Salário para o cargo de Chefe de operações portuárias
CBO 3426-10 > Técnicos em transportes por vias navegáveis e operações portuárias

Chefe de operações portuárias - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Supervisionam o recebimento de cargas e o embarque de passageiros do transporte aquaviário, coordenam serviços de embarcação em portos e estações, organizam distribuição de cargas e passageiros, programam atracação de embarcações, monitoram atracação e desatracação, embarque e desembarque, elaboram documentos técnicos.

Quanto ganha um Chefe de operações portuárias

Um Chefe de operações portuárias trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.325,43 e R$ 10.927,04, com a média salarial de R$ 3.890,01 e o salário mediana em R$ 2.800,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chefe de operações portuárias

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 3.890,01 46.680,10 972,50 18,34
1º Quartil 1.325,43 15.905,18 331,36 6,25
Salário Mediana 2.800,00 33.600,00 700,00 13,20
3º Quartil 8.333,42 100.001,10 2.083,36 39,28
Teto Salarial 10.927,04 131.124,44 2.731,76 51,51


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio em serviços de transportes
      • Técnicos em transportes (logística)
        • Técnicos em transportes por vias navegáveis e operações portuárias

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Rio de Janeiro - RJ 1.450 - 10.258 4.148,46 1.449,91 3.347,11 8.469,39 10.258,38
Niterói - RJ 1.214 - 3.858 1.718,33 1.213,60 1.254,00 3.184,88 3.857,62
Santos - SP 2.342 - 14.502 5.856,21 2.341,72 4.508,93 11.973,09 14.502,16
São Paulo - SP 1.605 - 10.606 4.345,73 1.604,81 3.446,82 8.756,52 10.606,16
Manaus - AM 1.244 - 7.334 3.209,95 1.243,53 2.873,97 6.055,19 7.334,22
Paranaguá - PR 1.171 - 6.430 3.280,17 1.170,86 3.046,46 5.308,25 6.429,51
Vila Velha - ES 1.350 - 4.943 2.360,92 1.350,00 2.030,00 4.080,69 4.942,65
Macaé - RJ 2.119 - 8.818 3.712,29 2.118,64 2.730,77 7.280,07 8.817,84
São Luís - MA 1.053 - 9.624 3.563,61 1.052,86 2.500,00 7.945,45 9.623,77
Rio Grande - RS 1.350 - 8.892 4.037,67 1.350,00 3.542,58 7.341,42 8.892,15
Barcarena - PA 2.099 - 12.203 5.590,01 2.098,99 5.537,73 10.075,04 12.203,19
Vitoria - ES 1.771 - 14.891 7.323,74 1.771,04 6.899,29 12.294,22 14.891,13
São Francisco do Sul - SC 1.665 - 15.120 4.697,18 1.665,43 2.588,56 12.483,15 15.119,96
Belém - PA 3.095 - 8.024 4.551,74 3.095,29 4.000,00 6.625,00 8.024,40
Itajaí - SC 2.794 - 10.267 4.660,52 2.794,46 3.206,39 8.476,25 10.266,69
Recife - PE 1.667 - 3.811 2.326,39 1.667,29 2.237,60 3.146,00 3.810,53
Guarujá - SP 1.137 - 11.159 3.588,05 1.136,53 1.172,44 9.212,60 11.158,57
Itaguaí - RJ 2.236 - 21.280 5.927,89 2.235,70 3.060,43 17.568,69 21.279,72
Cubatão - SP 2.500 - 3.028 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 3.028,08
São Gonçalo - RJ 1.761 - 11.864 4.487,28 1.760,90 3.055,00 9.794,94 11.863,93


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Rio de Janeiro 1.229 - 9.274 3.376,96 1.229,44 2.372,65 7.657,00 9.274,39
São Paulo 1.663 - 11.569 4.570,61 1.662,57 3.498,00 9.551,49 11.569,05
Espírito Santo 1.407 - 11.637 4.236,39 1.407,31 2.620,80 9.607,75 11.637,20
Paraná 1.185 - 8.287 3.348,41 1.185,00 2.769,26 6.842,07 8.287,32
Pará 1.933 - 10.006 4.696,63 1.933,12 4.000,00 8.260,86 10.005,80
Santa Catarina 1.613 - 11.813 4.336,87 1.612,85 2.888,91 9.752,64 11.812,68
Amazonas 1.365 - 7.588 3.374,25 1.364,99 2.873,97 6.264,77 7.588,08
Rio Grande do Sul 1.524 - 8.260 3.728,33 1.523,53 3.023,80 6.819,21 8.259,63
Maranhão 1.053 - 11.212 3.980,82 1.052,86 2.900,00 9.257,02 11.212,38
Minas Gerais 1.599 - 12.718 4.633,26 1.598,97 2.872,31 10.500,00 12.717,92
Pernambuco 1.654 - 7.463 3.131,14 1.654,03 2.383,13 6.161,46 7.462,94
Ceará 1.450 - 10.749 3.526,30 1.450,00 1.566,91 8.874,69 10.749,30
Bahia 1.330 - 7.459 3.374,38 1.329,67 3.500,00 6.157,89 7.458,62
Mato Grosso 2.433 - 5.975 3.162,75 2.433,33 2.602,78 4.933,33 5.975,40
Rio Grande do Norte 1.333 - 3.755 2.250,40 1.333,46 2.400,00 3.100,00 3.754,81
Mato Grosso do Sul 2.750 - 14.232 4.957,95 2.750,00 3.100,00 11.750,00 14.231,95
Rondônia 1.759 - 8.696 3.206,01 1.759,00 1.759,00 7.179,89 8.696,50
Amapá 1.611 - 7.130 2.797,82 1.610,92 2.348,97 5.886,46 7.129,86


Principais locais de trabalho

Técnicos em transportes por vias navegáveis e operações portuárias trabalham em empresas do ramo de transporte aquaviário e de companhias de operações portuárias. São contratados na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada. Desenvolvem suas atividades em equipe, sob supervisão ocasional, em ambiente a céu aberto, podendo atuar em horários irregulares e em rodízio de turnos. No exercício de algumas atividades, podem trabalhar sob pressão, levando-os à situação de estresse, podem, ainda, estar sujeitos a ruído intenso, poeira das cargas, cargas suspensas e em trânsito.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos em transportes por vias navegáveis e operações portuárias

O exercício desse cargo requer escolaridade de ensino técnico em transportes, em nível médio. O pleno exercício das atividades se dá após o período de cinco anos de experiência profissional.


Funções e atividades do Chefe de operações portuárias

Técnicos em transportes por vias navegáveis e operações portuárias devem:

  • coordenar serviços de embarcação em porto e estação;
  • demonstrar competências pessoais;
  • organizar distribuição de cargas e passageiros;
  • elaborar documentos;
  • supervisionar recebimento e embarque de cargas e passageiros;
  • programar atracação de embarcação;
  • monitorar atracação e desatracação, embarque e desembarque;

  • Atividades

    • tomar decisões;
    • elaborar relatório de recebimento de carga (mate);
    • preencher livros de ocorrências;
    • organizar cargas por embarcação;
    • liderar equipes;
    • apresentar vantagens operacionais para clientes;
    • estipular destinos de embarcações;
    • analisar previsão de embarque e desembarque de cargas e passageiros;
    • definir equipamentos para carga e descarga;
    • definir prioridades de atracação;
    • elaborar planilha de custo;
    • emitir lista de sequenciamento de carga e descarga;
    • assessorar visitas de capitania dos portos;
    • distribuir tripulação para embarcações;
    • determinar acionamento de motores;
    • demonstrar iniciativa;
    • calcular horários de saída e chegada;
    • informar período de operação para autoridades portuárias;
    • analisar relatório de sistema operacional;
    • providenciar serviços de auxílio a embarcações;
    • apresentar previsão de carga e descarga para autoridades portuárias;
    • distribuir tarefas em embarcação e estação;
    • selecionar tipos e tamanhos de embarcações;
    • supervisionar recebimento de documentação e liberação de cargas e passageiros;
    • providenciar equipamentos de segurança dos trabalhadores (epi);
    • analisar relatório de embarcação;
    • organizar cargas por tipo;
    • monitorar peação e desapeação de carga;
    • listar equipamentos de embarcação;
    • providenciar serviços de auxílio à tripulação;
    • verificar documentação de exportadores e importadores;
    • assessorar visitas de receita federal, polícia federal e vigilância sanitária;
    • avisar autoridades sobre chegada da embarcação;
    • informar valores para pagamentos de taxas portuárias ao setor financeiro;
    • elaborar relatórios com características de embarcações;
    • agendar atracação de embarcação;
    • determinar horário e tipo de embarcação;
    • mapear infraestrutura para recebimento de cargas;
    • monitorar serviços de carga e descarga;
    • monitorar embarque e desembarque de passageiros;
    • estabelecer ponte de embarque e desembarque;
    • transmitir informações;
    • supervisionar fluxo de caminhões em porto;
    • compatibilizar plano de carga e descarga com relatórios operacionais;
    • negociar vantagens operacionais;
    • separar tipos de contêineres;
    • encaminhar documentação para setores da empresa;
    • encaminhar documentação para autoridades portuárias, usuários e ogmo;
    • requisitar equipes de trabalhadores ao órgão gestor de mão-de-obra (ogmo);
    • supervisionar equipe de operação;
    • elaborar planilhas de estatísticas operacionais;
    • organizar cargas segundo peso;
    • organizar cargas por porto de destino;
    • participar de reuniões com representantes de autoridades portuárias, agentes e operadores;


    Setores que mais contratam Chefe de operações portuárias no mercado de trabalho

    • Operações de terminais
    • Navegação de apoio marítimo
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Atividades de agenciamento marítimo
    • Transporte por navegação interior de carga, intermunicipal, interestadual e internacional, exceto travessia
    • Navegação de apoio portuário
    • Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional
    • Armazéns gerais - emissão de warrant
    • Atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural
    • Carga e descarga




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: