Salário para o cargo de Operador de enfornamento e desenfornamento de coque
CBO 8116-20 > Operadores de equipamentos de coqueificação

Operador de enfornamento e desenfornamento de coque - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Preparam e controlam processos de coqueificação, desenfornam o coque e realizam tratamentos primários nos subprodutos do carvão. Efetuam manutenção de fornos e processam subprodutos da coqueificação. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Quanto ganha um Operador de enfornamento e desenfornamento de coque

Um Operador de enfornamento e desenfornamento de coque trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.058,88 e R$ 3.169,51, com a média salarial de R$ 1.604,77 e o salário mediana em R$ 1.502,60 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Operador de enfornamento e desenfornamento de coque

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.604,77 19.257,29 401,19 7,83
1º Quartil 1.058,88 12.706,59 264,72 5,17
Salário Mediana 1.502,60 18.031,20 375,65 7,33
3º Quartil 2.417,21 29.006,46 604,30 11,80
Teto Salarial 3.169,51 38.034,15 792,38 15,47


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores em indústrias de processos contínuos e outras indústrias
      • Operadores de instalações em indústrias químicas, petroquímicas
        • Operadores de equipamentos de coqueificação

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Ouro Branco - MG 1.596 - 3.200 2.064,32 1.596,00 1.988,00 2.642,00 3.200,07
Ipatinga - MG 1.330 - 2.043 1.522,90 1.330,39 1.502,60 1.686,81 2.043,11
Aimorés - MG 1.045 - 1.322 1.056,63 1.045,00 1.045,00 1.091,50 1.322,06
Serra - ES 1.903 - 3.709 2.204,69 1.903,07 1.939,76 3.061,80 3.708,54
São Gonçalo do Amarante - CE 1.103 - 3.251 1.459,33 1.103,47 1.140,38 2.684,25 3.251,24
Paudalho - PE 1.065 - 1.317 1.070,63 1.065,00 1.065,00 1.087,50 1.317,21
São Miguel do Guamá - PA 1.156 - 1.401 1.156,43 1.156,43 1.156,43 1.156,43 1.400,70


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Minas Gerais 1.050 - 2.842 1.625,72 1.050,24 1.575,20 2.346,48 2.842,12
Espírito Santo 1.903 - 3.709 2.204,69 1.903,07 1.939,76 3.061,80 3.708,54
Ceará 1.103 - 3.251 1.459,33 1.103,47 1.140,38 2.684,25 3.251,24
Pernambuco 1.065 - 1.317 1.070,63 1.065,00 1.065,00 1.087,50 1.317,21
Pará 1.156 - 1.401 1.156,43 1.156,43 1.156,43 1.156,43 1.400,70


Principais locais de trabalho

Operadores de equipamentos de coqueificação atuam na fabricação de coque, refino de petróleo, fabricação de combustíveis, álcool e produtos químicos como empregados com carteira assinada. Trabalham em equipe sob supervisão ocasional, em ambientes fechados, a céu aberto ou em veículos. Atuam no sistema de rodízio de turnos (diurno/noturno) ou em horários irregulares. Em algumas atividades permanecem durante longos períodos em posições desconfortáveis, trabalham em grandes alturas, em ambiente subterrâneo ou confinado. Podem, ainda, permanecer expostos à ação de materiais tóxicos, ruído intenso e altas temperaturas.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de equipamentos de coqueificação

Para o exercício desse cargo requer-se ensino médio concluído. A qualificação profissional ocorre com a experiência prática no próprio local de trabalho e o pleno desempenho das atividades é alcançado entre um e dois anos de experiência profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Operador de enfornamento e desenfornamento de coque

Operadores de equipamentos de coqueificação devem:

  • desenfornar o coque;
  • controlar o processo de coqueificação;
  • processar os subprodutos da coqueificação;
  • realizar manutenção de fornos;
  • realizar tratamentos primários nos subprodutos do carvão;
  • demonstrar competências pessoais;
  • preparar o processo de coqueificação;

  • Atividades

    • controlar a temperatura e pressão do forno;
    • enviar o gás, licor de amônia e alcatrão para as unidades de processamento;
    • retirar, por gravidade, os subprodutos condensados na coqueificação;
    • acompanhar o resultado da análise;
    • preparar o forno para o desenfornamento;
    • comunicar-se de maneira clara e objetiva;
    • carregar o forno com a mistura de carvão;
    • suportar altas temperaturas;
    • operar a sucção de gás produzido pelos fornos de coque;
    • processar óleo residual;
    • resfriar o gás de coqueria, nos tubos de ascenção e resfriadores primários;
    • controlar o tempo de coqueificação;
    • acionar equipamento de transferência de produtos;
    • trabalhar em equipe;
    • misturar diferentes tipos de carvão;
    • disponibilizar o coque para consumo e estoque;
    • preparar o forno para receber a carga de mistura de carvão;
    • substituir peças e componentes do forno;
    • conservar alvenaria refratária e metálica;
    • consertar revestimentos refratário e metálico;
    • selecionar ferramentas;
    • retirar alcatrão do gás;
    • inspecionar os fornos;
    • coletar amostras;
    • posicionar máquinas desenfornadora, extratora e carro de apagamento;
    • abastecer os silos com a mistura dos carvões;
    • usar corretamente equipamentos de proteção individual e coletiva (epi e epc);
    • demonstrar aptidão para trabalhar em grandes alturas;
    • separar, por decantação, alcatrão e licor de amônia;
    • controlar a vazão e a pressão do combustível e comburente, para aquecimento dos fornos;
    • destilar produtos químicos;
    • retirar a massa incandescente de coque metalúrgico;
    • obedecer normas e procedimentos de qualidade, segurança e meio ambiente;
    • controlar a pressão do gás produzido na coqueificação;
    • fragmentar o coque de petróleo;
    • trabalhar com concentração;
    • resfriar o coque;
    • abastecer a máquina enfornadora;
    • efetuar a limpeza do gás;
    • desenfornar, manualmente, o coque de fundição;
    • vedar as bocas de carregamento;
    • tratar biologicamente a água residual, para enviá-la aos mananciais hídricos;
    • realizar correções no processo;
    • abrir, manualmente, portas do forno de coque de fundição;
    • lubrificar componentes do forno;
    • aperfeiçoar-se profissionalmente;
    • transportar coque incandescente;
    • acionar abertura de portas para o desenfornamento de coque;
    • classificar o coque;
    • posicionar máquina enfornadora;
    • estar atento às condições de uso das máquinas, equipamentos e instalações;


    Setores que mais contratam Operador de enfornamento e desenfornamento de coque no mercado de trabalho

    • Produção de laminados planos de aço ao carbono, revestidos ou não
    • Produção de laminados longos de aço, exceto tubos
    • Extração de argila e beneficiamento associado
    • Fabricação de artefatos de cerâmica e barro cozido para uso na construção, exceto azulejos e pisos
    • Produção de semi-acabados de aço
    • Armazéns gerais - emissão de warrant
    • Construção de edifícios
    • Fabricação de produtos cerâmicos não-refratários não especificados anteriormente




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Gerente de albergue
    Gerentes de operações de serviços em empresa de turismo, de alojamento e alimentação

    Gerente de albergue