Salário para o cargo de Condutor de bois - na criação
CBO 6230-15 > Tratadores polivalentes de animais

Condutor de bois - na criação - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Manejam, alimentam e monitoram a saúde e o comportamento de animais da pecuária. Condicionam e adestram animais. Sob orientação de veterinários e técnicos, tratam sanidade de animais, manipulando e aplicando medicamentos e vacinas, higienizam animais e recintos, aplicam técnicas de inseminação,castração, casqueamento e ferrageamento. Realizam atividades de apoio, assessorando em intervenções cirúrgicas, exames clínicos e radiológicos, pesquisas, necropsias e sacrifícios de animais.

Quanto ganha um Condutor de bois - na criação

Um Condutor de bois - na criação trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.187,63 e R$ 2.674,66, com a média salarial de R$ 1.517,42 e o salário mediana em R$ 1.369,97 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Condutor de bois - na criação

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.517,42 18.208,99 379,35 6,98
1º Quartil 1.187,63 14.251,59 296,91 5,46
Salário Mediana 1.369,97 16.439,64 342,49 6,30
3º Quartil 2.039,81 24.477,70 509,95 9,38
Teto Salarial 2.674,66 32.095,89 668,66 12,29


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca
    • Trabalhadores na exploração agropecuária
      • Trabalhadores na pecuária
        • Tratadores polivalentes de animais

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.097 - 2.694 1.537,76 1.096,92 1.400,00 2.223,84 2.693,58
Corumbá - MS 1.101 - 2.251 1.370,33 1.100,84 1.166,55 1.858,16 2.250,66
Mineiros - GO 1.069 - 2.699 1.632,01 1.068,53 1.567,50 2.228,21 2.698,87
Diamantino - MT 1.071 - 1.416 1.115,64 1.071,00 1.125,00 1.168,78 1.415,66
São Felix do Xingu - PA 1.045 - 2.475 1.337,98 1.045,00 1.100,00 2.043,60 2.475,27
Rolândia - PR 1.337 - 1.924 1.432,19 1.337,38 1.401,40 1.588,57 1.924,13
Fortaleza - CE 1.116 - 1.360 1.120,26 1.115,65 1.121,20 1.122,92 1.360,12
Sidrolândia - MS 1.165 - 2.124 1.326,80 1.164,81 1.184,45 1.753,76 2.124,20
Montenegro - RS 1.281 - 1.808 1.353,79 1.281,05 1.317,67 1.492,57 1.807,85
Doverlândia - GO 1.101 - 2.861 1.836,40 1.100,58 2.090,00 2.362,04 2.860,97
Peixoto de Azevedo - MT 1.300 - 1.655 1.315,87 1.300,00 1.300,00 1.366,11 1.654,67
Tangara da Serra - MT 1.141 - 2.386 1.430,66 1.141,15 1.305,38 1.969,88 2.385,98
Pedra Preta - MT 1.081 - 2.303 1.308,00 1.080,53 1.125,00 1.901,47 2.303,12
Itapiranga - SC 1.239 - 1.677 1.310,74 1.239,03 1.331,00 1.384,48 1.676,92
Ipê - RS 1.356 - 1.815 1.454,09 1.356,41 1.478,30 1.498,50 1.815,03
Santa Vitoria - MG 1.045 - 2.207 1.455,39 1.045,00 1.567,50 1.822,40 2.207,35
Garibaldi - RS 1.312 - 2.011 1.419,78 1.312,02 1.315,03 1.659,92 2.010,54
São João Batista do Gloria - MG 1.045 - 1.397 1.070,72 1.045,00 1.045,00 1.153,39 1.397,02
Altamira - PA 1.514 - 2.745 1.844,30 1.514,29 1.800,00 2.266,07 2.744,73
Vista Alegre - RS 1.249 - 1.896 1.339,14 1.248,93 1.270,00 1.565,43 1.896,09


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.100 - 2.685 1.535,36 1.099,88 1.400,00 2.217,13 2.685,45
Mato Grosso 1.087 - 2.745 1.526,65 1.087,28 1.305,38 2.266,08 2.744,75
Mato Grosso do Sul 1.115 - 2.498 1.489,03 1.114,66 1.392,70 2.062,33 2.497,96
Rio Grande do Sul 1.266 - 2.205 1.446,85 1.265,55 1.336,72 1.820,64 2.205,21
Goiás 1.057 - 2.964 1.688,12 1.057,05 1.567,50 2.446,74 2.963,56
Minas Gerais 1.045 - 2.440 1.376,86 1.045,00 1.191,00 2.014,70 2.440,26
Paraná 1.260 - 2.082 1.448,25 1.260,38 1.401,40 1.718,70 2.081,74
Pará 1.045 - 2.759 1.540,33 1.045,00 1.400,00 2.277,45 2.758,52
Santa Catarina 1.236 - 1.963 1.383,04 1.235,55 1.331,00 1.620,45 1.962,74
Rondônia 1.075 - 3.008 1.631,39 1.075,26 1.503,86 2.483,29 3.007,84
Ceará 1.107 - 1.363 1.118,74 1.107,34 1.121,20 1.125,06 1.362,71
Tocantins 1.102 - 2.297 1.362,07 1.101,60 1.222,00 1.896,83 2.297,49
Bahia 1.045 - 1.741 1.173,73 1.045,00 1.107,50 1.437,15 1.740,72
Espírito Santo 1.045 - 1.511 1.093,05 1.045,00 1.045,00 1.247,88 1.511,47
Distrito Federal 1.144 - 2.203 1.370,94 1.144,16 1.210,50 1.818,51 2.202,64
Rio Grande do Norte 1.549 - 2.022 1.628,81 1.548,54 1.648,51 1.669,67 2.022,36
Acre 1.045 - 1.827 1.168,85 1.045,00 1.100,00 1.508,01 1.826,54
Maranhão 1.065 - 3.135 1.533,63 1.065,33 1.204,67 2.588,33 3.135,07
Rio de Janeiro 1.262 - 2.985 1.902,90 1.262,20 2.000,00 2.464,60 2.985,20
Piauí 1.066 - 1.368 1.085,80 1.066,03 1.066,03 1.129,19 1.367,71
Pernambuco 1.045 - 1.919 1.338,79 1.045,00 1.500,00 1.584,06 1.918,66
Paraíba 1.073 - 1.392 1.107,79 1.072,50 1.100,00 1.149,48 1.392,28
Sergipe 1.045 - 1.266 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.045,00 1.265,74


Principais locais de trabalho

Tratadores polivalentes de animais trabalham em pequenas e médias propriedades rurais, fundações, canis e haras, predominantemente do setor privado, como assalariado, com carteira assinada. Há, também, trabalhadores por conta própria, como os inseminadores, adestradores de animais,casqueadores de animais e ferradores de animais. Organizam-se individualmente ou em equipe, sob supervisão ocasional de trabalhadores mais experientes. Trabalham a céu aberto, durante o dia, alguns ficam sujeitos a posições desconfortáveis,bem como expostos a ruídos e ataques de animais.


O que é preciso para trabalhar na área dos Tratadores polivalentes de animais

Para o exercício desse cargo requer-se, no mínimo, quarta série do ensino fundamental, mais curso profissionalizante de duzentas horas-aula (adestradores, inseminadores de animais, casqueadores de animais e ferradores de animais) e cursos eventuais (para as demais ocupações), oferecidos pelas associações, cooperativas, órgãos governamentais de apoio à agropecuária e à extensão rural e instituições de formação profissional. O desempenho pleno das atividades requer de um a dois anos de experiência. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Condutor de bois - na criação

Tratadores polivalentes de animais devem:

  • monitorar saúde e comportamento de animais;
  • realizar atividades de apoio;
  • demonstrar competências pessoais;
  • condicionar animais;
  • manejar animais;
  • alimentar animais;
  • higienizar animais e recintos;
  • inseminar animais;
  • tratar sanidade de animais;
  • castrar animais;
  • adestrar animais;

  • Atividades

    • controlar criação de presas;
    • processar alimentos;
    • identificar medicamentos;
    • executar técnicas de enriquecimento ambiental;
    • monitorar agressividade de animais;
    • conferir estado físico de animais;
    • registrar evolução de tratamentos médicos;
    • higienizar narinas e orelhas de animais;
    • trabalhar com segurança;
    • demonstrar capacidade de organização;
    • higienizar boca e dentes de animais;
    • planejar captura de animais;
    • conter fêmea para inseminação;
    • limpar cascos;
    • higienizar materiais, instrumentos e equipamentos;
    • cortar excessos de cascos;
    • prestar primeiros socorros a animais;
    • monitorar temperamento de animais em quarentena;
    • acondicionar medicamentos, equipamentos, instrumentos e acessórios;
    • estabelecer contato com animais;
    • observar desconforto de bovinos durante o processo de contenção no casqueamento (timpanismo);
    • manipular medicamentos;
    • higienizar genitálias de animais;
    • demonstrar sensibilidade táctil;
    • vacinar animais;
    • monitorar temperatura de recintos;
    • esterilizar materiais e equipamentos cirúrgicos;
    • mergulhar patas de aminais em solução preparada (pé de lúvio);
    • apresentar estímulos ambientais;
    • realizar alinhamento e balanceamento dos cascos;
    • amarrar bolsa escrotal;
    • descornar animais;
    • produzir técnicas de enriquecimento comportamental;
    • higienizar ferimentos em cascos;
    • definir objetivo de amansamento;
    • escolher métodos de condicionamento;
    • limpar o reto das fêmeas;
    • punir comportamentos;
    • programar adestramento de animais;
    • recomendar encaminhamento ao veterinário, se necessário;
    • relatar ocorrências;
    • laçar animais;
    • montar armadilhas;
    • demonstrar capacidade de observação;
    • controlar qualidade de alimentos;
    • marcar fêmeas no cio;
    • examinar patas de animais ( aprumos e angulações);
    • monitorar acasalamento de animais;
    • executar tratamento de sangria;
    • atentar-se para detalhes;
    • participar de atividades educativas e culturais;
    • monitorar tempo entre casqueamentos/ferrageamentos;
    • treinar colegas de trabalho;
    • monitorar cio de animais;
    • manifestar paciência;
    • selecionar alimentos;
    • demonstrar capacidade de decisão;
    • executar tratamento de travagem;
    • descongelar sêmen;
    • sacrificar animais;
    • monitorar postura de ovos;
    • conferir plantel;
    • escovar animais;
    • inventariar estoque de medicamentos e alimentos;
    • manifestar iniciativa;
    • ensinar comandos;
    • realizar ferrageamento de animais;
    • manifestar resistência física;
    • monitorar sociabilidade de animais;
    • conter animais para casqueamento e ferrageamento;
    • separar animais em recintos;
    • monitorar peso e crescimento de animais;
    • provocar ejaculação;
    • esmagar cordão espermático;
    • posicionar machos;
    • registrar preferências alimentares de animais;
    • colher frutas e vegetais;
    • manifestar afinidade com animais;
    • retirar testículos;
    • coletar material biológico para exames laboratoriais;
    • aplicar curativos;
    • anestesiar animais;
    • auxiliar animais em trabalho de parto;
    • repetir ações;
    • cortar bolsa escrotal;
    • induzir comportamentos;
    • detectar níveis de estresse em animais;
    • monitorar comportamento materno;
    • descartar material de inseminação;
    • plantar pastagens;
    • confeccionar dardos e materiais de contenção e captura;
    • monitorar escolha de parceiros;
    • tosquiar animais;
    • manifestar criatividade;
    • assessorar em necropsias de animais;
    • verificar ocorrência de fecundação;
    • registrar comportamentos estereotipados de animais;
    • coletar sêmen;
    • desinfetar recintos, bebedouros e comedouros;
    • selecionar amimais a serem ferrados;
    • colocar animais em regime de jejum;
    • manejar botijão de sêmen;
    • injetar sêmen;
    • trabalhar em equipe;
    • passear com animais;
    • cauterizar cordão espermático;
    • ensinar comportamentos;
    • criar estímulos ambientais;
    • amarrar cordão espermático;
    • assessorar em intervenções cirúrgicas;
    • reforçar comportamentos;
    • monitorar gestação e choca de fêmeas;
    • sociabilizar grupos de animais;
    • demonstrar habilidade manual;
    • monitorar consumo de alimentos;
    • preencher formulários;
    • amordaçar animais;
    • amarrar animais;
    • induzir cio;
    • recolher dejetos, lixo e restos de alimentos em recintos e adjacências;
    • pulverizar ectoparasiticidas em animais e recintos;
    • congelar sêmen;
    • monitorar doenças, lesões e traumatismos em animais;
    • lavar animais e recintos;
    • rasquear animais;
    • amansar animais;
    • medir temperatura de animais;
    • preparar material para inseminação;
    • criar filhotes de animais;
    • enterrar carcaças de animais;
    • distribuir alimentos em recintos;
    • aclimatar animais;
    • exercitar animais;
    • transportar animais;
    • assessorar em exames clínicos e radiológicos;
    • recompensar comportamentos;
    • armazenar alimentos;
    • produzir condições de aprendizagem;
    • selecionar tipos de ferraduras e cravos;
    • controlar dieta alimentar;
    • ordenhar animais;
    • higienizar cascos de animais;
    • detectar presença de ferimentos nas patas;
    • marcar plantel;
    • suturar bolsa escrotal;
    • aplicar medicamentos;
    • cortar cordão espermático;
    • confeccionar ferraduras corretivas ou ortopédicas;
    • selecionar o rufião;
    • selecionar animais a serem casqueados;
    • imobilizar animal para castração;
    • prender animais em recintos, jaulas e bretes;
    • orientar proprietários de animais;
    • adicionar suplementos alimentares;
    • retirar ferradura velha (desferrar);
    • assessorar em pesquisas;


    Setores que mais contratam Condutor de bois - na criação no mercado de trabalho

    • Criação de bovinos para corte
    • Criação de bovinos para leite
    • Cultivo de soja
    • Produção de pintos de um dia
    • Criação de suínos
    • Fabricação de alimentos para animais
    • Cultivo de arroz
    • Produção de ovos
    • Atividades de apoio à pecuária
    • Criação de frangos para corte




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: