Salário para o cargo de Maquinista ferroviário
CBO 7821-20 > Operadores de máquinas e equipamentos de elevação

Maquinista ferroviário - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Operam máquinas e equipamentos de elevação, ajustando comandos, acionando movimentos das máquinas. Avaliam condições de funcionamento das máquinas e equipamentos, interpretando painel de instrumentos de medição, verificando fonte de alimentação, testando comandos de acionamento. Preparam área para operação dos equipamentos e transportam pessoas e materiais em máquinas e equipamentos de elevação. Trabalham seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e proteção ao meio ambiente.

Quanto ganha um Maquinista ferroviário

Um Maquinista ferroviário trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.369,88 e R$ 3.879,59, com a média salarial de R$ 2.059,35 e o salário mediana em R$ 1.931,60 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Maquinista ferroviário

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 2.059,35 24.712,16 514,84 9,52
1º Quartil 1.369,88 16.438,53 342,47 6,33
Salário Mediana 1.931,60 23.179,20 482,90 8,93
3º Quartil 2.958,74 35.504,90 739,69 13,67
Teto Salarial 3.879,59 46.555,09 969,90 17,93


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores de funções transversais
      • Condutores de veículos e operadores de equipamentos de elevação e de movimentação de cargas
        • Operadores de máquinas e equipamentos de elevação

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Luís - MA 1.859 - 3.358 2.269,67 1.858,86 2.279,20 2.772,34 3.357,94
Serra - ES 1.628 - 4.341 2.297,47 1.628,25 1.905,49 3.583,97 4.341,01
Contagem - MG 2.035 - 3.637 2.346,58 2.035,08 2.045,01 3.002,79 3.637,06
Salvador - BA 1.642 - 2.115 1.667,53 1.642,45 1.642,45 1.746,37 2.115,25
Rolândia - PR 1.347 - 1.733 1.388,02 1.347,09 1.402,79 1.430,62 1.732,81
São Paulo - SP 1.381 - 4.010 2.416,13 1.381,23 2.337,82 3.311,05 4.010,44
Extrema - MG 1.208 - 1.547 1.224,48 1.208,00 1.208,00 1.277,20 1.546,98
Jacutinga - MG 1.212 - 1.714 1.263,01 1.212,20 1.212,20 1.415,44 1.714,42
Ananindeua - PA 1.912 - 4.114 2.363,91 1.911,80 2.031,80 3.396,34 4.113,75
Juruti - PA 1.852 - 3.488 2.225,26 1.852,40 1.852,40 2.879,36 3.487,57
Ipatinga - MG 1.426 - 1.980 1.518,24 1.426,06 1.507,64 1.634,66 1.979,95
Araquari - SC 1.200 - 1.681 1.246,88 1.200,00 1.200,00 1.387,50 1.680,58
Três Marias - MG 2.153 - 2.720 2.223,63 2.153,06 2.245,68 2.245,68 2.720,03
Paulínia - SP 1.646 - 4.982 2.953,89 1.646,42 2.688,50 4.112,89 4.981,66
Mucuri - BA 1.923 - 2.602 2.064,94 1.923,21 2.086,04 2.148,62 2.602,47
Belo Horizonte - MG 1.346 - 2.213 1.575,51 1.345,66 1.576,05 1.826,68 2.212,53
Nova Lima - MG 2.100 - 2.920 2.175,53 2.100,00 2.100,00 2.410,50 2.919,67
Macaé - RJ 1.248 - 3.205 1.713,63 1.247,56 1.247,56 2.645,78 3.204,65
Salto - SP 1.601 - 2.564 1.736,94 1.601,00 1.640,38 2.116,47 2.563,54
Três Lagoas - MS 2.416 - 2.927 2.416,33 2.416,33 2.416,33 2.416,33 2.926,73


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
Maranhão 1.845 - 3.356 2.266,88 1.845,02 2.283,90 2.770,52 3.355,73
Minas Gerais 1.210 - 3.095 1.845,46 1.209,81 1.941,89 2.555,37 3.095,14
Espírito Santo 1.622 - 4.257 2.260,02 1.622,11 1.900,00 3.514,22 4.256,53
São Paulo 1.424 - 4.364 2.386,72 1.423,95 2.156,03 3.603,20 4.364,30
Bahia 1.642 - 2.548 1.779,12 1.642,45 1.642,45 2.103,79 2.548,18
Paraná 1.332 - 2.252 1.534,11 1.332,45 1.402,79 1.858,93 2.251,59
Pará 1.829 - 3.775 2.288,78 1.829,28 2.031,80 3.116,30 3.774,55
Santa Catarina 1.200 - 2.314 1.489,93 1.200,00 1.400,00 1.910,16 2.313,64
Rio de Janeiro 1.255 - 3.774 1.976,64 1.255,10 1.556,42 3.116,02 3.774,21
Goiás 1.498 - 5.463 2.406,18 1.498,13 1.570,80 4.509,89 5.462,51
Rio Grande do Sul 1.535 - 3.239 2.272,44 1.535,17 2.445,55 2.673,75 3.238,52
Mato Grosso do Sul 2.054 - 2.927 2.325,83 2.054,33 2.416,33 2.416,33 2.926,73
Mato Grosso 1.743 - 3.634 2.438,94 1.743,00 2.387,53 3.000,00 3.633,69
Distrito Federal 1.200 - 2.059 1.483,33 1.200,00 1.500,00 1.700,00 2.059,09
Ceará 1.671 - 2.193 1.717,66 1.671,34 1.671,34 1.810,30 2.192,69


Principais locais de trabalho

Operadores de máquinas e equipamentos de elevação atuam na indústria da construção e na fabricação de equipamentos de transportes como empregados com carteira assinada. Trabalham de forma individual e sob supervisão ocasional. O trabalho pode ser exercido em diversos ambientes (fechado, a céu aberto, confinado, em grandes alturas ou em veículos) e em todos os horários (diurno, noturno e por rodízio de turnos). Permanecem em posições desconfortáveis durante longos períodos e trabalham sob pressão, o que pode levá-los à situação de estresse. Também permanecem expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso, altas e baixas temperaturas, pó, odores e intempéries.


O que é preciso para trabalhar na área dos Operadores de máquinas e equipamentos de elevação

Para o exercício desse cargo requer-se ensino médio concluído e curso básico de qualificação profissional com até duzentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades ocorre entre um e dois anos de experiência profissional. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Maquinista ferroviário

Operadores de máquinas e equipamentos de elevação devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • operar máquinas e equipamentos de elevação;
  • trabalhar com segurança;
  • avaliar condições de funcionamento das máquinas e equipamentos de elevação;
  • transportar pessoas e materiais em máquinas e equipamentos de elevação;
  • preparar Área para operação de equipamentos de elevação;

  • Atividades

    • comunicar-se com eficiência;
    • adequar a cabine de acordo com ambiente de trabalho;
    • interpretar recomendações dos fabricantes para a operação de máquinas e equipamentos;
    • regular assento e encosto do banco das máquinas e equipamentos de elevação;
    • movimentar pessoas e materiais através de máquinas e equipamentos de elevação;
    • verificar fonte de alimentação do equipamento (elétrica e combustível);
    • vistoriar máquinas e equipamentos de elevação;
    • ajustar comandos e apoios das máquinas e equipamentos de elevação;
    • inspecionar dispositivos de segurança;
    • solicitar limpeza do local de trabalho;
    • cumprir ordem de serviço;
    • posicionar máquinas e equipamentos de elevação para operação;
    • inspecionar visualmente a área de operação do equipamento no solo, ar, água e vias de acesso;
    • verificar condições e conservação de acessórios (gancho, mangueira, sinalizadores, friso de roda);
    • travar máquinas e equipamentos de elevação;
    • conferir autorização de serviço;
    • demonstrar autocrítica;
    • solicitar equipamentos de segurança (epi e epc);
    • interpretar programação de trabalho (os-pop-sp);
    • selecionar acessórios conforme o tipo de carga e descarga;
    • solicitar fixação do equipamento no local de trabalho (grua e elevador de pessoas e materiais);
    • solicitar manutenção das máquinas e equipamentos de elevação;
    • utilizar equipamentos de segurança (epi e epc);
    • verificar iluminação na área de trabalho;
    • respeitar legislação ambiental e normas técnicas;
    • conferir capacidade de máquinas e equipamentos;
    • manter atenção concentrada;
    • inspecionar nível, alinhamento e verticalidade de cabos de aços e correias transportadoras;
    • testar comandos de acionamento;
    • nivelar máquinas e equipamentos;
    • selecionar máquinas e equipamentos de acordo com as características do trabalho e ambiente;
    • acionar movimentos das máquinas, equipamentos e acessórios conforme procedimentos operacionais;
    • acionar acoplamento de ar da composição de vagões;
    • testar deslocamento e frenagem das máquinas e equipamentos (rotação, vertical, horizontal);
    • examinar as condições climáticas;
    • interpretar painel de instrumentos de medição;
    • demonstrar auto-organização;
    • demonstrar autocontrole;
    • utilizar acessórios compatíveis com a carga (cabo, cinta);
    • acionar dispositivos sonoros para a retirada de pessoas do local de trabalho;
    • realizar transporte e movimentação de cargas perigosas conforme instruções dos fabricantes;
    • demonstrar responsabilidade;
    • conferir o peso de cargas;
    • respeitar sinais e comunicações de trânsito;
    • evidenciar coordenação motora;
    • obedecer normas de segurança do trabalho;
    • identificar situações de risco;
    • sinalizar área de trabalho;
    • definir equipamentos de transporte e movimentação conforme capacidade;
    • solicitar isolamento da área de trabalho;
    • realizar intervalos periódicos de descanso face aos esforços repetitivos da ocupação;
    • ajustar sucção, pressão e vazão;
    • interpretar sinalização de elevação e transportes de cargas;
    • relacionar-se com superiores e subordinados;
    • adaptar-se a novos trabalhos e situações;


    Setores que mais contratam Maquinista ferroviário no mercado de trabalho

    • Construção de rodovias e ferrovias
    • Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional
    • Montagem de estruturas metálicas
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Obras de montagem industrial
    • Fabricação de outros produtos de metal não especificados anteriormente
    • Usinas de compostagem
    • Obras de urbanização - ruas, praças e calçadas
    • Serviço de transporte de passageiros - locação de automóveis com motorista
    • Cultivo de soja




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Gerente de pensão
    Gerentes de operações de serviços em empresa de turismo, de alojamento e alimentação

    Gerente de pensão