Salário para o cargo de Chapeleiro de senhoras
CBO 7650-10 > Trabalhadores polivalentes da confecção de artefatos de tecidos e couros

Chapeleiro de senhoras - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Confeccionam moldes (fôrmas, facas) e modelos de artefatos de tecido, couro e similares. Preparam e cortam materiais e peças para confecção. Realizam pintura e adornos em artefatos, atividades de acabamento e serviços de manutenção em máquinas e equipamentos. Montam e embalam artefatos e comercializam produtos.

Quanto ganha um Chapeleiro de senhoras

Um Chapeleiro de senhoras trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.268,24 e R$ 3.739,63, com a média salarial de R$ 1.822,05 e o salário mediana em R$ 1.485,00 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chapeleiro de senhoras

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.822,05 21.864,58 455,51 8,36
1º Quartil 1.268,24 15.218,87 317,06 5,82
Salário Mediana 1.485,00 17.820,00 371,25 6,81
3º Quartil 2.852,00 34.224,00 713,00 13,08
Teto Salarial 3.739,63 44.875,54 934,91 17,15


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestúario e das artes gráficas
      • Trabalhadores da confecção de artefatos de tecidos e couros
        • Trabalhadores polivalentes da confecção de artefatos de tecidos e couros

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.198 - 2.027 1.305,84 1.198,40 1.198,40 1.673,50 2.026,99
Rio de Janeiro - RJ 2.369 - 3.997 2.992,25 2.369,00 3.300,00 3.300,00 3.997,06
Nova Esperança - PR 1.442 - 1.843 1.484,14 1.442,00 1.485,00 1.522,00 1.843,49


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.198 - 2.027 1.305,84 1.198,40 1.198,40 1.673,50 2.026,99
Rio de Janeiro 2.369 - 3.997 2.992,25 2.369,00 3.300,00 3.300,00 3.997,06
Paraná 1.442 - 1.843 1.484,14 1.442,00 1.485,00 1.522,00 1.843,49


Principais locais de trabalho

Trabalhadores polivalentes da confecção de artefatos de tecidos e couros atuam na indústria de confecção de artigos do vestuário e acessórios. O boneleiro trabalha com carteira assinada, o confeccionador de artefatos de couro (exceto sapatos) e o chapeleiro de senhoras trabalham como autônomo ou por conta própria. O trabalho do chapeleiro de senhoras é individual, sem supervisão. Os outros profissionais trabalham em equipe por operações, com supervisão permanente. Todos trabalham em ambiente fechado, durante o dia, exceto o chapeleiro de senhoras que tem horários de trabalho irregulares. Em algumas atividades desenvolvidas pelo boneleiro e pelo confeccionador de artefatos de couro (exceto sapatos) pode ocorrer exposição a materiais tóxicos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Trabalhadores polivalentes da confecção de artefatos de tecidos e couros

Essas ocupações são exercidas por trabalhadores com formação de até a quarta série do ensino fundamental, mais curso básico de qualificação profissional de até duzentas horas-aula para o boneleiro, de duzentas a quatrocentas horas-aula para o chapeleiro de senhoras e mais de quatrocentas horas-aula para o confeccionador de artefatos de couro (exceto sapatos). O exercício pleno das atividades ocorre com a experiência de um a dois anos para o boneleiro e mais de cinco anos para as outras ocupações. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Chapeleiro de senhoras

Trabalhadores polivalentes da confecção de artefatos de tecidos e couros devem:

  • confeccionar moldes (fôrmas, facas);
  • realizar pintura e adornos em artefatos;
  • confeccionar modelos de artefatos;
  • realizar serviços de manutenção em máquinas e equipamentos;
  • preparar materiais para confecção de artefatos;
  • realizar atividades de acabamento;
  • comercializar produtos;
  • montar artefatos;
  • embalar artefatos;
  • demonstrar competências pessoais;
  • cortar peças para confecção de artefatos;

  • Atividades

    • imprimir desenhos vazados em couro;
    • colar materiais chanfrados;
    • classificar tipos de couros;
    • costurar viés nas emendas internas de chapéus;
    • riscar tecidos para corte;
    • prensar marcas em couro;
    • demonstrar comprometimento;
    • definir tipos de materiais (feltro, seda, veludo...);
    • soldar ferramentas;
    • negociar condições de vendas;
    • demonstrar credibilidade;
    • bolear peças de artefatos;
    • identificar artefatos nas embalagens;
    • desenhar modelos de facas e navalhas;
    • conformar bonés;
    • pregar botões em bonés;
    • moldar tecidos em formas;
    • engomar peças;
    • remodelar fôrmas;
    • posicionar peças na estufa para secagem de tinta plástica;
    • passar abas de chapéus;
    • pintar peças de artefatos;
    • acondicionar artefatos em embalagens;
    • controlar tempo de permanência na estufa;
    • definir preços de artefatos;
    • posicionar navalhas (moldes) em materiais;
    • calcular custos;
    • pregar regulador em bonés;
    • fixar peças em mesa de encaixe;
    • confeccionar embalagens para chapéus;
    • demonstrar sensibilidade tátil, auditiva e visual;
    • interpretar modelos;
    • adicionar ferragens em peças de couro;
    • prensar peças de artefatos;
    • fixar apliques de ferragens em couro;
    • programar encaixe de peças para corte;
    • chanfrar materiais (afinar);
    • especificar materiais;
    • definir materiais de facas e navalhas;
    • desenhar modelos;
    • demonstrar paciência;
    • trocar peças de máquinas;
    • demonstrar criatividade;
    • costurar peças;
    • operar pistola de auto brilho;
    • fixar fitas, fivelas, laços e flores em chapéus;
    • monitorar funcionamento de máquinas;
    • cortar excessos de tecidos das formas;
    • trançar tiras de couro;
    • retocar pintura em couro;
    • divulgar produtos;
    • selecionar cores de tintas;
    • dimensionar moldes;
    • dobrar bonés para embalagens;
    • atender pedidos de clientes;
    • virar bordas de materiais chanfrados;
    • dimensionar tamanho de peças (componentes);
    • preparar enfesto segundo número de peças cortadas;
    • aparar linhas;
    • fixar extremidades de materiais na mesa de corte;
    • definir cores;
    • operar ferramentas e equipamentos de corte;
    • bordar couro;
    • apertar parafusos;
    • costurar vieses nas emendas das peças;
    • dosar aditivos (água, amaciante, álcool...) em tintas;
    • definir quantidade de bonés para embalagens;
    • passar tecidos;
    • posicionar materiais na mesa de corte;
    • cortar modelos de facas e navalhas;
    • lubrificar ferramentas;
    • colar peças de couro;
    • queimar pontas de linhas;
    • definir modelos de facas e navalhas;
    • polir couros;
    • encaixar bonés para embalagem;
    • montar embalagens;
    • afiar ferramentas;
    • demonstrar habilidade manual;
    • construir protótipos (matriz);


    Setores que mais contratam Chapeleiro de senhoras no mercado de trabalho

    • Outros serviços de acabamento em fios, tecidos, artefatos têxteis e peças do vestuário
    • Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios
    • Serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas
    • Serviços de alimentação para eventos e recepções - bufê
    • Confecção, sob medida, de peças do vestuário, exceto roupas íntimas
    • Fabricação de acessórios do vestuário, exceto para segurança e proteção
    • Fabricação de móveis com predominância de madeira
    • Atividades de organizações associativas ligadas à cultura e à arte
    • Restaurantes e similares




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque:

    Salário para o cargo de Instrutor educacional
    Trabalhadores de atenção, defesa e proteção a pessoas em situação de risco e adolescentes em conflito com a lei

    Instrutor educacional