Salário para o cargo de Chapeleiro (chapéus de palha)
CBO 7681-25 > Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas

Chapeleiro (chapéus de palha) - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Confeccionam fios, estirando, torcendo e fiando algodões, operam urdideira, entrelaçando e esticando fios. Operam tear manual, unindo, fixando e penteando fios, tecem tecidos, operando pedais e lançadeiras. Confeccionam peças de tricô, crochê, chapéus e redes, definindo tipos, selecionando modelos, confeccionando moldes e amostras e montando pontos na agulha. Preparam palhas, extraindo, selecionando e secando folhas. Comercializam produtos de tecelagem manual.

Quanto ganha um Chapeleiro (chapéus de palha)

Um Chapeleiro (chapéus de palha) trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.045,00 e R$ 1.590,76, com a média salarial de R$ 1.099,18 e o salário mediana em R$ 1.045,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chapeleiro (chapéus de palha)

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.099,18 13.190,16 274,80 5,23
1º Quartil 1.045,00 12.540,00 261,25 4,97
Salário Mediana 1.045,00 12.540,00 261,25 4,97
3º Quartil 1.213,18 14.558,21 303,30 5,77
Teto Salarial 1.590,76 19.089,16 397,69 7,57


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestúario e das artes gráficas
      • Trabalhadores artesanais das atividades têxteis, do vestuário e das artes gráficas
        • Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Baependi - MG 1.045 - 1.307 1.053,20 1.045,00 1.045,00 1.079,17 1.307,12


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Minas Gerais 1.045 - 1.307 1.053,20 1.045,00 1.045,00 1.079,17 1.307,12
Goiás 1.045 - 1.344 1.065,66 1.045,00 1.045,00 1.110,00 1.344,47
São Paulo 1.200 - 1.754 1.346,66 1.200,00 1.355,21 1.448,00 1.753,86


Principais locais de trabalho

Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas os trabalhadores dessa família ocupacional atuam em setores ligados à fabricação de produtos têxteis e preparação de couros, fabricação de artefatos de couro, artigos de viagem e calçados. São profissionais autônomos ou empregados. Podem trabalhar individualmente ou em pequenos grupos, com total autonomia. Têm como local de trabalho ambientes fechados e horários irregulares. Freqüentemente trabalham em posições desconfortáveis, por períodos longos, expostos a materiais tóxicos, ruídos e pêlos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas

A escolaridade desejável para acessar as ocupações de chapeleiro, redeiro, tecelão e tricoteiro é a formação mínima do ensino fundamental. Os crocheteiros e tecelões de tapetes têm, em geral, o ensino médio incompleto. Esses trabalhadores necessitam de cursos básicos de qualificação profissional com até duzentas horas-aula que podem ser ministrados em escolas especializadas ou por pessoas mais experientes, no próprio local de trabalho. A experiência profissional pode variar entre menos de um ano até quatro anos de atuação, dependendo da ocupação. São, majoritariamente, profissionais que se organizam de forma individual no trabalho com total autonomia de suas funções. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Chapeleiro (chapéus de palha)

Trabalhadores de tecelagem manual, tricô, crochê, rendas devem:

  • confeccionar chapéus;
  • confeccionar fios;
  • preparar palhas;
  • confeccionar redes;
  • operar a urdideira (gaiola);
  • operar tear;
  • comercializar produtos da tecelagem manual;
  • confeccionar peças de crochê;
  • confeccionar peças de tricô;
  • tecer tecidos;
  • demonstrar competências pessoais;

  • Atividades

    • entrelaçar a linha na agulha conforme tipos de pontos;
    • definir tipos de crochê (tunisiano, indiano, crochê do pau, crochê do grampo, crochê de argola, etc);
    • confeccionar carel (cabresto);
    • providenciar entrega de peças;
    • confeccionar amostras;
    • selecionar modelos, linhas e agulhas;
    • selecionar materiais (fios, agulhas, linhas, navete, palheta);
    • transportar carretéis para tear;
    • pintar abas;
    • definir quantidade de pontos de acordo com a peça;
    • tecer mamucabas;
    • operar pedais;
    • encher carretéis;
    • embalar peças;
    • emendar fios de acordo com combinação das cores;
    • trançar linhas;
    • fixar fios com nós;
    • confeccionar franjas e varandas;
    • enrolar fios em novelos;
    • confeccionar cordões;
    • laçar linhas;
    • costurar tranças de acordo com a forma;
    • empunhar redes;
    • confeccionar o molde da peça;
    • trocar as linhas de acordo com modelos;
    • pentear fios;
    • virar fios;
    • tingir fios;
    • entrelaçar fios;
    • unir fios conforme cores;
    • torcer algodões;
    • extrair folhas de carnaubeiras, palhas de trigo, arroz ou centeio;
    • trançar palhas;
    • estirar algodões;
    • rematar pontos;
    • ajustar tranças na borda;
    • definir o início da confecção de peças;
    • demonstrar habilidade;
    • montar pontos na agulha;
    • organizar cobistris;
    • operar a lançadeira;
    • passar chapéus;
    • confeccionar bordas;
    • negociar preço com clientes;
    • demonstrar paciência;
    • mergulhar peças na goma;
    • esticar fios;
    • encher espolas;
    • moldar formas;
    • selecionar folhas;
    • persistir;
    • costurar redes;
    • divulgar produtos para comercialização;
    • definir tipo de tricô;
    • trocar espolas;
    • definir custos das peças;
    • secar folhas;
    • retirar bordas de fôrmas;
    • tratar palha no ácido sulfúrico;
    • rematar linhas;
    • fiar algodões;
    • criar criatividade;
    • cortar palhas de acordo com a trança;
    • operar a navete (palheta, lançadeira);


    Setores que mais contratam Chapeleiro (chapéus de palha) no mercado de trabalho

    • Fabricação de artefatos diversos de cortiça, bambu, palha, vime e outros materiais trançados, exceto móveis
    • Comércio varejista de móveis
    • Restaurantes e similares
    • Comércio varejista de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas
    • Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios
    • Fabricação de artefatos de material plástico para outros usos não especificados anteriormente
    • Serviços ambulantes de alimentação
    • Comércio atacadista de artigos do vestuário e acessórios, exceto profissionais e de segurança
    • Fabricação de artefatos diversos de madeira, exceto móveis
    • Comércio varejista de artigos de tapeçaria, cortinas e persianas




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Chefe de bilheteria
    Supervisores dos serviços de transporte, turismo, hotelaria e administração de edifícios

    Chefe de bilheteria