Salário para o cargo de Técnico de celulose e papel
CBO 3111-10 > Técnicos químicos

Técnico de celulose e papel - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Executam ensaios físico-químicos, participam do desenvolvimento de produtos e processos, da definição ou reestruturação das instalações industriais, supervisionam operação de processos químicos e operações unitárias de laboratório e de produção, operam máquinas e/ou equipamentos e instalações produtivas, em conformidade com normas de qualidade, de boas práticas de manufatura, de biossegurança e controle do meio-ambiente. Interpretam manuais, elaboram documentação técnica rotineira e de registros legais. Podem ministrar programas de ações educativas e prestar assistência técnica. Todas as atividades são desenvolvidas conforme os limites de responsabilidade técnica, previstos em lei.

Quanto ganha um Técnico de celulose e papel

Um Técnico de celulose e papel trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.212,41 e R$ 7.590,30, com a média salarial de R$ 2.716,84 e o salário mediana em R$ 1.781,66 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Técnico de celulose e papel

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.716,84 32.602,03 679,21 13,63
1º Quartil 1.212,41 14.548,93 303,10 6,08
Salário Mediana 1.781,66 21.379,92 445,42 8,94
3º Quartil 5.788,69 69.464,28 1.447,17 29,05
Teto Salarial 7.590,30 91.083,65 1.897,58 38,09


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos de nível médio das ciências físicas, químicas, engenharia
      • Técnico em ciências físicas e químicas
        • Técnicos químicos

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Ortigueira - PR 1.715 - 6.569 2.931,36 1.715,00 1.781,66 5.423,40 6.568,98
Telemaco Borba - PR 1.712 - 4.532 2.229,46 1.712,06 1.774,80 3.741,91 4.532,32
Rio de Janeiro - RJ 1.113 - 2.646 1.378,15 1.113,44 1.113,44 2.184,90 2.646,42
Arapoti - PR 1.877 - 5.125 2.988,08 1.876,84 2.789,26 4.231,12 5.124,86
Piracicaba - SP 1.337 - 2.596 1.538,82 1.337,20 1.337,20 2.143,68 2.596,49
São Paulo - SP 1.154 - 11.706 3.517,30 1.153,73 2.188,11 9.664,86 11.706,37
Guaíba - RS 2.345 - 15.229 5.869,82 2.345,05 4.406,12 12.572,78 15.228,53
Porto Alegre - RS 1.200 - 3.411 1.601,74 1.200,32 1.200,32 2.816,00 3.410,82
Eunápolis - BA 2.734 - 11.958 5.281,21 2.734,00 4.063,07 9.872,27 11.957,59
Três Lagoas - MS 2.500 - 14.019 7.123,54 2.500,00 8.398,00 11.574,26 14.019,08
Vitoria - ES 1.313 - 1.622 1.333,66 1.313,17 1.339,52 1.339,52 1.622,47
Palma Sola - SC 1.180 - 1.564 1.252,56 1.180,00 1.260,00 1.291,00 1.563,70
Salvador - BA 1.057 - 1.346 1.083,88 1.056,50 1.084,00 1.111,00 1.345,68
Belo Horizonte - MG 1.101 - 4.210 1.614,69 1.101,00 1.425,29 3.475,52 4.209,65
Maceió - AL 1.153 - 1.929 1.444,30 1.152,80 1.571,90 1.592,80 1.929,25


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Paraná 1.707 - 5.990 2.657,99 1.706,64 1.781,66 4.945,16 5.989,73
São Paulo 1.204 - 8.025 2.807,16 1.203,96 1.370,90 6.625,24 8.024,69
Rio Grande do Sul 1.198 - 10.537 3.635,44 1.197,97 2.007,57 8.699,50 10.537,10
Bahia 1.075 - 9.703 3.522,20 1.074,83 2.734,00 8.011,08 9.703,26
Rio de Janeiro 1.113 - 2.646 1.378,15 1.113,44 1.113,44 2.184,90 2.646,42
Santa Catarina 1.207 - 5.548 2.036,11 1.206,67 1.291,00 4.580,84 5.548,45
Minas Gerais 1.064 - 3.504 1.719,95 1.063,67 1.425,29 2.892,81 3.503,85
Espírito Santo 1.322 - 2.627 1.542,52 1.321,95 1.339,52 2.169,10 2.627,28
Mato Grosso do Sul 2.500 - 14.019 7.123,54 2.500,00 8.398,00 11.574,26 14.019,08
Alagoas 1.153 - 2.953 1.586,23 1.152,80 1.592,80 2.437,80 2.952,74


Principais locais de trabalho

Técnicos químicos os técnicos químicos são empregados assalariados, com carteira assinada, que trabalham em indústrias químicas, petroquímicas, de açúcar e álcool, fármacos, alimentos, bebidas, papel e celulose, fertilizantes, tintas e vernizes, cosméticos e perfumes, materiais de construção, plásticos, refratários e cerâmicos. O trabalho é realizado em equipe e recebem supervisão ocasional. Algumas das atividades exercidas por estes profissionais, podem estar sujeitas a ruídos, poeira, gases, vapores e material tóxico.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos químicos

Para o exercício desse cargo requer-se formação técnica profissionalizante de nível médio em habilitações como técnico em química, técnico em celulose e papel, técnico químico em curtimento e couro e outros cursos afins, com núcleo formativo em química e registro profissional no conselho competente. A formação generalista é mesclada com um enfoque especialista no qual o técnico se especializa no processo em que atua. Requer-se raciocínio sintético e analítico com competência para intervenções rápidas e apropriadas para o seu dia-a-dia no trabalho, principalmente em situações de risco. A atuação como técnico titular demanda, pelo menos, um ano de experiência na área.


Funções e atividades do Técnico de celulose e papel

Técnicos químicos devem:

  • prestar assistência técnica;
  • executar ensaios físico-químicos;
  • supervisionar processo de produção;
  • realizar ações educativas;
  • elaborar documentação técnica;
  • operar máquinas e ou equipamentos;
  • desenvolver produtos;
  • participar de programas de qualidade;
  • realizar atividades de legalização junto aos Órgãos oficiais;
  • demonstrar competências pessoais;
  • participar na definição ou reestruturação das instalações industriais;

  • Atividades

    • utilizar normas técnicas;
    • identificar problemas técnicos;
    • demonstrar criatividade;
    • comunicar-se;
    • elaborar cronograma de produção;
    • demonstrar atenção e concentração;
    • efetuar controles no processo produtivo;
    • emitir ordem de serviço;
    • elaborar leiaute;
    • monitorar funcionamento de máquinas e equipamentos;
    • emitir laudos técnicos;
    • redigir procedimentos;
    • manter bom relacionamento interpessoal;
    • pesquisar novas tecnologias;
    • analisar indicadores de qualidade;
    • coletar amostras;
    • identificar necessidades do cliente;
    • demonstrar comprometimento com o trabalho;
    • definir matérias-primas e insumos;
    • especificar máquinas e equipamentos;
    • solicitar manutenção de máquinas e equipamentos;
    • realizar visitas técnicas;
    • implementar ações corretivas e preventivas;
    • seguir procedimentos da qualidade;
    • testar insumos e matérias-primas;
    • participar na definição da viabilidade de produção do produto;
    • definir processo de produção;
    • atuar com liderança;
    • ministrar treinamento;
    • elaborar mapas de consumo de produtos controlados;
    • garantir cumprimento de normas de segurança;
    • acompanhar montagem e instalação de equipamentos;
    • preparar material para treinamento;
    • demonstrar iniciativa;
    • realizar avaliação de desempenho;
    • organizar fluxo de produção;
    • requerer licença de funcionamento;
    • elaborar programas de treinamento;
    • interpretar manuais de máquinas e equipamentos;
    • participar de auditorias de qualidade;
    • elaborar receitas para fabricação de produtos;
    • coordenar equipes de trabalho;
    • monitorar parâmetros de poluição ambiental;
    • manter máquinas e equipamentos em condições de uso;
    • propor alternativas para solução de problemas;
    • adequar produtos à necessidade do cliente;
    • especificar aplicações do produto;
    • propor melhorias no processo de fabricação e produto;
    • registrar resultados de análises;
    • dar provas de auto-organização;
    • testar produto acabado;
    • agir com dinamismo;
    • levantar necessidades de treinamento;
    • abastecer máquinas e equipamentos;
    • adaptar processo de produção ao produto;
    • preparar reagentes;
    • preparar amostras;
    • resolver problemas técnicos;
    • definir equipes de trabalho;
    • utilizar ferramentas da qualidade;
    • redigir relatórios de análises;
    • redigir relatório técnico para legalização de produtos;
    • definir fluxo de produção;
    • requerer registro do produto;
    • agir com perspicácia;
    • utilizar instrumentos de medição e controle;
    • regular máquinas e equipamentos;
    • testar máquinas e equipamentos;
    • definir material para embalagem do produto;
    • empregar legislação vigente;


    Setores que mais contratam Técnico de celulose e papel no mercado de trabalho

    • Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel
    • Fabricação de papel
    • Educação infantil - creche
    • Educação infantil - pré-escola
    • Ensino fundamental
    • Comércio varejista de livros
    • Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, prensada e aglomerada
    • Fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros
    • Obras de terraplenagem
    • Fabricação de produtos químicos orgânicos não especificados anteriormente




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Supervisor de trens
    Supervisores dos serviços de transporte, turismo, hotelaria e administração de edifícios

    Supervisor de trens