Salário para o cargo de Operador de perfiladeira
CBO 7734-15 > Operadores de máquina de usinar madeira (produção em série)

Operador de perfiladeira - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Programam as atividades para fabricação de peças de madeira e preparam madeira, insumos e máquinas para processamento (produção em série). Operam máquinas de usinar madeira e controlam a qualidade do processamento de peças e de produtos de madeira. Realizam manutenção básica de máquinas e equipamentos e elaboram documentação, registrando informações técnicas e operacionais das atividades realizadas. Trabalham seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e proteção ao meio ambiente.

Quanto ganha um Operador de perfiladeira

Um Operador de perfiladeira trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.197,45 e R$ 2.698,00, com a média salarial de R$ 1.547,69 e o salário mediana em R$ 1.434,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de perfiladeira

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.547,69 18.572,29 386,92 7,08
1º Quartil 1.197,45 14.369,42 299,36 5,48
Salário Mediana 1.434,00 17.208,00 358,50 6,56
3º Quartil 2.057,61 24.691,32 514,40 9,41
Teto Salarial 2.698,00 32.376,00 674,50 12,34


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores das indústrias de madeira e do mobiliário
      • Trabalhadores da transformação da madeira e da fabricação do mobiliário
        • Operadores de máquina de usinar madeira (produção em série)

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Curitiba - PR 1.387 - 1.854 1.446,33 1.386,86 1.434,00 1.530,63 1.853,95
Uba - MG 1.135 - 2.204 1.407,04 1.134,90 1.288,23 1.819,84 2.204,25
São Cristóvão do Sul - SC 1.259 - 1.615 1.281,71 1.259,29 1.267,00 1.333,57 1.615,26
São Paulo - SP 1.381 - 3.237 2.101,03 1.380,59 2.101,60 2.672,82 3.237,40
Rodeiro - MG 1.260 - 2.267 1.508,40 1.260,10 1.400,00 1.871,25 2.266,52
Visconde do Rio Branco - MG 1.226 - 2.536 1.623,08 1.226,24 1.654,93 2.093,35 2.535,52
Curitibanos - SC 1.297 - 1.751 1.350,75 1.297,00 1.331,00 1.445,90 1.751,32
Jaraguá do Sul - SC 1.257 - 1.733 1.311,19 1.257,10 1.269,40 1.431,17 1.733,48
São Bento do Sul - SC 1.365 - 2.494 1.665,15 1.364,84 1.627,90 2.059,10 2.494,05
Mirassol - SP 1.441 - 2.787 1.824,97 1.440,75 1.755,10 2.300,91 2.786,93
Crissiumal - RS 1.045 - 1.401 1.083,13 1.045,00 1.045,00 1.156,53 1.400,82
Coronel Freitas - SC 1.442 - 2.338 1.685,83 1.442,14 1.702,79 1.930,26 2.337,99
Jaci - SP 1.504 - 2.393 1.671,13 1.503,94 1.571,00 1.975,76 2.393,09
Lages - SC 1.220 - 2.110 1.421,35 1.219,58 1.313,45 1.742,25 2.110,26
Bento Goncalves - RS 1.548 - 3.783 2.144,30 1.547,52 1.818,00 3.122,94 3.782,59
Perdoes - MG 1.045 - 1.314 1.054,36 1.045,00 1.045,00 1.085,00 1.314,18
Betim - MG 1.098 - 1.423 1.133,01 1.098,20 1.130,00 1.174,75 1.422,89
Mafra - SC 1.242 - 2.442 1.594,22 1.242,48 1.532,47 2.016,44 2.442,37
Porto Vitoria - PR 1.567 - 1.908 1.573,06 1.566,64 1.575,20 1.575,20 1.907,93
Flores da Cunha - RS 1.483 - 3.376 2.015,61 1.482,80 1.889,80 2.786,98 3.375,67


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Santa Catarina 1.256 - 2.277 1.481,24 1.255,78 1.338,25 1.879,87 2.276,96
Paraná 1.389 - 2.215 1.524,63 1.388,51 1.434,00 1.829,01 2.215,36
Minas Gerais 1.093 - 2.272 1.414,57 1.092,81 1.300,00 1.875,46 2.271,61
São Paulo 1.392 - 2.962 1.803,34 1.391,84 1.649,00 2.445,64 2.962,23
Rio Grande do Sul 1.096 - 2.877 1.632,76 1.095,54 1.500,40 2.375,07 2.876,75
Espírito Santo 1.207 - 2.403 1.523,83 1.207,46 1.411,32 1.984,27 2.403,40
Mato Grosso 1.314 - 3.230 1.994,81 1.313,96 1.925,00 2.666,67 3.229,95
Ceará 1.087 - 1.914 1.250,16 1.087,31 1.200,00 1.580,00 1.913,74
Pará 1.153 - 2.073 1.401,38 1.153,43 1.300,00 1.711,82 2.073,41
Bahia 1.189 - 2.246 1.519,65 1.189,44 1.500,00 1.854,11 2.245,76
Mato Grosso do Sul 1.460 - 2.438 1.665,59 1.460,00 1.460,00 2.012,72 2.437,87
Rio de Janeiro 1.324 - 2.047 1.481,29 1.323,62 1.500,00 1.690,00 2.046,98
Goiás 1.060 - 3.997 2.503,33 1.060,47 3.129,76 3.300,00 3.997,06
Rondônia 1.098 - 1.451 1.142,69 1.098,16 1.131,75 1.198,16 1.451,25
Paraíba 1.182 - 1.685 1.224,12 1.182,40 1.182,40 1.391,00 1.684,82
Sergipe 1.045 - 1.817 1.272,40 1.045,00 1.293,60 1.500,40 1.817,33


Principais locais de trabalho

Operadores de máquina de usinar madeira (produção em série) atuam na fabricação de móveis como empregados com carteira assinada. O trabalho é presencial, realizado de forma individual, sob supervisão ocasional, em ambiente fechado e por rodízio de turnos (diurno/noturno). Trabalham em posições desconfortáveis durante longos períodos e permanecem expostos a materiais tóxicos e a ruído intenso.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de máquina de usinar madeira (produção em série)

Para o exercício desse cargo requer-se ensino fundamental concluído e curso básico de qualificação profissional de duzentas a quatrocentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades ocorre entre um e dois anos de experiência profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de perfiladeira

Operadores de máquina de usinar madeira (produção em série) devem:

  • realizar manutenção básica de máquinas e equipamentos;
  • programar atividades para a fabricação de peças de madeira;
  • demonstrar competências pessoais;
  • preparar madeiras e insumos;
  • preparar máquinas para processamento de madeiras (produção em série);
  • elaborar documentação técnica;
  • trabalhar com segurança;
  • controlar qualidade do processamento de peças e de produtos de madeira;
  • operar máquinas de usinar madeira (produção em série);

  • Atividades

    • manter atenção concentrada;
    • preencher formulário de produtos não conformes;
    • usinar madeiras;
    • tomar iniciativa;
    • lubrificar máquinas;
    • programar tempo de prensagem;
    • fixar madeiras nas máquinas;
    • identificar códigos de peças e produtos;
    • orientar acomodação das peças usinadas;
    • completar nível de óleo das máquinas;
    • identificar qualidade de madeiras;
    • evidenciar dinamismo;
    • selecionar madeiras;
    • inspecionar, visualmente, cor e formato de peças e produtos de madeira;
    • separar resíduos para reciclagem;
    • limpar máquinas, ferramentas e filtros;
    • substituir ferramentas;
    • definir a quantidade de madeira;
    • identificar amostras com características do lote;
    • preencher solicitações de manutenção;
    • codificar ferramentas conforme máquinas;
    • controlar tempo de processamento de madeiras;
    • promover autodesenvolvimento;
    • conferir medidas das peças;
    • interpretar ordens de serviço;
    • comparar peças usinadas, pintadas e prensadas com o padrão;
    • dosar seladores, tintas, vernizes e colas;
    • interpretar normas de cipa e procedimentos internos;
    • preencher formulários de controle de produção;
    • identificar máquinas e equipamentos em manutenção;
    • determinar a ordenação das etapas do processo;
    • demonstrar auto-organização;
    • testar funcionamento de máquinas e equipamentos;
    • posicionar madeiras na máquina;
    • abastecer máquinas com madeiras;
    • conferir peças processadas (encaixes, furos, largura, espessura);
    • relacionar-se com superiores e subordinados;
    • tratar, quimicamente, a água de máquinas de pintura;
    • planejar corte das peças;
    • ajustar máquinas e ferramentas;
    • registrar etapas do processo de produção;
    • interpretar desenhos;
    • manifestar flexibilidade;
    • colocar espaçadores entre peças para pintura;
    • demonstrar responsabilidade;
    • definir quantidades de peças para o processamento;
    • consultar manuais dos fabricantes;
    • controlar parâmetros do processo de fabricação;
    • limpar área de trabalho;
    • desobstruir acessos e corredores;
    • empilhar peças de madeira conforme limites de segurança;
    • fixar acessórios das máquinas;
    • usar epi e epc;
    • reaproveitar peças defeituosas;
    • regular ferramentas de corte;
    • identificar falhas em máquinas e equipamentos;
    • dar provas de coordenação motora;
    • verificar umidade da madeira;
    • separar peças com defeitos;
    • regular pressão de ar das válvulas pneumáticas;
    • programar máquinas;
    • requisitar materiais e ferramentas;


    Setores que mais contratam Operador de perfiladeira no mercado de trabalho

    • Fabricação de móveis com predominância de madeira
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Fabricação de artefatos diversos de madeira, exceto móveis
    • Fabricação de fósforos de segurança
    • Serrarias com desdobramento de madeira
    • Fabricação de esquadrias de madeira e de peças de madeira para instalações industriais e comerciais
    • Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, prensada e aglomerada
    • Fabricação de colchões
    • Comércio varejista de madeira e artefatos
    • Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Diretor de leasing
    Diretores de operações de serviços em instituição de intermediação financeira

    Diretor de leasing

    Salário para o cargo de Escultor
    Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais

    Escultor