Salário para o cargo de Operador de atendimento aeroviário
CBO 3425-35 > Técnicos em transportes aéreos

Operador de atendimento aeroviário - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Elaboram e implementam programa de segurança de vôo e plano de emergência aeronáutica. Controlam tráfego aéreo em solo e no ar, promovem a segurança aeroportuária. Planejam vôos, despacham vôos, embarcam e desembarcam passageiros. Realizam inspeção em áreas restritas de segurança. Fiscalizam atividades do sistema de aviação civil e ministram treinamento.

Quanto ganha um Operador de atendimento aeroviário

Um Operador de atendimento aeroviário trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.270,56 e R$ 2.925,77, com a média salarial de R$ 1.650,40 e o salário mediana em R$ 1.556,80 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de atendimento aeroviário

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.650,40 19.804,77 412,60 9,04
1º Quartil 1.270,56 15.246,77 317,64 6,96
Salário Mediana 1.556,80 18.681,60 389,20 8,52
3º Quartil 2.231,31 26.775,77 557,83 12,22
Teto Salarial 2.925,77 35.109,19 731,44 16,02


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio em serviços de transportes
      • Técnicos em transportes (logística)
        • Técnicos em transportes aéreos

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Guarulhos - SP 1.290 - 3.067 1.778,61 1.290,26 1.655,45 2.531,89 3.066,70
Rio de Janeiro - RJ 1.284 - 3.077 1.774,52 1.284,31 1.658,27 2.540,00 3.076,53
Campinas - SP 1.323 - 2.365 1.594,26 1.323,41 1.591,60 1.952,18 2.364,54
São Paulo - SP 1.269 - 2.734 1.638,89 1.269,01 1.468,88 2.257,50 2.734,36
Brasília - DF 1.300 - 2.681 1.671,72 1.299,53 1.584,09 2.213,30 2.680,82
Recife - PE 1.304 - 2.547 1.692,47 1.303,57 1.685,79 2.102,87 2.547,06
Confins - MG 1.311 - 2.228 1.549,04 1.311,41 1.584,09 1.839,37 2.227,90
Porto Alegre - RS 1.337 - 2.441 1.626,26 1.336,74 1.629,66 2.014,97 2.440,59
Ribeirão Preto - SP 1.064 - 2.099 1.398,39 1.063,89 1.489,25 1.732,85 2.098,88
Salvador - BA 1.257 - 2.333 1.587,92 1.257,31 1.597,07 1.925,81 2.332,59
São José dos Pinhais - PR 1.326 - 2.503 1.649,56 1.326,05 1.630,83 2.066,55 2.503,06
Fortaleza - CE 1.258 - 2.253 1.554,21 1.258,47 1.584,09 1.859,89 2.252,75
Manaus - AM 1.210 - 2.604 1.616,00 1.209,64 1.562,15 2.149,50 2.603,54
Goiânia - GO 1.286 - 2.284 1.570,70 1.285,83 1.584,09 1.885,86 2.284,21
Florianópolis - SC 1.351 - 2.571 1.673,88 1.351,06 1.647,53 2.122,77 2.571,16
Belém - PA 1.287 - 2.175 1.484,12 1.287,03 1.469,57 1.795,31 2.174,53
Várzea Grande - MT 1.352 - 2.328 1.606,44 1.352,15 1.602,80 1.921,66 2.327,57
Vitoria - ES 1.362 - 2.386 1.668,56 1.361,88 1.666,66 1.969,72 2.385,78
Lagoa Santa - MG 1.308 - 2.164 1.487,56 1.308,08 1.351,37 1.786,51 2.163,87
São Gonçalo do Amarante - RN 1.327 - 2.182 1.572,69 1.326,96 1.599,88 1.801,28 2.181,76


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.269 - 2.828 1.689,53 1.269,21 1.591,60 2.334,87 2.828,06
Rio de Janeiro 1.269 - 3.019 1.751,72 1.268,81 1.617,22 2.492,39 3.018,85
Minas Gerais 1.277 - 2.742 1.611,27 1.276,59 1.401,95 2.263,69 2.741,85
Distrito Federal 1.300 - 2.681 1.671,72 1.299,53 1.584,09 2.213,30 2.680,82
Pernambuco 1.302 - 2.538 1.682,59 1.302,05 1.685,79 2.095,32 2.537,92
Paraná 1.316 - 2.339 1.570,40 1.315,88 1.546,03 1.931,19 2.339,11
Rio Grande do Sul 1.321 - 2.401 1.587,46 1.321,42 1.510,05 1.982,48 2.401,24
Bahia 1.248 - 2.241 1.508,34 1.248,42 1.401,96 1.850,18 2.240,99
Ceará 1.255 - 2.368 1.577,01 1.255,05 1.580,34 1.955,23 2.368,23
Santa Catarina 1.300 - 2.455 1.570,72 1.300,09 1.469,57 2.026,88 2.455,02
Amazonas 1.214 - 2.583 1.610,20 1.214,36 1.562,04 2.132,88 2.583,41
Pará 1.250 - 2.094 1.450,03 1.249,66 1.411,32 1.728,71 2.093,86
Goiás 1.291 - 2.733 1.662,97 1.290,92 1.584,09 2.256,45 2.733,09
Mato Grosso 1.255 - 2.267 1.544,23 1.255,44 1.507,70 1.871,66 2.267,01
Espírito Santo 1.362 - 2.386 1.668,56 1.361,88 1.666,66 1.969,72 2.385,78
Rio Grande do Norte 1.327 - 2.182 1.573,28 1.326,96 1.599,88 1.801,28 2.181,76
Mato Grosso do Sul 1.178 - 1.881 1.341,57 1.177,54 1.287,02 1.552,65 1.880,62
Maranhão 1.289 - 2.257 1.530,46 1.288,97 1.487,05 1.863,52 2.257,15
Alagoas 1.300 - 2.151 1.503,88 1.300,22 1.489,25 1.775,70 2.150,78
Rondônia 1.228 - 1.974 1.366,32 1.227,60 1.287,02 1.629,97 1.974,26
Paraíba 1.256 - 1.932 1.447,99 1.255,53 1.489,25 1.594,97 1.931,88
Piauí 1.295 - 2.161 1.492,29 1.294,65 1.427,86 1.784,54 2.161,49
Sergipe 1.285 - 2.222 1.498,21 1.285,07 1.459,84 1.834,49 2.221,99
Tocantins 1.333 - 2.388 1.566,08 1.332,83 1.489,25 1.971,65 2.388,12
Amapá 1.287 - 1.777 1.350,98 1.287,01 1.332,84 1.467,11 1.777,00
Roraima 1.287 - 1.677 1.339,90 1.287,01 1.332,83 1.384,47 1.676,91
Acre 1.307 - 2.005 1.478,46 1.306,72 1.460,57 1.655,03 2.004,62


Principais locais de trabalho

Técnicos em transportes aéreos trabalham na infraero, em órgãos e em empresas de transportes aéreos e afins. São civis e militares da aeronáutica, assalariados, com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão permanente ou ocasionais. Trabalham em ambiente fechado e a céu aberto. Os horários de trabalho podem ser diurnos, noturnos, irregulares e em rodízio de turnos sendo o trabalho presencial. Há regras especiais para o controlador de voo. Algumas das atividades exercidas estão sujeitas à exposição de ruídos e ao estresse.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos em transportes aéreos

O exercício desse cargo requer escolaridade mínima de ensino médio mais cursos de especialização que variam de duzentas a mais de quatrocentas horas-aula. Há tendência de aumento de qualificação e parte dela é adquirida no próprio emprego há tendência de rodízio de funções nas empresas aéreas com a configuração de um novo tipo de profissional, polivalente. Para o pleno exercício das atividades, requer-se de três a cinco anos de experiência. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de atendimento aeroviário

Técnicos em transportes aéreos devem:

  • comunicar-se;
  • atender clientes e usuários do sistema de aviação civil;
  • ministrar treinamento;
  • planejar voo;
  • despachar voos;
  • controlar tráfego aéreo;
  • fiscalizar atividades do sistema de aviação civil;
  • promover segurança aeroportuária;
  • prover segurança de voos;
  • embarcar passageiros e bagagens;
  • desembarcar passageiros;
  • realizar inspeção em Áreas restritas de segurança (ars);
  • demonstrar competências pessoais;

  • Atividades

    • realizar cursos e palestras relativas à segurança aeroportuária;
    • verificar credencial de funcionários e veículos;
    • enviar relatório de perigo para órgãos pertinentes;
    • informar quantidade de serviços de bordo;
    • efetuar comunicação terra e ar via radiotelefonia;
    • acompanhar equipes de provisão e serviço de bordo;
    • informar passageiros armados sobre existência de outros na mesma situação;
    • realizar controle de rampa;
    • divulgar a filosofia do sistema de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos (sipaer);
    • informar tripulação quantidade de pessoas a bordo e existência de passageiros especiais;
    • fiscalizar cumprimento da lei do aeronauta;
    • supervisionar condições de funcionamento dos equipamentos de segurança ( macas e outros);
    • prestar serviços de vigilância e vetoração radar;
    • autorizar fechamento da porta da aeronave;
    • acionar dispositivos inibidores de aves no sítio aeroportuário;
    • acompanhar fechamento das portas da aeronave;
    • comunicar à administração sobre presença de objetos abandonados;
    • estabelecer procedimentos para transporte de valores;
    • preencher ficha de progressão de voo;
    • manter certificado de habilitação em dia (certificado de habilitação técnica-cht e certificado de habilitação em segurança-chs);
    • analisar informações meteorológicas e aeronáuticas;
    • autorizar mudança de nível de voo e desvio em rota;
    • acompanhar procedimentos de segurança;
    • fiscalizar abertura e chamada da lista de espera;
    • controlar transporte de artigos perigosos e controlados;
    • conferir total de passageiros embarcados;
    • coletar informações a respeito do número de passageiros, carga e bagagem;
    • iniciativa;
    • retirar bagagem dos passageiros faltantes ao embarque;
    • testar equipamentos;
    • recolher informações passadas pelo planejamento de voo;
    • manter vigilância constante do tráfego, espaço aéreo e áreas operacionais de responsabilidade;
    • elaborar relatórios;
    • verificar proficiência técnica dos aeronavegantes;
    • aprovar plano de segurança das empresas aéreas;
    • fiscalizar aeronavegabilidade e manutenção aeronaves;
    • aprovar plano de voo;
    • coordenar junto aos órgãos de controle adjacentes;
    • elaborar plano de emergência aeronáutica;
    • determinar distribuição de carga e bagagem nos porões;
    • elaborar plano de segurança aeroportuária (psa);
    • chamar lista de espera;
    • recolher objetos proibidos e/ou perigosos;
    • capacidade de liderança;
    • solicitar consentimento de passageiros para busca pessoal;
    • aprovar o programa de prevenção de acidentes aeronáuticos (ppaa);
    • notificar à administração sobre focos de incêndio e invasão no sítio aeroportuário;
    • monitorar sistema de tv vigilância;
    • guardar bagagem desacompanhada (rush, extraviada ou esquecida);
    • acondicionar, segundo legislação vigente, objetos especiais declarados;
    • encaminhar passageiros em conexão;
    • instruir pessoal em cursos de qualificação;
    • aplicar procedimentos segundo ppaa;
    • identificar objetos que possam causar danos às aeronaves/passageiros;
    • informar comandante sobre boletim meteorológico atualizado;
    • acuidade visual;
    • conferir documentação específica para transporte de objetos atípicos;
    • organização;
    • objetividade;
    • etiquetar bagagem;
    • fiscalizar atividades das empresas de serviços auxiliares do transporte aéreo;
    • afixar avisos de procedimentos de segurança;
    • manter aeronaves separadas em voo;
    • acompanhar estagiários e treinandos;
    • adotar procedimentos de ações iniciais investigatórias de incidentes e acidentes aeronáuticos;
    • registrar ocorrências de incidentes de tráfego aéreo;
    • aplicar questionário (profile);
    • suspender operações no aeródromo sob condições especiais;
    • direcionar passageiros para sala de desembarque;
    • fazer reservas de voo;
    • autorizar taxiamento, circulação de pessoas e veículos nas áreas de manobra;
    • transmitir plano de voo ao órgão de informação aeronáutica;
    • acionar órgão competente;
    • solicitar isolamento de áreas;
    • fornecer informações gerais;
    • rapidez de reflexos;
    • avaliar condições meteorológicas na aproximação final;
    • acionar mecanismos para atendimento de aeronaves em emergência aeronáutica;
    • autorizar pouso e decolagem;
    • atenção focada e difusa;
    • providenciar atendimento de emergências médicas;
    • solicitar autorização de controle de tráfego aéreo fora da área de responsabilidade;
    • recolher assinaturas no manifesto de peso e balanceamento;
    • fiscalizar prática das medidas de segurança em função do nível de segurança do aeroporto;
    • fiscalizar bagagem de mão (tamanho e volume);
    • clareza;
    • elaborar programa de segurança de voo no aeroporto;
    • trabalhar em equipe;
    • efetuar chamadas de embarque segundo prioridades;
    • destacar cartão de embarque;
    • fiscalizar procedimentos operacionais técnicos e segurança de empresas aéreas e adm. aeroportuária;
    • dirigir reuniões para discussão de assuntos relacionados à segurança de voo;
    • verificar funcionamento de equipamentos;
    • providenciar recolhimento de objetos que possam causar danos às aeronaves;
    • operar equipamentos;
    • usar epi;
    • contornar situações adversas;
    • autorizar início de descida para procedimento de aproximação e pouso;
    • registrar ocorrências de incidentes e acidentes aeronáuticos;
    • notificar comandante sobre existência de passageiros armados a bordo;
    • fiscalizar escolas de pilotagem, aeroclubes e clubes aviação (proced. operacionais e documentos);
    • alimentar o sistema informativo de voo (siv) com dados atualizados;
    • capacidade de síntese;
    • realizar busca pessoal por apalpamento;
    • definir rota, nível de voo, consumo de combustível, segundo especificações técnicas da aeronave;
    • disponibilizar espaço aéreo para atividade aérea;
    • providenciar acomodações e indenizações em casos de overbooking, cancelamento, atraso e retorno conforme legislação específica;
    • participar de reuniões;
    • fiscalizar condições da infraestrutura aeroportuária;
    • falar em público;
    • inspecionar funcionários e veículos;
    • fornecer informações relativas ao auxílio de navegação e condições do aeródromo;
    • vender bilhetes;
    • monitorar dados lançados no sistema informativo de voo (siv);
    • expedir autorização de sobrevoo de aeronaves estrangeiras;
    • autuar infratores conforme código brasileiro de aeronáutica e legislação complementar;
    • identificar passageiros faltantes ao embarque;
    • resolução de problemas;
    • agir com autocontrole;
    • capacidade de visão sistêmica;
    • controlar acesso e circulação em áreas restritas;
    • ajustar condições de voo em função das pistas de origem e destino (tamanho, temperatura e outros);
    • fiscalizar atividades da oficina de manutenção aeronáutica;
    • distribuir plano de emergência para órgãos do sistema de aviação civil;
    • registrar infração de tráfego aéreo;
    • preencher formulário de manifesto de peso e balanceamento;
    • preencher despachos e formulários avsec;
    • fiscalizar prática de cabotagem por aeronaves de bandeira estrangeira em território nacional;
    • solicitar retirada de bagagem de passageiros faltantes;
    • solicitar descarte de objetos proibidos e/ou perigosos;
    • credenciar pessoas e veículos para acesso às áreas restritas;
    • acionar serviço de alerta;
    • adotar nível de segurança;
    • realizar palestras relativas à segurança de voo;
    • capacidade de observação;
    • conferir documentação e bilhete;
    • capacidade sensorial;
    • solicitar retirada de objetos metálicos, eletrônicos e pessoais;
    • abrir processo de falta ou danificação de bagagem;
    • registrar reclamações de clientes e usuários;
    • implementar diretrizes de segurança e operações aeroportuárias;
    • desembarcar passageiros especiais (doentes, prisioneiros, grávidas e com dificuldade de locomoção);
    • fiscalizar documentação de aeronavegantes;
    • observar comportamento de passageiros;
    • organizar espaço físico aeroportuário;
    • registrar ocorrências em ars;


    Setores que mais contratam Operador de atendimento aeroviário no mercado de trabalho

    • Transporte aéreo de passageiros regular
    • Atividades auxiliares dos transportes aéreos, exceto operação dos aeroportos e campos de aterrissagem
    • Operação dos aeroportos e campos de aterrissagem
    • Serviço de táxi aéreo e locação de aeronaves com tripulação
    • Agências de viagens
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Transporte aéreo de carga
    • Comércio varejista de suvenires, bijuterias e artesanatos
    • Limpeza em prédios e em domicílios
    • Serviços combinados de escritório e apoio administrativo




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Técnico petroquímico
    Técnicos de produção de indústrias químicas, petroquímicas, refino de petróleo, gás

    Técnico petroquímico