Salário para o cargo de Operador de escória e sucata
CBO 8214-30 > Operadores de equipamentos de acabamento de chapas e metais

Operador de escória e sucata - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Preparam acabamento de materiais metálicos, realizam tratamento térmico em chapas e metais e controlam a qualidade dos produtos. Identificam e bobinam produtos metálicos e controlam o fluxo e o processo de acabamento. Laminam tarugos e tiras de aço e preparam sucata e escória. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos e de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Quanto ganha um Operador de escória e sucata

Um Operador de escória e sucata trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.121,70 e R$ 2.799,68, com a média salarial de R$ 1.493,79 e o salário mediana em R$ 1.345,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de escória e sucata

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.493,79 17.925,45 373,45 6,90
1º Quartil 1.121,70 13.460,36 280,42 5,18
Salário Mediana 1.345,00 16.140,00 336,25 6,21
3º Quartil 2.135,15 25.621,85 533,79 9,86
Teto Salarial 2.799,68 33.596,14 699,92 12,93


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores de instalações siderúrgicas e de materiais de construção
      • Operadores de instalações e equipamentos de produção de metais e ligas- primeira fusão
        • Operadores de equipamentos de acabamento de chapas e metais

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Serra - ES 1.284 - 1.803 1.334,35 1.283,89 1.283,97 1.488,38 1.802,77
São Simão - SP 1.350 - 1.801 1.403,17 1.350,00 1.395,00 1.486,69 1.800,73
Paranapanema - SP 1.153 - 1.549 1.204,44 1.152,80 1.152,80 1.278,46 1.548,51
Aracruz - ES 2.188 - 2.751 2.252,12 2.188,01 2.271,35 2.271,35 2.751,13
Maringá - PR 1.080 - 1.650 1.164,00 1.079,60 1.130,00 1.362,60 1.650,42
Guarulhos - SP 1.537 - 3.717 2.032,83 1.536,52 1.768,80 3.068,77 3.716,99
Salvador - BA 1.080 - 1.431 1.107,74 1.080,00 1.100,00 1.181,76 1.431,38
São Paulo - SP 1.364 - 2.559 1.673,71 1.363,70 1.595,97 2.112,56 2.558,80
Santos Dumont - MG 1.059 - 1.785 1.181,97 1.059,17 1.100,00 1.474,00 1.785,35
Mogi-Mirim - SP 1.489 - 1.804 1.489,13 1.489,13 1.489,13 1.489,13 1.803,68
São José dos Campos - SP 1.422 - 1.760 1.445,33 1.422,33 1.453,00 1.453,00 1.759,92
Divinópolis - MG 1.178 - 1.834 1.299,41 1.177,77 1.235,63 1.514,44 1.834,33
Louveira - SP 1.400 - 1.764 1.445,82 1.400,00 1.456,00 1.456,00 1.763,55
Matozinhos - MG 1.236 - 1.636 1.302,36 1.236,46 1.300,00 1.351,00 1.636,37
Betim - MG 1.348 - 1.680 1.374,03 1.347,79 1.387,15 1.387,15 1.680,16
Itajuba - MG 1.045 - 1.332 1.057,22 1.045,00 1.045,00 1.100,00 1.332,35
Porto Alegre - RS 2.637 - 3.740 2.862,50 2.637,00 2.862,50 3.088,00 3.740,28
Ferraz de Vasconcelos - SP 1.713 - 2.358 1.752,91 1.713,10 1.713,10 1.946,70 2.357,90
Nova Friburgo - RJ 1.239 - 1.575 1.281,65 1.238,60 1.283,73 1.300,06 1.574,67
Manaus - AM 1.178 - 1.618 1.263,93 1.177,55 1.267,51 1.336,00 1.618,20


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.258 - 2.661 1.611,63 1.257,58 1.456,00 2.196,75 2.660,77
Espírito Santo 1.282 - 2.756 1.571,41 1.282,40 1.283,97 2.275,78 2.756,49
Minas Gerais 1.054 - 1.769 1.234,06 1.053,95 1.210,92 1.460,75 1.769,31
Paraná 1.074 - 1.603 1.159,04 1.073,83 1.130,00 1.323,83 1.603,47
Bahia 1.052 - 1.412 1.096,83 1.052,00 1.080,00 1.165,41 1.411,57
Rio Grande do Sul 1.172 - 3.740 2.034,89 1.171,67 1.669,86 3.088,00 3.740,28
Rio de Janeiro 1.195 - 1.568 1.251,66 1.194,87 1.246,00 1.294,62 1.568,08
Amazonas 1.178 - 1.618 1.263,93 1.177,55 1.267,51 1.336,00 1.618,20


Principais locais de trabalho

Operadores de equipamentos de acabamento de chapas e metais profissionais nessa família CBO, exercem o cargo na fabricação de produtos de metal e metalurgia básica como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão ocasional, em ambientes fechados ou a céu aberto e no sistema de rodízio de turnos (diurno/noturno). No exercício de algumas atividades podem permanecer expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso e altas temperaturas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de equipamentos de acabamento de chapas e metais

Para o exercício desse cargo requer-se ensino médio concluído e curso técnico na área de atuação oferecido por instituições de formação profissional ou escolas técnicas. O pleno desempenho das atividades ocorre entre um e dois anos de experiência profissional. A exceção fica por conta do preparador de sucatas para o qual requer-se a quarta série do ensino fundamental e prática profissional no posto de trabalho. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de escória e sucata

Operadores de equipamentos de acabamento de chapas e metais devem:

  • identificar produtos metálicos;
  • controlar fluxo e processo de acabamento;
  • bobinar produtos metálicos;
  • laminar tarugos e tiras de aço;
  • realizar tratamento térmico de chapas e metais;
  • controlar qualidade dos produtos;
  • trabalhar de acordo com métodos seguros e normas e segurança;
  • demonstrar competências pessoais;
  • preparar sucata e escória;
  • preparar acabamento de materiais metálicos;

  • Atividades

    • pesar sucata e escória;
    • ajustar velocidade do laminador;
    • saber ouvir;
    • manusear equipamentos de combate a incêndio;
    • eliminar oxigenação interna do forno;
    • cortar chapas e metais;
    • sugerir melhorias em reuniões da cipa;
    • marcar produtos com equipamento automático;
    • limpar peças;
    • acondicionar produtos;
    • separar material, por granulometria;
    • inspecionar materiais metálicos;
    • ajustar equipamento de controle automático para bobinamento;
    • programar forno de tratamento térmico;
    • divulgar acidentes ocorridos;
    • abastecer equipamentos de limpeza;
    • colar etiquetas conforme especificação;
    • dar provas de assiduidade e pontualidade;
    • identificar defeitos nos produtos;
    • adequar programação da produção;
    • registrar dados e irregularidades do processo produtivo;
    • evidenciar multifuncionalidade;
    • abastecer forno de tratamento térmico;
    • evidenciar espírito de liderança;
    • programar dados para marcação automática;
    • cortar canais de enchimento e alimentação de peças fundidas;
    • preparar o equipamento de corte;
    • comparar dados recebidos com dados a serem identificados;
    • identificar o material;
    • usar equipamentos de proteção;
    • monitorar a centralização de tiras no equipamento de recozimento contínuo;
    • controlar desgastes dos cilindros;
    • conferir especificações e dimensões para corte de peças;
    • controlar alongamento de tiras e tarugos;
    • programar dados para processo de laminação;
    • garantir a qualidade superficial e dimensional do produto final;
    • identificar área de estocagem;
    • prensar sucatas e aparas;
    • simular o processo de laminação;
    • cumprir normas de preservação ambiental;
    • ajustar tensão de bobinamento;
    • controlar programação dos processos de acabamento;
    • demonstrar atenção;
    • controlar a temperatura do forno e de materiais metálicos;
    • aperfeiçoar-se profissionalmente;
    • movimentar, manualmente, materiais e resíduos industriais;
    • rebarbar metais;
    • limpar área de identificação no produto;
    • lavar escória e sucata;
    • acionar equipamentos de transporte de materiais e resíduos industriais;
    • proteger local identificado;
    • coletar resíduos industriais;
    • compactar bobinas de fio-máquina;
    • trabalhar em equipe;
    • escarfar blocos, placas e tarugos;
    • saber comunicar-se;
    • manter o local de trabalho limpo e organizado;
    • abastecer laminador com tarugos;
    • quebrar escória e sucata;
    • controlar fluxo de água no laminador;
    • confeccionar gabaritos identificadores;
    • relatar atos, condições inseguras e acidentes;
    • consignar máquinas e equipamentos;
    • acionar desempenadeira de chapas e bobinas;
    • operar peneiras, correias transportadoras e eletroímãs;
    • respeitar áreas de risco;
    • comparar produtos com padrão de qualidade;
    • ajustar diâmetros internos e externos da bobina;
    • aquecer aços e metais em geral;
    • acionar laminador;
    • retirar amostras para análises laboratoriais;
    • recircular os finos do processo de quebra;
    • pintar logomarcas e números de série no produto;
    • manifestar iniciativa;
    • valorizar oportunidades oferecidas pela empresa;
    • identificar as duas pontas do fio-máquina bobinado;
    • demonstrar criatividade;
    • posicionar bobinas para embalagem;
    • trabalhar com ética profissional;
    • resfriar aços e metais em geral;


    Setores que mais contratam Operador de escória e sucata no mercado de trabalho

    • Comércio atacadista de resíduos e sucatas metálicos
    • Construção de rodovias e ferrovias
    • Comércio atacadista de resíduos de papel e papelão
    • Recuperação de materiais metálicos, exceto alumínio
    • Instalação e manutenção elétrica
    • Recuperação de materiais não especificados anteriormente
    • Fabricação de artigos de metal para uso doméstico e pessoal
    • Recuperação de materiais plásticos
    • Produção de ferro-gusa
    • Carga e descarga




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Orientador sócio educativo
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Orientador sócio educativo