Salário para o cargo de Operador de vídeo
CBO 3744-05 > Técnicos em montagem, edição e finalização de mídia audiovisual

Operador de vídeo - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Estruturam narrativas de filmes e mídias audiovisuais, dirigem captação e finalização de imagens, operando mesa de corte (switcher) e instruindo posicionamento e/ou enquadramento da imagem, editam imagens e áudio e criam efeitos especiais, participam da definição do produto e assessoram o pós-produção determinando roteiro de dublagem, listando planos montados e indicando procedimentos para edição de som, supervisionam finalização, dublagem e conformação de copião de filmes.

Quanto ganha um Operador de vídeo

Um Operador de vídeo trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.271,87 e R$ 5.459,89, com a média salarial de R$ 2.337,96 e o salário mediana em R$ 1.959,65 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de vídeo

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.337,96 28.055,53 584,49 11,62
1º Quartil 1.271,87 15.262,39 317,97 6,32
Salário Mediana 1.959,65 23.515,80 489,91 9,74
3º Quartil 4.163,95 49.967,37 1.040,99 20,70
Teto Salarial 5.459,89 65.518,71 1.364,97 27,14


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos em nivel médio dos serviços culturais, das comunicações e dos desportos
      • Técnicos em operação de aparelhos de sonorização, cenografia e projeção
        • Técnicos em montagem, edição e finalização de mídia audiovisual

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.440 - 6.799 3.064,26 1.439,97 2.500,00 5.613,44 6.799,17
Rio de Janeiro - RJ 1.634 - 7.657 3.370,54 1.633,61 2.762,83 6.321,81 7.657,17
Belo Horizonte - MG 1.427 - 4.711 2.565,45 1.426,62 2.345,19 3.889,79 4.711,43
Curitiba - PR 1.509 - 4.647 2.564,02 1.509,50 2.500,00 3.836,69 4.647,12
Brasília - DF 1.418 - 6.275 3.086,47 1.417,85 2.875,28 5.180,57 6.274,86
Porto Alegre - RS 1.306 - 3.494 1.938,85 1.305,99 1.876,35 2.884,63 3.493,95
Fortaleza - CE 1.195 - 3.289 1.768,11 1.194,97 1.623,67 2.715,68 3.289,32
Florianópolis - SC 1.467 - 5.789 2.818,30 1.466,61 2.593,50 4.779,84 5.789,49
Goiânia - GO 1.281 - 3.893 2.146,95 1.281,25 2.000,00 3.214,30 3.893,26
Salvador - BA 1.241 - 4.080 2.200,64 1.240,55 2.040,00 3.368,12 4.079,57
Campinas - SP 1.413 - 4.785 2.405,78 1.413,25 1.928,32 3.950,35 4.784,78
Ribeirão Preto - SP 1.356 - 4.559 2.329,07 1.355,77 1.970,57 3.763,56 4.558,53
Osasco - SP 1.540 - 5.261 3.149,00 1.539,95 3.351,93 4.343,21 5.260,63
São José do Rio Preto - SP 1.251 - 2.901 1.751,62 1.250,61 1.649,41 2.394,84 2.900,71
Recife - PE 1.216 - 3.418 1.845,09 1.215,63 1.535,83 2.822,17 3.418,30
Teresina - PI 1.491 - 4.349 2.324,40 1.491,13 2.259,83 3.590,34 4.348,73
Sorocaba - SP 1.427 - 2.384 1.666,14 1.427,45 1.600,00 1.968,33 2.384,10
Caxias do Sul - RS 1.326 - 2.860 1.853,75 1.326,00 1.900,00 2.361,43 2.860,23
Novo Hamburgo - RS 1.061 - 4.498 1.986,22 1.061,22 1.756,63 3.713,23 4.497,57
Cuiabá - MT 1.367 - 4.156 2.061,55 1.367,27 1.829,65 3.431,05 4.155,79


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.374 - 6.033 2.690,84 1.373,67 2.000,00 4.980,69 6.032,76
Rio Grande do Sul 1.275 - 3.220 1.878,09 1.274,52 1.813,10 2.658,76 3.220,37
Rio de Janeiro 1.420 - 6.963 3.016,23 1.420,28 2.323,00 5.748,71 6.963,01
Paraná 1.398 - 3.903 2.156,55 1.398,22 2.000,00 3.222,19 3.902,81
Minas Gerais 1.114 - 4.222 2.108,49 1.113,80 2.000,00 3.485,31 4.221,51
Santa Catarina 1.276 - 4.229 2.124,28 1.276,43 1.841,40 3.491,31 4.228,77
Distrito Federal 1.418 - 6.275 3.086,47 1.417,85 2.875,28 5.180,57 6.274,86
Ceará 1.180 - 3.272 1.742,34 1.179,68 1.600,00 2.701,19 3.271,76
Goiás 1.236 - 3.622 1.995,96 1.236,07 1.756,71 2.990,09 3.621,69
Bahia 1.237 - 3.801 2.095,23 1.237,06 1.990,61 3.137,93 3.800,76
Pernambuco 1.214 - 3.690 1.868,09 1.214,31 1.500,00 3.046,11 3.689,54
Mato Grosso 1.254 - 3.363 1.821,30 1.254,13 1.600,00 2.776,78 3.363,31
Espírito Santo 1.189 - 2.778 1.716,38 1.189,32 1.730,19 2.293,34 2.777,76
Pará 1.066 - 2.445 1.447,77 1.066,02 1.329,91 2.018,74 2.445,16
Piauí 1.207 - 4.006 2.109,02 1.207,38 2.000,00 3.307,21 4.005,79
Maranhão 1.110 - 3.174 1.643,03 1.109,95 1.251,82 2.620,73 3.174,31
Mato Grosso do Sul 1.045 - 3.093 1.613,08 1.045,00 1.416,53 2.553,46 3.092,82
Amazonas 1.180 - 4.179 2.095,83 1.179,86 2.000,00 3.450,00 4.178,74
Paraíba 1.251 - 2.430 1.591,43 1.250,85 1.576,32 2.005,83 2.429,52
Rio Grande do Norte 1.045 - 2.503 1.456,59 1.045,00 1.346,05 2.066,67 2.503,21
Rondônia 1.073 - 1.926 1.286,61 1.072,67 1.177,77 1.590,00 1.925,86
Alagoas 1.222 - 2.422 1.610,05 1.221,85 1.650,00 2.000,00 2.422,46
Tocantins 1.079 - 2.337 1.547,01 1.079,35 1.648,00 1.929,05 2.336,52
Roraima 1.045 - 5.572 1.848,33 1.045,00 1.450,00 4.600,00 5.571,66
Sergipe 1.320 - 3.634 1.915,34 1.320,00 1.773,92 3.000,00 3.633,69


Principais locais de trabalho

Técnicos em montagem, edição e finalização de mídia audiovisual trabalham em produtoras independentes de pequeno, médio e grande porte, como redes de televisão,produtoras de filmes publicitários, etc. Atuam tanto na esfera privada como na pública, neste caso nas fundações artísticas. Trabalham em horários irregulares e ambientes fechados, tanto de forma individual e coletiva, sob supervisão ocasional, exceto o editor de mídia audiovisual que trabalha em horários fixos, sendo estes diurnos ou noturnos. O trabalho é exercido com registro em carteira ou por conta própria, como no caso dos editores de mídias audiovisuais, montadores e finalizadores de filmes de cinema. Em algumas atividades são expostos a ruídos intensos e podem trabalhar sob pressão, levando-os à situação de stresse.


O que é preciso para trabalhar na área dos Técnicos em montagem, edição e finalização de mídia audiovisual

Para exercer essas atividades, requer-se escolaridade de nível médio e cursos profissionalizantes, oferecidos por instituições de formação profissional. O exercício pleno das atividades ocorre após três ou quatro anos de experiência, sendo que para o Editor de mídias audiovisuais e Diretor de imagens (TV), ocorre após um ou dois anos experiência. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de vídeo

Técnicos em montagem, edição e finalização de mídia audiovisual devem:

  • assessorar pós-produção;
  • editar imagens e Áudio;
  • supervisionar finalização;
  • dirigir captação e finalização de imagens;
  • participar da definição do produto;
  • estruturar narrativas de filmes e mídias audiovisuais;
  • criar efeitos especiais;
  • demonstrar competências pessoais;

  • Atividades

    • multiplicar imagens;
    • sincronizar som com imagem;
    • inserir créditos;
    • demonstrar acuidade auditiva;
    • verificar qualidade de som de primeira cópia de filme;
    • relacionar roteiro a material bruto;
    • participar da discussão de pauta;
    • verificar montagem de negativos;
    • aplicar efeitos pré definidos de softwares;
    • sequenciar imagens;
    • participar da formatação artística do programa;
    • coordenar atividades de assistente de montagem;
    • adequar formatos de artes gráficas;
    • tomar decisões;
    • cortar áudio;
    • tomar conhecimento do material bruto (música, foto, vídeo, som);
    • coordenar equipe operacional;
    • sequenciar áudio;
    • analisar qualidade de imagem e som;
    • listar cenas para aplicação de efeitos visuais;
    • trabalhar em equipe;
    • planejar atividades de assistente de montagem;
    • rodar imagens/matérias;
    • verificar qualidade de imagem de primeira cópia de filme;
    • montar guia de músicas;
    • mixar áudio;
    • elaborar lista de decisão de edição;
    • corrigir cores, brilho e contraste;
    • montar filmes e mídias audiovisuais em sistema de edição;
    • listar planos montados;
    • orientar filmagem para aplicação de efeitos especiais;
    • solicitar separação de cenas para efeitos visuais;
    • montar guia de som direto;
    • inverter imagens;
    • tratar áudio;
    • colocar no ar imagens/matérias;
    • demonstrar sensibilidade;
    • providenciar envio de materiais para edição de som;
    • criar caracteres;
    • demonstrar acuidade visual;
    • conferir eixo de câmeras;
    • criar enquadramentos e/ou movimentos de câmeras;
    • participar da captação de material;
    • confeccionar créditos;
    • modular tempos narrativos;
    • verificar sincronismo de som de primeira cópia de filme;
    • supervisionar conformação de copião de filmes;
    • controlar sinais de imagens externas;
    • revisar edições finais;
    • supervisionar dublagem;
    • demonstrar flexibilidade;
    • acompanhar edição de som;
    • recepcionar material captado de outros setores e áreas;
    • aplicar caracteres;
    • acompanhar mixagem de som;
    • distorcer imagens;
    • administrar tempo;
    • demonstrar criatividade;
    • providenciar mapas de dublagem;
    • elaborar índice de conteúdo gravado;
    • trabalhar sob pressão;
    • cortar imagens;
    • determinar roteiro de dublagem;
    • selecionar imagens;
    • indicar procedimentos para edição de som;
    • ordenar narrativas de filmes e mídias audiovisuais;
    • congelar imagens;
    • orientar captação de imagens para aplicação de efeitos especiais;
    • enviar copião montado para laboratório;
    • alocar equipamento técnico de acordo com roteiro do programa;
    • listar planos de som montados;
    • organizar material para trucagem;
    • solicitar captação de imagens;
    • propor definições de narrativas;
    • enviar mídia gravada para o setor de qualidade;
    • demonstrar discernimento;
    • definir corte final de filmes e mídias audiovisuais;
    • aplicar filtros;
    • selecionar sons diretos;
    • criar artes gráficas;
    • fundir imagens;
    • exportar mídias audiovisuais;
    • instruir posicionamento e/ou enquadramento da imagem;
    • sonorizar mídias audiovisuais;
    • definir efeitos visuais;
    • compor imagens;
    • recortar imagens;
    • solicitar imagens disponíveis em arquivo;
    • operar mesa de corte (switcher);
    • demonstrar capacidade de percepção estética;
    • demonstrar senso crítico;
    • demonstrar habilidade motora fina;
    • adicionar artes gráficas;
    • acelerar/desacelerar imagens;
    • capturar imagens;


    Setores que mais contratam Operador de vídeo no mercado de trabalho

    • Atividades de televisão aberta
    • Atividades de produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial
    • Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet
    • Agências de publicidade
    • Atividades de organizações religiosas
    • Cursos preparatórios para concursos
    • Fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros
    • Produção de filmes para publicidade




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: