Salário para o cargo de Apanhador de babaçu
CBO 6323-10 > Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos

Apanhador de babaçu - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Extraem e beneficiam fibras, ceras e óleos. Colhem frutos de palmeiras e árvores. Manejam extração e beneficiamento de fibras, ceras e óleos. Plantam árvores de pequi e espécies produtoras de fibras. Armazenam e comercializam matéria-prima e produtos.

Quanto ganha um Apanhador de babaçu

Um Apanhador de babaçu trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 2.060,51 e R$ 4.837,46, com a média salarial de R$ 2.756,04 e o salário mediana em R$ 2.860,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Apanhador de babaçu

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.756,04 33.072,45 689,01 12,91
1º Quartil 2.060,51 24.726,12 515,13 9,65
Salário Mediana 2.860,00 34.320,00 715,00 13,40
3º Quartil 3.689,25 44.271,04 922,31 17,29
Teto Salarial 4.837,46 58.049,51 1.209,36 22,67


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca
    • Pescadores e extrativistas florestais
      • Extrativistas florestais
        • Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Mogi-Guaçu - SP 2.919 - 4.933 3.611,06 2.918,82 4.072,55 4.072,55 4.932,79
Bragança Paulista - SP 3.035 - 3.928 3.198,33 3.035,27 3.242,80 3.242,80 3.927,78
Bocaina - SP 2.293 - 3.464 2.681,67 2.293,33 2.860,00 2.860,00 3.464,12
Catalão - GO 1.650 - 2.488 1.845,33 1.650,00 1.850,00 2.054,00 2.487,87
São José dos Campos - SP 3.300 - 4.490 3.625,60 3.300,00 3.707,00 3.707,00 4.490,03


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 2.465 - 4.892 3.213,99 2.464,71 3.242,80 4.038,74 4.891,84
Goiás 1.357 - 2.466 1.752,32 1.356,61 1.850,00 2.036,00 2.466,06
Minas Gerais 1.980 - 3.089 2.317,12 1.980,00 2.305,60 2.550,00 3.088,64


Principais locais de trabalho

Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos trabalham predominantemente em silvicultura, exploração florestal, agricultura, pecuária e serviços relacionados a essas atividades. O trabalho é desenvolvido em equipe, com supervisão ocasional, a céu aberto, no período diurno. No exercício das atividades, os trabalhadores estão sujeitos a ruídos intensos, altas temperaturas e posição desconfortável por longos períodos. Os trabalhadores da exploração de andiroba, piaçava e coco-da-praia desenvolvem suas atividades em alturas elevadas expondo-os a riscos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos

O acesso ao trabalho é livre, sem exigência de escolaridade ou formação profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Apanhador de babaçu

Extrativistas florestais de espécies produtoras de fibras, ceras e óleos devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • colher frutos de palmeiras e Árvores;
  • manejar extração e beneficiamento de fibras, ceras e Óleos;
  • extrair fibras, ceras e Óleos;
  • comercializar matéria-prima e produtos;
  • plantar Árvores de pequi e espécies produtoras de fibras;
  • armazenar matéria-prima e produtos;
  • beneficiar fibras, ceras e Óleos;

  • Atividades

    • perfurar árvore de copaíba;
    • construir canteiros;
    • peneirar casca de coco-da-praia;
    • apresentar resistência física;
    • balizar solo;
    • moer amêndoas de pequi, ouricuri e babaçu;
    • acondicionar feixes fibras em veículos;
    • apresentar força física para subir em árvores;
    • apagar incêndios;
    • pesar matéria-prima e produtos;
    • amarrar piaçava e fibra de coco-da-praia e palhas de ouricuri e carnaúba em feixes;
    • escoar óleo de copaíba;
    • pesquisar mercado fornecedor de fibras, ceras e óleos;
    • calcular capacidade produtiva da área de extração;
    • registrar produção;
    • aceirar área de extração;
    • confeccionar ganchos de madeira;
    • separar óleo e ralão de babaçu;
    • macerar bacaba, casca de coco-da-praia, fruto de piaçava e amêndoa de ouricuri;
    • cortar palhas de carnaúba, piaçava e ouricuri;
    • ferver pó de carnaúba e amêndoas de ouricuri, babaçu e pequi;
    • manufaturar ralos e passadeiras de pequi;
    • transportar matéria-prima e produtos;
    • secar polpa de pequi e ouricuri;
    • adaptar-se a ambientes silvestres;
    • cozinhar andiroba, ouricuri, polpa de pequi e vinhos de bacaba e buriti;
    • descascar coco-da-praia, babaçu, pequi, ouricuri e andiroba;
    • secar palha de carnaúba;
    • dispor fibras de coco-da-praia e palhas de ouricuri em lonas ou solo;
    • abrir caminho para área de extração;
    • adubar solo;
    • raspar polpa de pequi e palha de ouricuri;
    • encaixar foice em varas de bambu;
    • coar óleos de bacaba, copaíba, babaçu, ouricuri e pequi;
    • colher cachos de buriti , ouricuri, babaçu, tucum, coco-da-praia e bacaba em copas;
    • ensacar pó, cera de carnaúba e ralão de babaçu e ouricuri;
    • amassar andiroba e bacaba;
    • selecionar árvores e palmeiras para produção de mudas;
    • orientar equipe de trabalho;
    • empilhar feixes de palha de carnaúba;
    • negociar arrendamento de área de extração;
    • destalar palhas de ouricuri e carnaúba;
    • suportar trabalhos em alturas elevadas;
    • transplantar mudas de coco-da-praia e pequi;
    • quebrar casca de cocos-da-praia e babaçu;
    • medir produção de óleo;
    • colher andiroba, buriti pequi, babaçu e ouricuri em solo;
    • coar cera de carnaúba;
    • pentear fibra de piaçava;
    • ralar polpa de pequi;
    • vender produtos;
    • subir em árvores e palmeiras;
    • bater palha de carnaúba;
    • selecionar equipe de trabalho;
    • abrir covas;
    • vender matéria-prima;
    • pilar pequi, ouricuri e babaçu;
    • limpar piaçava e fibra de coco-da-praia;
    • desbastar palmeiras;
    • acondicionar produtos embalados em veículos;
    • pesquisar mercado consumidor de fibras, ceras e óleos;
    • demonstrar concentração em manuseio de equipamentos cortantes e máquinas;
    • prensar borra de carnaúba;
    • limpar instalações;
    • comprar insumos;
    • laminar cascas de pequi e coco de piaçava;
    • providenciar manutenção de equipamentos e veículos;
    • armazenar feixes de fibras em galpão;
    • enlatar óleos;
    • roçar base de palmeiras de bacaba, piaçava, babaçu e ouricuri;
    • dispor cera de carnaúba e óleo de babaçu em tanques;
    • carregar andiroba, bacaba, buriti em paneiro;
    • talhar palmeiras de piaçava;
    • separar cera e borra de carnaúba;
    • arrendar área de extração;
    • capinar área de secagem;
    • gradear solo;
    • confeccionar pecúnia;
    • plantar frutos de pequi e coco-da-praia e piaçava;
    • arar solo;
    • lascar coco-da-praia;


    Setores que mais contratam Apanhador de babaçu no mercado de trabalho

    • Fabricação de papel
    • Instalação de máquinas e equipamentos industriais
    • Manutenção e reparação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras, exceto para veículos
    • Montagem de estruturas metálicas
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Obras de montagem industrial
    • Fabricação de conservas de palmito
    • Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para uso geral não especificados anteriormente
    • Fabricação de laticínios
    • Serviços de engenharia




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Arte educador
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Arte educador