Salário para o cargo de Operador de calcinação (tratamento químico e afins)
CBO 8112-05 > Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos

Operador de calcinação (tratamento químico e afins) - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Preparam interfaces de turno de trabalho e monitoram equipamentos e variáveis do processo de produção. Operam etapas do processo produtivo, realizam manobras de alinhamento dos processos e controlam resultados das etapas do processo produtivo e do sistema de qualidade. Produzem em bateladas (celulose, metais, têxtil e produtos químicos), vazam (descarregam) o forno e treinam novos operadores. Trabalham seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e preservação ambiental.

Quanto ganha um Operador de calcinação (tratamento químico e afins)

Um Operador de calcinação (tratamento químico e afins) trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.045,59 e R$ 3.211,85, com a média salarial de R$ 1.512,93 e o salário mediana em R$ 1.298,70 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de calcinação (tratamento químico e afins)

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.512,93 18.155,15 378,23 7,01
1º Quartil 1.045,59 12.547,12 261,40 4,84
Salário Mediana 1.298,70 15.584,40 324,68 6,01
3º Quartil 2.449,50 29.393,96 612,37 11,34
Teto Salarial 3.211,85 38.542,24 802,96 14,87


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores em indústrias de processos contínuos e outras indústrias
      • Operadores de instalações em indústrias químicas, petroquímicas
        • Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.314 - 3.370 1.846,14 1.313,89 1.741,94 2.782,67 3.370,46
Grajau - MA 1.045 - 1.297 1.051,38 1.045,00 1.045,00 1.070,52 1.296,65
Turmalina - MG 1.219 - 1.512 1.240,80 1.219,20 1.248,00 1.248,00 1.511,62
Urbano Santos - MA 1.045 - 1.266 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.265,74
Elesbao Veloso - PI 1.045 - 1.266 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.265,74
Sete Lagoas - MG 1.785 - 2.709 2.033,52 1.784,81 2.035,08 2.236,19 2.708,54
Córrego Fundo - MG 1.375 - 1.908 1.460,51 1.374,85 1.445,74 1.575,56 1.908,37
Trindade - PE 1.053 - 1.512 1.107,17 1.053,00 1.053,00 1.248,28 1.511,96
Couto de Magalhaes de Minas - MG 1.219 - 1.512 1.241,45 1.219,20 1.248,00 1.248,00 1.511,62
Araripina - PE 1.045 - 1.565 1.124,92 1.045,00 1.097,36 1.291,72 1.564,57
Ipubi - PE 1.052 - 1.434 1.084,30 1.051,50 1.053,00 1.184,11 1.434,23
Pauliceia - SP 1.304 - 1.650 1.350,65 1.304,10 1.362,29 1.362,29 1.650,05
Resende - RJ 1.313 - 2.075 1.424,01 1.312,58 1.357,40 1.713,07 2.074,92
Rio Branco do Sul - PR 1.357 - 1.747 1.422,34 1.356,79 1.442,00 1.442,00 1.746,59
Arcos - MG 1.306 - 2.832 1.554,86 1.306,00 1.306,00 2.337,72 2.831,52
Mucuri - BA 3.335 - 7.087 4.543,20 3.335,01 4.312,07 5.851,23 7.087,19
Guarapuava - PR 1.307 - 1.633 1.337,11 1.306,80 1.348,50 1.348,60 1.633,46
Alegrete - RS 1.116 - 1.352 1.115,96 1.115,96 1.115,96 1.115,96 1.351,68
Pains - MG 1.045 - 1.417 1.076,24 1.045,00 1.045,00 1.169,96 1.417,09
Arujá - SP 2.030 - 4.389 2.599,50 2.030,00 2.314,00 3.623,50 4.388,89


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Minas Gerais 1.181 - 2.470 1.464,94 1.181,40 1.248,00 2.038,88 2.469,55
São Paulo 1.300 - 3.643 1.885,50 1.299,50 1.642,66 3.007,68 3.643,00
Maranhão 1.045 - 1.547 1.103,12 1.045,00 1.045,00 1.277,46 1.547,30
Pernambuco 1.049 - 1.518 1.110,30 1.049,13 1.053,00 1.253,56 1.518,35
Paraná 1.334 - 2.073 1.468,60 1.334,35 1.419,00 1.711,45 2.072,96
Piauí 1.045 - 1.266 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.265,74
Rio de Janeiro 1.324 - 2.448 1.529,70 1.323,79 1.357,40 2.020,80 2.447,65
Bahia 1.465 - 7.087 3.725,61 1.464,91 3.953,62 5.851,23 7.087,19
Ceará 1.045 - 1.938 1.211,86 1.045,00 1.140,00 1.600,34 1.938,38
Rio Grande do Sul 1.116 - 2.586 1.301,22 1.115,96 1.115,96 2.134,92 2.585,87
Paraíba 1.151 - 1.934 1.318,23 1.150,71 1.224,79 1.597,12 1.934,47
Santa Catarina 1.337 - 4.939 2.351,14 1.337,49 2.112,41 4.078,03 4.939,43
Espírito Santo 1.505 - 3.459 1.965,89 1.505,00 1.751,73 2.856,00 3.459,27
Goiás 1.165 - 2.883 1.506,40 1.165,01 1.281,51 2.380,49 2.883,32


Principais locais de trabalho

Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos atuam na fabricação de produtos químicos, de coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares, álcool, pastas, papel e derivados e metalurgia básica. São assalariados com carteira assinada e atuam em equipe (turnos, multifuncional) sob supervisão permanente. O trabalho é presencial, realizado em ambiente fechado ou a céu aberto. Permanecem durante longos períodos em posições desconfortáveis e trabalham sob pressão, o que pode levá-los a situação de estresse constante. Podem, ainda, trabalhar em grandes alturas ou confinados, em algumas atividades, podem ficar e expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso, altas temperaturas, poeira, gases e umidade.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos

Para o exercício desse cargo requer-se o curso técnico de nível médio em metalurgia, siderurgia, química, petroquímica ou áreas afins oferecido por instituições de formação profissional ou escolas técnicas. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três e quatro anos de experiência profissional.


Funções e atividades do Operador de calcinação (tratamento químico e afins)

Operadores de calcinação e de tratamentos químicos de materiais radioativos devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • preparar interfaces de turno de trabalho;
  • produzir em bateladas (celulose, metais, têxtil e produtos químicos);
  • treinar novos operadores;
  • realizar manobras de alinhamento dos processos;
  • vazar (descarregar) o forno;
  • controlar os resultados das etapas do processo produtivo e do sistema de qualidade;
  • trabalhar com segurança;
  • operar etapas do processo produtivo;
  • monitorar equipamentos e variáveis do processo de produção;

  • Atividades

    • identificar o tipo de equipamento para execução das tarefas;
    • simular evacuação de área;
    • desobstruir tubulações, conexões, canaletas;
    • corrigir condições inseguras no processo de produção;
    • acionar chave para energizar (ou desenergizar) equipamentos de baixa tensão após manutenção;
    • comunicar a ocorrência de acidente e incidente;
    • checar o nível de ruído dos equipamentos;
    • consultar ocorrências de turno;
    • limpar piscina de metal;
    • monitorar a execução de serviços por terceiros;
    • efetuar pressurização conforme procedimentos;
    • identificar pontos de super aquecimento nos equipamentos;
    • programar instrumentos de medição (defratômetro, raio x);
    • remover resíduos do processo;
    • acionar brigada de segurança;
    • requisitar insumos e matérias-primas;
    • remover material contaminado do sistema;
    • limpar tanques e vasos;
    • executar rotinas operacionais demonstrando-as;
    • instalar sistema de irrigação para ataque ácido;
    • instruir a interpretação do fluxograma do processo de produção;
    • relacionar-se com superiores e subordinados;
    • analisar a alcalinidade da água;
    • tratar efluentes conforme padrões especificados;
    • medir ph, densidade e condutividade do produto (conforme padrões);
    • ajustar variáveis do processo;
    • controlar tempo de funcionamento e campanha do equipamento;
    • analisar em equipe a investigação de acidentes;
    • inspecionar visualmente sistema de bica;
    • monitorar tempo de reação do processo;
    • monitorar combustão de fornos, caldeiras;
    • comparar dados do processo com padrões estabelecidos;
    • sinalizar áreas de risco;
    • revestir o sistema de bica;
    • demonstrar espírito de liderança;
    • coletar amostras das etapas do processo de produção;
    • sinalizar riscos e pontos críticos do ambiente;
    • elaborar ordem de serviço para manutenção dos equipamentos;
    • identificar condições inseguras no trabalho;
    • efetuar despressurização do sistema;
    • demonstrar persuasão;
    • embalar produtos acabados ou residuais;
    • demonstrar criatividade;
    • resfriar o sistema na primeira vazão;
    • emitir permissão de trabalho (documento que orienta a execução dos serviços para evitar riscos inerentes ao trabalho).;
    • retirar equipamentos de operação;
    • executar coleta de amostra, demonstrando procedimentos;
    • interpretar normas e procedimentos de segurança;
    • inspecionar condições de funcionamento dos equipamentos rotativos;
    • demonstrar sociabilidade;
    • identificar produtos não conformes (com falhas, fora dos padrões);
    • comunicar ocorrências do turno;
    • interpretar resultados das amostras;
    • registrar leitura de instrumentos de campo;
    • combater princípios de incêndio;
    • demonstrar fluência verbal;
    • controlar insumos e matérias-primas;
    • elaborar relatório de ocorrências de turno;
    • registrar correções executadas nas variáveis do processo;
    • demonstrar autocontrole;
    • preparar área para descarregar materiais;
    • liberar através de documento, equipamentos para manutenção;
    • operar equipamentos dentro dos padrões estabelecidos;
    • controlar a temperatura da reação química;
    • manobrar equipamentos de transporte;
    • tomar iniciativa;
    • monitorar a execução de atividades orientadas;
    • expedir resíduos conforme procedimento padrão;
    • realizar ramonagem (limpeza utilizando vapor);
    • separar bacias para o processo de lixiviação;
    • ajustar velocidade (rpm) de equipamentos rotativos;
    • aquecer o sistema de bica;
    • conferir o sistema de selagem e refrigeração;
    • orientar sobre o funcionamento dos equipamentos;
    • entregar amostras extras ao laboratório;
    • emitir relatório e informações de desempenho dos treinandos;
    • operar partida e parada de equipamentos;
    • analisar relatório de não conformidades;
    • monitorar a qualidade do produto final;
    • inspecionar nível de óleo dos equipamentos;
    • orientar o preenchimento da folha de leitura operacional;
    • controlar níveis de contaminação no ambiente industrial;
    • limpar o sistema de bica;
    • emitir relatório de análise de falhas no processo produtivo;
    • utilizar equipamentos de proteção individual;
    • tratar água para fins industriais e potável;
    • revezar equipamentos rotativos;
    • realizar procedimentos, instruções e padrões do sistema de qualidade;
    • registrar incidentes e acidentes;
    • tamponar o forno;
    • injetar oxigênio para efutuar vazão;
    • identificar pureza dos produtos analisados;
    • operar máquina de homogeneização (misturadores);
    • identificar tipos de amostras;
    • registrar leitura dos painéis de controles;
    • preencher gráfico de controle do processo;
    • adicionar aditivos e reagentes;
    • discutir ações de segurança (dds, pds);
    • reutilizar produtos não conformes no processo produtivo;
    • empilhar minério, cavaco, sucata e outros (para lixiviação estatística);
    • preparar o sistema de bica, decantação e squimer;
    • preencher boletins de análise do processo;
    • separar produtos não conformes;
    • carregar equipamentos com matérias-primas;
    • registrar resultados de análises laboratoriais;
    • emitir solicitação de alterações nos procedimentos e instruções do processo produtivo;
    • ler relatórios e informações operacionais;
    • conferir estoque de insumos e matérias-primas;
    • selecionar etapas do processo;
    • carregar insumos e matérias-primas;
    • testar equipamentos após manutenção;


    Setores que mais contratam Operador de calcinação (tratamento químico e afins) no mercado de trabalho

    • Produção de carvão vegetal - florestas plantadas
    • Fabricação de cal e gesso
    • Produção de ferro-gusa
    • Cultivo de soja
    • Fabricação de outros produtos de metal não especificados anteriormente
    • Fabricação de intermediários para fertilizantes
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel
    • Fabricação de açúcar em bruto
    • Fabricação de produtos cerâmicos refratários




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: