Salário para o cargo de Auxiliar de confecção
CBO 7631-25 > Trabalhadores da preparação da confecção de roupas

Auxiliar de confecção - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Programam riscos marcadores por processo manual ou digital, enfestam e cortam tecidos e não-tecidos, preparam lotes e pacotes para o setor de costura de roupas. Distribuem peças cortadas para as costureiras, retiram, revisam, contam e dobram peças acabadas. Trabalham em conformidade a normas técnicas de qualidade, meio ambiente e saúde.

Quanto ganha um Auxiliar de confecção

Um Auxiliar de confecção trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.123,02 e R$ 1.897,55, com a média salarial de R$ 1.249,75 e o salário mediana em R$ 1.203,50 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Auxiliar de confecção

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 1.249,75 14.996,96 312,44 5,72
1º Quartil 1.123,02 13.476,21 280,75 5,14
Salário Mediana 1.203,50 14.442,00 300,88 5,51
3º Quartil 1.447,15 17.365,82 361,79 6,62
Teto Salarial 1.897,55 22.770,59 474,39 8,69


Categorias profissionais do cargo

  • Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais
    • Trabalhadores nas indústrias têxtil, do curtimento, do vestúario e das artes gráficas
      • Trabalhadores da confecção de roupas
        • Trabalhadores da preparação da confecção de roupas

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 1.166 - 2.042 1.345,81 1.165,73 1.250,00 1.686,25 2.042,44
Criciúma - SC 1.139 - 1.727 1.268,71 1.139,11 1.210,41 1.426,16 1.727,41
Rio de Janeiro - RJ 1.087 - 1.779 1.241,87 1.086,80 1.219,71 1.468,55 1.778,75
Guarulhos - SP 1.210 - 1.728 1.279,85 1.210,12 1.241,54 1.426,74 1.728,11
Itapetininga - SP 1.045 - 1.347 1.073,56 1.045,00 1.086,00 1.111,83 1.346,68
Porto Feliz - SP 1.185 - 1.634 1.229,88 1.185,18 1.192,34 1.348,85 1.633,77
Gaspar - SC 1.271 - 2.080 1.440,45 1.271,12 1.400,00 1.717,46 2.080,24
Joinville - SC 1.359 - 1.799 1.429,42 1.358,86 1.438,80 1.485,59 1.799,39
Nova Friburgo - RJ 1.153 - 1.525 1.202,60 1.153,03 1.199,00 1.259,41 1.525,44
Blumenau - SC 1.231 - 1.878 1.364,26 1.230,78 1.337,60 1.550,60 1.878,13
Goiânia - GO 1.045 - 1.570 1.131,63 1.045,00 1.100,00 1.295,95 1.569,69
Votorantim - SP 1.157 - 1.425 1.166,04 1.157,40 1.165,00 1.176,76 1.425,33
Icara - SC 1.127 - 1.624 1.187,55 1.127,46 1.138,50 1.340,71 1.623,91
Apucarana - PR 1.178 - 1.665 1.264,22 1.177,79 1.252,84 1.374,90 1.665,33
Brusque - SC 1.296 - 2.107 1.476,93 1.295,90 1.450,00 1.739,56 2.107,01
Fortaleza - CE 1.050 - 1.363 1.072,28 1.049,84 1.055,00 1.125,25 1.362,93
Itajaí - SC 1.240 - 1.879 1.355,88 1.240,11 1.299,15 1.551,36 1.879,06
Jaraguá do Sul - SC 1.305 - 2.011 1.428,28 1.304,89 1.350,80 1.660,08 2.010,73
Linhares - ES 1.045 - 1.343 1.061,24 1.045,00 1.045,00 1.108,70 1.342,89
Ilhota - SC 1.208 - 1.610 1.241,58 1.208,00 1.210,00 1.328,84 1.609,53


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.117 - 1.880 1.286,73 1.116,76 1.228,81 1.551,74 1.879,52
Santa Catarina 1.166 - 1.832 1.312,58 1.165,57 1.285,00 1.512,12 1.831,53
Paraná 1.083 - 1.712 1.228,59 1.083,36 1.187,60 1.413,40 1.711,96
Minas Gerais 1.047 - 1.564 1.137,11 1.047,08 1.104,00 1.291,05 1.563,76
Rio de Janeiro 1.096 - 1.670 1.219,86 1.095,57 1.199,00 1.378,39 1.669,55
Rio Grande do Sul 1.108 - 1.738 1.249,17 1.108,39 1.232,10 1.434,51 1.737,52
Goiás 1.045 - 1.510 1.109,40 1.044,61 1.086,80 1.247,02 1.510,43
Pernambuco 1.051 - 2.223 1.256,79 1.051,49 1.068,00 1.835,50 2.223,21
Ceará 1.040 - 1.368 1.069,07 1.040,30 1.055,00 1.129,75 1.368,39
Espírito Santo 1.043 - 1.472 1.096,41 1.042,89 1.050,00 1.215,57 1.472,34
Bahia 1.043 - 1.515 1.112,24 1.043,31 1.074,20 1.251,05 1.515,31
Mato Grosso do Sul 1.069 - 1.582 1.153,23 1.069,18 1.086,80 1.306,09 1.581,97
Rio Grande do Norte 1.044 - 1.410 1.076,48 1.044,33 1.050,00 1.163,84 1.409,68
Pará 1.045 - 1.526 1.112,13 1.045,00 1.085,23 1.259,57 1.525,63
Mato Grosso 1.067 - 1.666 1.168,72 1.067,01 1.116,93 1.375,37 1.665,89
Rondônia 1.038 - 1.531 1.145,95 1.038,30 1.131,50 1.263,65 1.530,57
Distrito Federal 1.051 - 1.684 1.183,82 1.050,99 1.150,47 1.390,51 1.684,23
Sergipe 1.045 - 1.410 1.084,31 1.045,00 1.045,00 1.163,77 1.409,59
Paraíba 1.045 - 1.430 1.090,71 1.045,00 1.067,00 1.180,73 1.430,14
Amazonas 1.045 - 1.441 1.103,73 1.045,00 1.100,00 1.190,09 1.441,47
Maranhão 1.045 - 1.653 1.143,86 1.045,00 1.095,08 1.364,57 1.652,80
Tocantins 1.045 - 1.483 1.102,80 1.045,00 1.087,68 1.224,05 1.482,61
Alagoas 1.045 - 1.353 1.063,79 1.045,00 1.045,00 1.117,19 1.353,17
Piauí 1.045 - 1.351 1.063,18 1.045,00 1.045,00 1.115,58 1.351,23
Acre 1.068 - 1.429 1.118,94 1.067,55 1.114,30 1.179,62 1.428,79
Amapá 1.045 - 1.308 1.056,81 1.045,00 1.056,00 1.080,24 1.308,42


Principais locais de trabalho

Trabalhadores da preparação da confecção de roupas trabalham em indústrias de confecções de roupas, geralmente como assalariados com carteira assinada, de forma individual ou em equipe, em horários diurnos ou noturnos, em posições desconfortáveis durante longos perídos e locais ruidosos. São supervisionados ocasionalmente. Em empresas menores, os próprios donos exercem a função de corte, considerada estratégica para a economicidade do processo de confecção.


O que é preciso para trabalhar na área dos Trabalhadores da preparação da confecção de roupas

O exercício das ocupações de auxiliar de corte e de riscador requer ensino fundamental completo e, em menos de um ano, os trabalhadores estão aptos ao exercício pleno da maioria das atividades. Para o riscador exige-se qualificação básica de até duzentas horas-aula. As ocupações de cortador e enfestador requer ensino médio completo, seguido de curso profissionalizante de até duzentas horas-aula. Os cargos listados nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos.


Funções e atividades do Auxiliar de confecção

Trabalhadores da preparação da confecção de roupas devem:

  • demonstrar competências pessoais;
  • preparar lotes e pacotes;
  • auxiliar operadores de máquinas;
  • programar riscos marcadores;
  • comunicar-se;
  • contribuir com a qualidade do produto e processo;
  • trabalhar com segurança;
  • cortar tecidos;
  • enfestar tecidos e não tecidos (sintéticos e não sintéticos);

  • Atividades

    • seguir ordem de produção e ficha técnica;
    • cortar linhas;
    • identificar melhorias de operação;
    • demonstrar agilidade;
    • preparar tecidos;
    • preparar componentes em malha retilínea;
    • planejar ordem de risco e corte;
    • cumprir as normas de segurança;
    • conferir número de camadas do enfesto;
    • conferir total de componentes;
    • solicitar componentes;
    • trabalhar em equipe;
    • solicitar manutenção;
    • deslocar enfesto;
    • determinar pontos de emenda;
    • demonstrar senso de responsabilidade;
    • identificar defeitos;
    • operar máquina de corte;
    • aplicar normas de qualidade na execução das tarefas;
    • retirar emendas e retalhos;
    • preparar mesa de enfesto;
    • verificar o funcionamento da máquina e equipamento;
    • comunicar falta de componentes;
    • identificar condições inseguras;
    • conferir risco com a ordem de corte;
    • enfestar mecanicamente (máquina de enfestar);
    • preencher ordem de risco e corte;
    • substituir componentes defeituosos;
    • participar de grupos de melhoria;
    • separar componentes para bordados e estamparia;
    • utilizar peça piloto;
    • dobrar produtos;
    • distribuir componentes e insumos;
    • encaixar moldes manualmente;
    • registrar produção;
    • participar de treinamentos de segurança;
    • formar lotes e pacotes conforme ficha técnica e ordem de produção;
    • organizar local de trabalho;
    • verificar componentes cortados;
    • numerar componentes;
    • demonstrar atenção;
    • demonstrar senso visual e tátil;
    • separar componentes por cor;
    • enviar produtos para estoque;
    • demonstrar flexibilidade;
    • requisitar insumos;
    • controlar desperdícios;
    • separar emendas e retalhos;
    • embalar produtos;
    • fusionar entretela;
    • manusear peças;
    • participar de atividades de prevenção de acidentes;
    • utilizar equipamento de proteção individual;
    • refilar peças;
    • demonstrar iniciativa;
    • conferir dados do tecido;
    • recuperar produtos acabados;
    • encaixar moldes por computador;
    • fixar risco;
    • separar produtos defeituosos;
    • amarrar em fardos;
    • preparar peças;
    • demonstrar habilidade motora fina;
    • etiquetar componentes;
    • riscar moldes por computador (plotar riscos);
    • enfestar manualmente;
    • riscar moldes por processo manual;
    • demonstrar comprometimento com os objetivos da empresa;
    • conferir sentido do enfesto;


    Setores que mais contratam Auxiliar de confecção no mercado de trabalho

    • Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida
    • Facção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas
    • Confecção de roupas íntimas
    • Confecção, sob medida, de peças do vestuário, exceto roupas íntimas
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios
    • Fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico
    • Tecelagem de fios de algodão
    • Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida
    • Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: