.500,00 7.118,33 8.621,94
Conchal - SP 2.500 - 7.873 3.522,22 2.500,00 2.500,00 6.500,00 7.873,00
Rondonópolis - MT 5.000 - 9.690 5.686,29 5.000,00 5.000,00 8.000,00 9.689,84
Ipeuna - SP 1.800 - 2.665 2.142,86 1.800,00 2.200,00 2.200,00 2.664,71
Cambe - PR 2.500 - 18.466 6.892,29 2.500,00 6.500,00 15.246,00 18.466,41
Primavera do Leste - MT 3.437 - 9.084 4.254,60 3.436,50 3.500,00 7.500,00 9.084,23
Campo Verde - MT 1.400 - 2.462 1.733,29 1.400,00 1.800,00 2.033,00 2.462,43
Jatai - GO 3.791 - 5.451 4.095,50 3.791,00 4.000,00 4.500,00 5.450,54
Anápolis - GO 1.596 - 2.301 1.709,77 1.595,97 1.637,11 1.900,00 2.301,34
Santa Mariana - PR 1.596 - 4.966 2.413,98 1.595,97 1.595,97 4.100,00 4.966,04
Cruz Alta - RS 3.500 - 15.746 8.496,32 3.500,00 8.530,00 13.000,00 15.745,99
Iracemápolis - SP 1.596 - 8.029 2.702,49 1.596,40 1.676,16 6.629,14 8.029,41
Passo Fundo - RS 1.500 - 29.152 7.344,74 1.500,00 4.750,00 24.068,45 29.152,43


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 2.035 - 15.302 5.964,82 2.035,45 4.429,88 12.633,81 15.302,45
Minas Gerais 1.500 - 10.398 3.500,38 1.500,00 2.000,00 8.584,48 10.397,78
Rio Grande do Sul 2.415 - 24.908 9.010,71 2.415,05 6.682,99 20.564,16 24.907,93
Mato Grosso 2.152 - 9.750 5.305,29 2.151,52 5.500,00 8.049,26 9.749,50
Paraná 1.806 - 19.651 6.988,46 1.805,86 4.721,00 16.224,37 19.651,45
Goiás 1.502 - 17.483 5.532,11 1.501,86 3.791,00 14.434,32 17.483,28
Mato Grosso do Sul 1.250 - 16.170 5.106,58 1.250,00 3.500,00 13.349,98 16.169,89
Distrito Federal 16.347 - 29.274 20.091,46 16.347,35 20.551,06 24.168,60 29.273,73
Santa Catarina 13.516 - 25.325 16.468,88 13.516,05 15.104,85 20.908,65 25.325,18
Pernambuco 1.500 - 29.152 13.549,48 1.500,00 11.376,30 24.068,45 29.152,43


Principais locais de trabalho

Pesquisadores das ciências da agricultura trabalham nas esferas pública e privada, em instituições de pesquisa, empresas e universidades, principalmente nos setores agropecuário, de pesca e aqüicultura e silvicultura, inseridos em equipe multidisciplinar, cujos membros podem estar vinculados a diferentes empresas ou instituições de pesquisa. Na esfera privada, a relação de trabalho mais comum é com vínculo empregatício. Na esfera pública, o acesso é por concurso, na condição de celetista ou estatutário. Podem trabalhar em condições especiais, dependendo do projeto de pesquisa que estejam desenvolvendo, expostos aos efeitos de materiais tóxicos e a águas contaminadas e poluídas durante o exercício de algumas atividades.


O que é preciso para trabalhar na área dos Pesquisadores das ciências da agricultura

A escolaridade mínima exigida é a formação superior completa na área, sendo frequente profissionais com cursos de pós-graduação. De uma forma geral, o ingresso na carreira pode se dar como auxiliar ou assistente de pesquisador, podendo alcançar a titularidade com cinco anos de experiência. É comum o ingresso e a progressão na carreira por intermédio de concursos, no caso de pesquisadores vinculados à área pública.


Funções e atividades do Pesquisador em ciências agronômicas

Pesquisadores das ciências da agricultura devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • comunicar-se;
  • divulgar informações;
  • executar projeto de pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico;
  • elaborar projetos de pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico;
  • capacitar recursos humanos;
  • planejar pesquisa científica;
  • prestar serviços, assessoria e consultoria;

  • Atividades

    • produzir material educativo;
    • definir equipe de trabalho;
    • captar recursos;
    • elaborar orçamento;
    • cultivar curiosidade;
    • revisar bibliografia;
    • proferir palestras e conferências;
    • identificar problema de pesquisa;
    • consultar meios de comunicação;
    • apontar resultados esperados;
    • avaliar viabilidade técnica e econômica do uso da tecnologia;
    • orientar bolsistas e estagiários;
    • desenvolver raciocínio dedutivo;
    • analisar dados coletados;
    • consultar centros de excelência em pesquisa, ensino e extensão, usuários e produtores;
    • apresentar trabalhos em eventos científicos;
    • definir objetivos e metas;
    • treinar técnicos e produtores;
    • adquirir equipamentos, materiais, insumos e serviços;
    • avaliar resultados de pesquisa;
    • preencher formulários de agências de fomento;
    • desenvolver capacidade de síntese;
    • avaliar impacto ambiental da tecnologia;
    • implantar experimentos e unidades de observação;
    • acompanhar execução de atividades;
    • expressar liderança;
    • evidenciar persistência;
    • realizar análises de laboratório;
    • desenvolver raciocínio indutivo;
    • elaborar cronogramas físico e financeiro;
    • trabalhar em equipe;
    • ministrar aulas;
    • redigir artigos de divulgação e publicações técnicas e científicas;
    • instalar unidades demonstrativas;
    • caracterizar problema de pesquisa;
    • definir linhas de pesquisa;
    • revisar artigos técnicos e científicos;
    • desenvolver expressão escrita;
    • redigir relatórios técnicos e financeiros;
    • conceder entrevistas;
    • produzir bens e insumos selecionados;
    • orientar estudantes de pós-graduação;
    • coletar dados secundários;
    • participar de bancas examinadoras;
    • assessorar instituições na solução de problemas específicos;
    • avaliar demandas de mercado e da sociedade;
    • identificar parceiros e colaboradores de projeto;
    • expor produtos e tecnologia em feiras, exposições e eventos;
    • prestar assistência técnica a produtores e empresários rurais;
    • avaliar projetos de pesquisa e desenvolvimento;
    • organizar publicações técnicas;
    • desenvolver senso crítico;
    • evidenciar organização;
    • avaliar impacto econômico da tecnologia;
    • definir linhas de treinamento;
    • emitir laudos e pareceres técnicos;
    • formular hipóteses;
    • avaliar impacto social da tecnologia;
    • desenvolver expressão oral;
    • identificar agências e fontes de financiamento;
    • definir ações de difusão de resultados de projeto;
    • evidenciar criatividade;
    • organizar dados;
    • organizar eventos e dias-de-campo;
    • descrever material e métodos;
    • verificar cumprimento de metas;
    • demonstrar fluência verbal;
    • realizar medições, pesagens, contagens e diagnóstico;
    • desenvolver concentração;


    Setores que mais contratam Pesquisador em ciências agronômicas no mercado de trabalho

    • Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
    • Testes e análises técnicas
    • Serviço de pulverização e controle de pragas agrícolas
    • Atividades de apoio à agricultura
    • Fabricação de cigarros
    • Serviços de agronomia e de consultoria às atividades agrícolas e pecuárias
    • Atividades de associações de defesa de direitos sociais
    • Produção de sementes certificadas, exceto de forrageiras para pasto
    • Comércio atacadista de defensivos agrícolas, adubos, fertilizantes e corretivos do solo
    • Serviços combinados de escritório e apoio administrativo




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Operador de reator nuclear
    Operadores de instalações de geração e distribuição de energia elétrica, hidráulica, térmica ou nuclear

    Operador de reator nuclear

    Salário para o cargo de Instrutor educacional
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Instrutor educacional