Salário para o cargo de Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo
CBO 3732-20 > Supervisores operacionais e técnicos em mídias audiovisuais

Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo - Descrição, atividades, funções e salário do cargo

Supervisionam atividades técnicas e de operações, definem especificações dos recursos técnicos, verificam condições de uso e conservação dos equipamentos, Planejam atividades do setor, orçam despesas operacionais, Dão suporte em eventos, checam canalizações de sinais, Supervisionam, escalam e avaliam o desempenho da equipe.

Quanto ganha um Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo

Um Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo trabalhando no Brasil, ganha entre R$ 1.450,23 e R$ 14.369,85, com a média salarial de R$ 4.567,58 e o salário mediana em R$ 2.594,91 de acordo com pesquisa salarial junto ao Novo CAGED, Empregador Web e eSocial.


Faixas salariais do cargo de Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo

Salário Mensal Salário Anual Salário Por Semana Salário Por Hora
Média Salarial 4.567,58 54.811,00 1.141,90 22,01
1º Quartil 1.450,23 17.402,70 362,56 6,99
Salário Mediana 2.594,91 31.138,92 648,73 12,50
3º Quartil 10.959,06 131.508,76 2.739,77 52,81
Teto Salarial 14.369,85 172.438,23 3.592,46 69,24


Categorias profissionais do cargo

  • Técnicos de nível médio
    • Técnicos em nivel médio dos serviços culturais, das comunicações e dos desportos
      • Técnicos em operação de emissoras de rádio, sistemas de televisão e de produtoras de vídeo
        • Supervisores operacionais e técnicos em mídias audiovisuais

Cargos relacionados:



Salários nas cidades que mais contratam

Cidade Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo - SP 2.061 - 22.720 7.882,08 2.060,57 5.123,84 18.757,96 22.720,21
Rio de Janeiro - RJ 2.125 - 18.430 6.965,42 2.125,07 5.000,00 15.215,94 18.430,00
Barueri - SP 2.019 - 6.068 2.832,89 2.019,05 2.205,46 5.010,02 6.068,29
Brasília - DF 1.629 - 9.572 4.132,96 1.628,80 4.000,00 7.902,37 9.571,58
Florianópolis - SC 2.424 - 9.884 4.208,98 2.424,26 2.829,41 8.160,67 9.884,45
Porto Alegre - RS 1.368 - 5.812 2.402,88 1.367,67 1.800,00 4.798,48 5.812,06
Teresina - PI 1.114 - 4.059 1.832,19 1.113,66 1.113,66 3.351,15 4.059,01
Ribeirão Preto - SP 1.298 - 8.472 3.472,84 1.298,47 1.700,00 6.994,34 8.471,75
Curitiba - PR 2.267 - 5.751 3.390,48 2.267,36 3.082,00 4.748,06 5.750,99
Belo Horizonte - MG 1.322 - 9.834 3.386,50 1.321,59 2.291,93 8.118,81 9.833,75
Recife - PE 1.571 - 6.984 3.256,38 1.570,87 2.656,11 5.766,29 6.984,30
Fortaleza - CE 1.199 - 5.283 2.299,01 1.198,68 1.794,60 4.361,65 5.282,96
Porto Velho - RO 1.230 - 3.290 1.846,16 1.230,06 1.713,81 2.716,01 3.289,72
Salvador - BA 1.097 - 6.771 3.019,05 1.096,83 2.874,24 5.590,40 6.771,26
Campo Grande - MS 1.197 - 3.357 1.952,04 1.196,76 2.000,00 2.771,16 3.356,51
Cuiabá - MT 1.509 - 3.236 1.905,79 1.508,53 1.800,00 2.671,71 3.236,06
Goiânia - GO 1.082 - 7.583 2.982,80 1.081,67 2.420,77 6.260,45 7.582,84
São José do Rio Preto - SP 1.917 - 21.197 6.440,52 1.917,26 2.740,71 17.500,00 21.196,53
Campinas - SP 1.721 - 19.494 5.227,84 1.721,31 2.750,00 16.094,15 19.493,71
Natal - RN 1.100 - 3.698 1.936,17 1.100,00 1.600,00 3.053,11 3.698,01


Remuneração nos estados

Estado Faixa Salarial Média Salarial 1º Quartil Salário Mediana 3º Quartil Maior Salário
São Paulo 1.686 - 16.970 5.801,92 1.686,40 3.500,00 14.010,89 16.970,41
Rio de Janeiro 1.996 - 18.116 6.739,34 1.996,27 4.791,41 14.956,46 18.115,72
Rio Grande do Sul 1.343 - 4.725 2.164,87 1.342,54 1.800,00 3.900,60 4.724,53
Minas Gerais 1.341 - 7.029 2.868,70 1.341,12 2.122,47 5.803,05 7.028,82
Santa Catarina 1.525 - 7.520 3.153,51 1.524,70 2.508,00 6.208,44 7.519,85
Distrito Federal 1.629 - 9.572 4.132,96 1.628,80 4.000,00 7.902,37 9.571,58
Paraná 1.629 - 6.247 3.130,35 1.629,30 3.000,00 5.157,71 6.247,17
Bahia 1.300 - 8.733 3.497,08 1.300,39 2.750,87 7.209,97 8.732,94
Pará 1.259 - 5.326 2.525,05 1.259,02 2.090,00 4.397,51 5.326,40
Pernambuco 1.341 - 6.493 2.930,26 1.341,30 2.500,00 5.360,30 6.492,55
Piauí 1.114 - 3.857 1.768,17 1.113,66 1.120,00 3.184,67 3.857,37
Ceará 1.274 - 4.871 2.323,28 1.274,01 2.000,00 4.021,69 4.871,19
Mato Grosso 1.297 - 3.033 1.765,86 1.296,65 1.582,19 2.503,79 3.032,66
Goiás 1.186 - 6.520 2.745,33 1.186,25 2.227,04 5.382,84 6.519,85
Espírito Santo 1.475 - 6.008 2.587,33 1.475,00 2.000,00 4.959,88 6.007,55
Rondônia 1.230 - 3.290 1.840,46 1.230,06 1.752,61 2.716,01 3.289,72
Mato Grosso do Sul 1.197 - 3.357 1.952,04 1.196,76 2.000,00 2.771,16 3.356,51
Rio Grande do Norte 1.100 - 3.510 1.885,46 1.100,00 1.700,00 2.897,83 3.509,94
Maranhão 1.802 - 4.479 2.784,60 1.801,57 2.762,37 3.697,95 4.479,07
Amazonas 1.216 - 6.177 2.712,94 1.215,78 2.093,70 5.100,00 6.177,27
Alagoas 1.046 - 2.029 1.516,16 1.046,10 1.600,00 1.675,20 2.029,05
Acre 1.152 - 3.818 1.742,86 1.152,45 1.497,00 3.151,80 3.817,55


Principais locais de trabalho

Supervisores operacionais e técnicos em mídias audiovisuais trabalham em emissoras de televisão e rádio em horários de trabalho irregulares. Normalmente atuam como assalariados, com carteira assinada e supervisão ocasional, estando diretamente subordinados aos Gerentes e possuem subordinados. Trabalham em equipe em ambientes fechados nas emissoras, a céu aberto ou em veículos.


O que é preciso para trabalhar na área dos Supervisores operacionais e técnicos em mídias audiovisuais

O exercício desse cargo requer curso superior completo. O desempenho pleno das atividades demanda em média, de três a quatro anos de experiência na área, acrescida de grandes conhecimentos em informática e softwares específicos do setor.


Funções e atividades do Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo

Supervisores operacionais e técnicos em mídias audiovisuais devem:

  • dar suporte em eventos;
  • supervisionar equipes;
  • demonstrar competências pessoais;
  • supervisionar atividades técnicas e de operações;
  • planejar atividades do setor;

  • Atividades

    • identificar necessidades da equipe;
    • elaborar indicadores de desempenho setorial;
    • administrar conflitos;
    • avaliar operabilidade no cenário;
    • administrar ciclo de vida dos equipamentos e sistemas;
    • zelar pelo cumprimento das normas de segurança do trabalho e da legislação;
    • atuar em parceria com áreas afins;
    • alocar recursos técnicos;
    • solicitar segurança pública e/ou particular;
    • participar de reuniões pré e pós-demanda;
    • alertar sobre substituição de equipamentos obsoletos;
    • demonstrar capacidade de escuta atenta;
    • contratar serviços de links dedicados;
    • repassar informação sobre condições técnicas e operacionais do evento para áreas afins;
    • trabalhar sob pressão;
    • demonstrar capacidade de comunicar-se;
    • demonstrar capacidade de flexibilidade;
    • demonstrar capacidade de liderança;
    • comandar acionamento de sistemas de redundância;
    • monitorar tráfego e distribuição de mídias;
    • demonstrar capacidade de estabelecer prioridades;
    • supervisionar interligação de sinais de terceiros com produção do evento;
    • contratar fornecimento de energia elétrica;
    • providenciar atendimento de solicitação de serviços de suporte e manutenção;
    • definir especificação dos recursos técnicos;
    • trabalhar em equipe;
    • requisitar serviços de suporte e manutenção;
    • solicitar roteiro de gravação e transmissão;
    • demonstrar capacidade de persuasão;
    • interagir com fabricantes e fornecedores;
    • acompanhar fases do projeto;
    • negociar recursos técnico-operacionais e financeiros com áreas pertinentes;
    • programar revisões preventivas de sistemas;
    • redigir relatórios e/ou documentos;
    • demonstrar capacidade analítica;
    • coordenar avaliações técnicas e homologações de novos sistemas;
    • demonstrar capacidade de criatividade;
    • demonstrar capacidade de atenção difusa;
    • administrar composição e movimentação da equipe;
    • providenciar recursos de logística para evento;
    • orçar despesas operacionais;
    • demonstrar capacidade de negociação;
    • checar canalizações de sinais;
    • consolidar relatórios de ocorrências;
    • participar da definição do perfil da equipe;
    • determinar procedimentos específicos de trabalho;
    • viabilizar capacitação e desenvolvimento da equipe;
    • participar da conceituação dos projetos e eventos;
    • escalar equipe;
    • participar da definição de metas técnico-operacionais;
    • solicitar linhas de transmissão de áudio, vídeo, dados e segmento espacial;
    • monitorar qualidade do sinal;
    • pesquisar tendências tecnológicas;
    • avaliar desempenho da equipe;
    • controlar atingimento de metas técnico-operacionais;
    • apurar ocorrências;
    • monitorar equipamento de medição;
    • verificar condições de uso e conservação dos equipamentos;
    • realizar visita técnica ao local do evento;
    • acompanhar execução da programação;


    Setores que mais contratam Chefe de operações de sistemas de televisão e produtoras de vídeo no mercado de trabalho

    • Atividades de televisão aberta
    • Agências de publicidade
    • Locação de mão-de-obra temporária
    • Atividades de produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão
    • Atividades de rádio
    • Fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros
    • Serviços de comunicação multimídia - scm
    • Atividades de organizações religiosas
    • Comércio varejista especializado de equipamentos de telefonia e comunicação
    • Estúdios cinematográficos




    Fonte: Pesquisa Portal Salario.com.br

    Profissões em Destaque: