Salário para o cargo de Chargista
Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais > CBO 2624-05

Chargista - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Concebem e desenvolvem obras de arte e projetos de design, elaboram e executam projetos de restauração e conservação preventiva de bens culturais móveis e integrados. Para tanto realizam pesquisas, elaboram propostas e divulgam suas obras de arte, produtos e serviços.

Quanto ganha um Chargista

Um Chargista trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.177,62 e R$ 7.757,83, com a média salarial de R$ 2.706,82 e o salário mediana em R$ 1.800,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chargista

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.706,82 32.481,87 676,71 12,94
1º Quartil 1.177,62 14.131,42 294,40 5,63
Salário Mediana 1.800,00 21.600,00 450,00 8,60
3º Quartil 5.916,45 70.997,40 1.479,11 28,28
Teto Salarial 7.757,83 93.093,92 1.939,46 37,08


Categorias profissionais do cargo

  • Profissionais das ciências e das artes
    • Comunicadores, artistas e religiosos
      • Profissionais de espetáculos e das artes
        • Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.436 - 10.882 4.006,38 1.435,62 2.652,44 8.984,53 10.882,33
Rio de Janeiro - RJ 1.353 - 7.705 3.377,75 1.352,78 3.028,16 6.361,68 7.705,45
Recife - PE 1.199 - 4.085 2.184,66 1.199,06 2.000,00 3.372,62 4.085,01
Fortaleza - CE 1.123 - 4.384 2.034,63 1.122,99 1.534,07 3.619,06 4.383,52
Porto Alegre - RS 1.582 - 9.380 4.335,54 1.582,39 3.528,00 7.743,93 9.379,68
Londrina - PR 1.578 - 3.468 2.228,61 1.577,89 2.280,65 2.863,14 3.467,92
Brasília - DF 1.054 - 5.249 2.191,18 1.054,27 1.550,00 4.333,71 5.249,12
Belo Horizonte - MG 1.283 - 4.376 2.451,01 1.282,57 2.509,25 3.612,79 4.375,92
Florianópolis - SC 1.447 - 7.391 3.793,37 1.447,16 4.000,00 6.101,79 7.390,67
Curitiba - PR 1.550 - 8.373 3.139,07 1.550,00 2.200,00 6.913,00 8.373,23
Osasco - SP 1.944 - 3.926 2.380,26 1.943,80 2.000,00 3.241,22 3.925,86
Campinas - SP 1.337 - 4.448 2.256,50 1.336,83 1.898,55 3.672,23 4.447,91
Maringá - PR 1.198 - 2.754 1.645,84 1.197,50 1.466,78 2.273,52 2.753,75
Sorocaba - SP 1.302 - 3.872 2.005,32 1.301,93 1.712,42 3.196,53 3.871,74
Goiânia - GO 1.056 - 2.544 1.415,53 1.055,81 1.225,00 2.100,00 2.543,58
Campos dos Goytacazes - RJ 1.441 - 2.580 1.696,34 1.440,73 1.672,72 2.130,07 2.580,01
Blumenau - SC 1.233 - 3.097 1.820,99 1.233,47 1.600,00 2.556,50 3.096,51
Ribeirão Preto - SP 1.348 - 1.955 1.509,36 1.347,67 1.559,00 1.614,03 1.954,96
Contagem - MG 1.117 - 2.370 1.378,46 1.117,01 1.250,00 1.956,30 2.369,53
Manaus - AM 1.176 - 8.981 3.626,86 1.175,57 2.100,00 7.414,85 8.981,08


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.320 - 8.190 3.079,82 1.319,71 2.000,00 6.762,02 8.190,36
Rio de Janeiro 1.187 - 6.292 2.695,13 1.187,16 2.157,58 5.194,80 6.292,09
Paraná 1.254 - 3.997 2.018,11 1.254,48 1.770,90 3.300,23 3.997,33
Minas Gerais 1.071 - 3.801 1.753,61 1.070,65 1.250,00 3.138,29 3.801,19
Santa Catarina 1.283 - 5.298 2.271,08 1.283,04 1.700,00 4.374,28 5.298,26
Rio Grande do Sul 1.380 - 8.530 3.366,51 1.379,89 2.080,55 7.042,72 8.530,36
Pernambuco 1.212 - 4.010 2.153,06 1.211,88 2.000,00 3.310,51 4.009,79
Ceará 1.141 - 26.760 6.646,59 1.141,17 1.400,00 22.093,03 26.759,74
Distrito Federal 1.054 - 5.249 2.191,18 1.054,27 1.550,00 4.333,71 5.249,12
Bahia 1.061 - 3.904 1.753,79 1.060,71 1.300,00 3.223,34 3.904,20
Espírito Santo 1.142 - 2.775 1.619,34 1.142,10 1.500,00 2.290,90 2.774,80
Goiás 1.062 - 2.376 1.414,88 1.062,49 1.225,00 1.961,62 2.375,97
Mato Grosso 1.115 - 2.039 1.366,75 1.115,00 1.350,00 1.683,33 2.038,90
Amazonas 1.176 - 8.981 3.626,86 1.175,57 2.100,00 7.414,85 8.981,08
Rio Grande do Norte 1.045 - 3.393 1.485,83 1.045,00 1.045,00 2.801,67 3.393,46
Mato Grosso do Sul 1.073 - 3.972 1.767,96 1.072,69 1.355,84 3.279,26 3.971,93
Sergipe 1.093 - 2.555 1.513,26 1.093,00 1.500,00 2.109,22 2.554,75
Maranhão 1.077 - 3.740 1.637,28 1.077,43 1.129,28 3.087,50 3.739,67
Pará 1.155 - 3.133 1.545,82 1.155,00 1.289,41 2.586,95 3.133,39
Alagoas 1.045 - 1.871 1.186,65 1.045,00 1.082,50 1.544,89 1.871,22
Rondônia 1.045 - 1.865 1.254,00 1.045,00 1.200,00 1.540,00 1.865,29
Piauí 1.045 - 2.422 1.306,49 1.045,00 1.117,84 2.000,00 2.422,46


Principais locais de trabalho

Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais os artistas visuais e os desenhistas industriais de produto, gráficos e de produto de moda têm em comum o processo de criação e a utilização de conjuntos de técnicas específicas às respectivas áreas de atuação. Diferem, basicamente, quanto à finalidade do trabalho: enquanto os artistas visuais criam e produzem peças únicas ou com tiragem limitada, em resposta a uma encomenda ou não, os desenhistas industriais respondem sempre a uma encomenda e estão voltados para a concepção de peças que serão produzidas em série. Já os conservadores-restauradores utilizam um conjunto de técnicas específicas para restauração de bens culturais. A forma de trabalhar também apresenta semelhanças e diferenças, a saber: os desenhistas industriais de produto, gráficos e de produto de moda e os conservadores-restauradores trabalham com supervisão ocasional enquanto os artistas visuais trabalham sem supervisão e em horários irregulares. Em todas as ocupações predominam os autônomos. Os artistas visuais trabalham de forma individual enquanto os desenhistas industriais em equipe multidisciplinar e os conservadores- restauradores podem trabalhar tanto individualmente como em equipe. No exercício de algumas atividades, os artistas visuais e os conservadores-restauradores podem trabalhar em posições desconfortáveis. Todas as ocupações estão sujeitas à exposição a materiais tóxicos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais

A formação requerida para os desenhistas industriais de produto, gráficos e de produto de moda, também conhecidos como designers, é o curso superior de Tecnologia na área ou bacharelado. No caso dos artistas visuais e dos conservadores-restauradores, a escolaridade não é requisito imprescindível. Há também profissionais de notório saber. Registra-se tendência de profissionalização na área das artes, sendo desejável qualificação formal ou informal. O desempenho pleno das atividades, para os artistas visuais, conservadores-restauradores, desenhistas industriais de produto e desenhistas industriais gráficos, ocorre com cinco anos de experiência profissional, enquanto que para os desenhistas industriais de produto de moda ocorre entre três e quatro anos.


Funções e atividades do Chargista

Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais devem:

  • conceber obra artística ou projeto de design;
  • comunicar-se;
  • divulgar projeto de design, obra artística e trabalhos de conservação-restauração;
  • executar obras de arte e projeto de design;
  • efetuar conservação-restauração do patrimônio cultural;
  • realizar pesquisas;
  • elaborar proposta de trabalho artístico, projeto de design e conservação-restauração de bem cultural;
  • desenvolver projeto de design, obra de arte e conservação-restauração;
  • demonstrar competências pessoais;
  • executar conservação preventiva;

  • Atividades

    • elaborar relatórios(dossiês);
    • aferir padrão de qualidade do produto, da obra e da intervenção;
    • analisar estado de conservação do bem cultural;
    • desenvolver obra em performance e instalação;
    • aplicar técnicas específicas pertinentes ao projeto;
    • participar da elaboração de políticas de conservação;
    • analisar histórico e estilo do bem cultural;
    • definir tecnologias e materiais;
    • identificar público alvo;
    • definir memorial descritivo;
    • definir fatores ambientais, espaciais, culturais, sociais e econômicos;
    • colocar obras em coleções públicas e privadas;
    • participar de feiras;
    • veicular produto ou obra na mídia eletrônica, impressa, televisiva;
    • conferir visibilidade a um impulso emocional e racional;
    • demonstrar capacidade de imaginação espacial;
    • interagir com outras linguagens (ilustração, multimídia, etc...);
    • definir processos de produção;
    • elaborar diagnósticos;
    • definir metodologias e critérios;
    • identificar viabilidade do projeto;
    • aplicar técnica de intervenção;
    • apresentar trabalhos em congressos, seminários;
    • participar de bancas e júris de exposições, concursos, etc...;
    • aplicar técnicas de cerâmica;
    • aplicar técnicas de pintura;
    • analisar material e técnicas;
    • demonstrar afinidade com novas tecnologias;
    • participar de concursos;
    • formatar pedido do cliente;
    • registrar patente ou direito autoral;
    • identificar necessidades de outros especialistas envolvidos no processo;
    • especificar medidas de proteção de bem cultural durante intervenções no ambiente;
    • demonstrar habilidade manual;
    • configurar ideias em diferentes suportes;
    • definir perfil do público alvo;
    • identificar fatores de degradação;
    • contatar clientes;
    • demonstrar capacidade de percepção;
    • elaborar plasticamente imagem surgida na elaboração da obra;
    • emitir parecer técnico;
    • demonstrar capacidade de síntese;
    • prestar consultoria;
    • estabelecer contatos com galerias;
    • experimentar materiais;
    • cumprir normas e procedimentos de segurança;
    • aplicar técnicas de gravura;
    • apresentar proposta;
    • realizar pesquisa de campo;
    • aplicar técnicas de escultura;
    • realizar pesquisas de mercado;
    • participar de ações de educação patrimonial;
    • estabelecer condições contratuais;
    • definir técnicas de acabamento;
    • solicitar parecer de outros profissionais;
    • recomendar medidas de preservação pós intervenção;
    • pesquisar temáticas;
    • desenvolver soluções técnicas e tecnológicas para projeto de design, obra de arte e conservação-restauração;
    • expor em exposições, salões e espaços públicos;
    • identificar necessidades do público alvo;
    • aplicar técnicas de tapeçaria;
    • monitorar condições ambientais;
    • registrar etapas do processo criativo;
    • promover eventos;
    • experimentar ideias;
    • ministrar palestras, cursos e oficinas;
    • comercializar produto, obra e serviços de conservação-restauração;
    • propor soluções técnicas e tecnológicas para projeto de design, obra de arte e conservação-restauração;
    • elaborar orçamentos e cronograma;
    • aplicar técnicas de desenho;
    • capacitar equipes;
    • participar do processo de gerenciamento de risco;
    • definir padrão de qualidade do produto, da obra e da intervenção;
    • pesquisar literatura específica da área;
    • elaborar livros, artigos, etc;
    • buscar imagens adequadas à encomenda;
    • pesquisar padrões de reprodutibilidade;
    • trabalhar em equipe;
    • avaliar ideias ou conceitos propostos;
    • identificar problema;
    • interagir com instituições e profissionais da área;
    • coordenar equipes;
    • documentar dados do bem cultural;
    • controlar condições de transporte, embalagem, armazenagem e acondicionamento;
    • desenvolver embalagem para movimentação, manuseio e transporte de obra de arte , bem cultural e produto;
    • definir suportes e materiais a serem utilizados;
    • compor equipes;
    • participar de comissões de seleção de artistas, obras e produtos;
    • demonstrar capacidade de atenção;
    • submeter projetos aos órgãos oficiais;
    • executar modelo, protótipo ou peça piloto;
    • identificar bem cultural;
    • estabelecer contatos com instituições vinculadas à área;
    • determinar ideia ou conceito a ser adotado;
    • estabelecer contatos com intermediários de arte;
    • emitir laudo técnico de conservação;
    • selecionar técnicas e materiais para intervenção;
    • definir parâmetros de controle ambiental;
    • demonstrar acuidade visual;
    • demonstrar criatividade;
    • pesquisar história da arte, da técnica e dos materiais;
    • aplicar técnicas de modelagem bi e tridimensional;
    • desenvolver soluções de acondicionamento e armazenagem de bem cultural;
    • aplicar técnicas digitais;
    • orientar profissionais sobre uso correto de equipamentos de segurança;
    • elaborar material promocional;
    • frequentar exposições e mostras;
    • demonstrar habilidade motora fina;
    • perceber imagem que está emergindo na elaboração da obra;
    • avaliar pedido do cliente;
    • realizar testes e ensaios nos materiais e produtos;

    Setores que mais contratam Chargista no mercado de trabalho

    • Agências de publicidade
    • Desenvolvimento de programas de computador e software em geral
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Impressão de material para uso publicitário
    • Atividades de produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão
    • Marketing direto
    • Comércio varejista de outros produtos não especificados anteriormente
    • Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida
    • Fabricação de produtos diversos não especificados anteriormente
    • Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não-customizáveis




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Esteticista
    Tecnólogos e técnicos em terapias complementares e estéticas

    Esteticista